Nome do Projeto
Revista Discente dos cursos de Licenciatura em História e Bacharelado em História da UFPel.
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
27/01/2014 - 21/01/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Humanas - História
Resumo
O Curso de Licenciatura Plena em História da UFPel teve seu início em dezembro de 1980, no formato de curso complementar à Licenciatura em Estudos Sociais, cada um deles com dois anos de duração. Após 1990, a estrutura modificou-se, passando a constituir-se em curso de Licenciatura em História. Nestes mais de 30 anos de curso, vêm recebendo alunos de diferentes municípios da região sul e de várias cidades do Brasil, especialmente após a implementação da modalidade de seleção do ENEM. Em 2008, no contexto do programa REUNI, realizado pelo Governo Federal, foi criado o curso de Bacharelado em História, que iniciou com uma turma de 40 alunos. Este vem priorizando os estudos de Educação Patrimonial e Organização de Acervos Históricos como áreas de especialidade. Com a abertura deste novo curso, houve uma notável ampliação do quadro de professores do Departamento. Até 2010 os cursos de História estavam ligados ao DHA (Departamento de História e Antropologia) que a partir deste ano foi desmembrado em DH (Departamento de História), DAA (Departamento de Antropologia e Arqueologia) e DMCOR (Departamento de Museologia, Conservação e Restauro). Hoje, o DH congrega os cursos de Licenciatura em História e Bacharelado em História, ambos com entrada anual, sempre ao inicio do período letivo. Por tradição, os cursos de História da UFPel organizam-se através de diferentes Núcleos e Laboratórios de Pesquisa. São eles: o Núcleo de Documentação Histórica da UFPel (NDH - UFPel), fundado em março de 1990, com as funções de um Centro de Documentação e Pesquisa em História; o Núcleo de Pesquisa em História Regional (NPHR), que iniciou suas atividades em 2002, sendo cadastrado como projeto de extensão em 2005; o Laboratório de Ensino e Pesquisa em Antropologia e Arqueologia da Universidade Federal de Pelotas, vinculado ao Instituto de Ciências Humanas (LEPAARQ/ICH/UFPEL) que deu início as suas atividades em agosto de 2001; e o Laboratório de Ensino de História, que nasceu em 2004 visando discutir e partilhar experiências de ensino-aprendizagem entre profissionais da educação básica, professores universitários e acadêmicos do curso de licenciatura, além de proporcionar um local de pesquisa sobre esse campo do saber. Todos esses espaços vêm sendo muito importantes para a formação de nossos Licenciados e Bacharéis, visto que desenvolvem atividades de pesquisa, ensino e extensão ininterruptamente, incentivando a formação integral de nossos discentes. Estes atuam junto aos Núcleos e Laboratórios tanto na condição de bolsistas quanto de voluntários. Hoje nossos Cursos contam com o incentivo de bolsas PIBID, de um grupo PET, de Bolsas de Pesquisa FAPERGS, CAPES e CNPQ, além das bolsas proporcionadas pela própria instituição. Além disso, muitos alunos trabalham como monitores em disciplinas, além de realizarem pesquisas próprias no âmbito de disciplinas ou experiências significativas no campo da Docência em História, durante a realização de seus estágios curriculares. Com isso desejamos enfatizar que nossos alunos vivenciam, cotidianamente, atividades que podem resultar em artigos científicos especializados. Nos últimos anos, especialmente, nota-se uma crescente ampliação dos discentes que trabalham com pesquisa ou extensão em nossos cursos, o que pode ser percebido pelo incremento da participação dos mesmos em Salões de Mostra Universitária, especialmente o CIC/UFPel, que nesse ano recebeu uma significativa quantidade de trabalhos de alunos da História (Licenciatura e Bacharelado) em diferentes áreas das Ciências Humanas. Outro aspecto relevante refere-se à ampliação do número de docentes no Departamento. Enquanto em 2008 o Departamento contava apenas com 8 professores (as) atuando na área de História, hoje possuímos 18 professores (as) altamente qualificados. A maioria dos professores do Departamento está envolvida em projetos de pesquisa, coordenação de laboratórios ou núcleos, pertencem a grupos de pesquisa do CNPq como líderes ou integrantes, desenvolvendo ainda projetos de extensão, via de regra com a participação de discentes, seja como voluntários ou bolsistas remunerados. Note-se que a ampliação do Corpo Docente a partir de 2008 foi um dos elementos fundamentais para a formação do Programa de Pós Graduação em História de nossa Universidade (PPGH/UFPel), em nível de Mestrado Acadêmico. Aprovado e recomendado pela CAPES em 2009, tem como área de concentração a temática “Fronteiras e Identidades”, que é distribuída em três linhas de pesquisa: “Política e Estado”, “Sociedade e Cultura” e “Arte e Conhecimento Histórico”. Seu primeiro processo seletivo ocorreu no final de 2009 e suas atividades letivas iniciaram no primeiro semestre de 2010. A existência de um Mestrado em História em nossa instituição tornou-se um incentivo a mais para nossos alunos ampliarem seus esforços em torno de produção, visando melhor qualificar-se para o processo seletivo. Frente a essa trajetória de tradição acadêmica, mediada pelos espaços de pesquisa dos cursos ligados ao DH e explicitada pela criação de nossa Pós Graduação, faz-se justo reconhecer a necessidade, cada vez maior, da criação de uma Revista Discente de História em nossa Universidade.

Objetivo Geral

Proporcionar aos graduandos do Departamento de História da UFPel, bem como de áreas afins e de outras instituições, um espaço acadêmico para publicação de seus artigos autorais, visando o aprimoramento e qualificação dos cursos de Licenciatura e Bacharelado em História.

Justificativa

Uma Revista Discente de História proporcionaria aos nossos graduandos, bem como aos alunos de áreas afins e de outras Instituições, um espaço qualificado de debate e de incentivo ao incremento da pesquisa. Como se sabe, um grande número de revistas acadêmicas não aceitam artigos de alunos não formados e, em alguns casos, apenas de portadores de título de Mestrado. Tal Revista oportunizaria aos discentes o incremento de seus currículos, visando seu futuro desenvolvimento acadêmico e profissional. Organizada em um formato on line, possibilitaria uma maior difusão do trabalho realizado.
Tal como está sendo proposta, a presente Revista Discente será criada através de um Projeto de Ensino, cadastrado junto à Instituição. Deverá possuir um (a) aluno (a) como editor (a) chefe, bem como um Conselho Executivo composto por quatro alunos, dois representando o curso de Licenciatura em História e dois representando o Bacharelado em História, visto que se trata de cursos distintos, pertencentes ao mesmo Departamento. Poderá ainda haver um aluno ou aluna que represente o Diretório Acadêmico da História (CAHIS). Contudo, o projeto contará com uma professora Coordenadora e dois professores colaboradores. Com isso, deseja-se prevenir um dos maiores problemas verificados na organização de Revistas Discentes, que é a sua pequena duração. Isto se deve, acreditamos, ao fato de que os graduandos que organizam Revistas Discentes nas diferentes instituições, ao se formarem, naturalmente abandonam o projeto, que na maioria das vezes não encontra continuidade na geração seguinte de alunos. Outro problema é a falta de periodicidade de tais revistas.
Nessa breve lista de Revistas Discentes localizadas on-line pode-se verificar o que afirmamos:
REVISTA DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA (UFBA) Primeira Edição: 1º semestre de 2009 | Última Edição: 2º semestre de 2012. OBS.: A edição do segundo semestre de 2011 não foi publicada.
http://www.revistahistoria.ufba.br/index.html#top

REVISTA CAHISTÓRIA: REVISTA DISCENTE CADERNO ACADÊMICO DE HISTÓRIA DO CAMPUS NOVA IGUAÇU DA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO (UFRRJ) – Primeira Edição: Setembro de 2010. Última Edição: 1º Semestre de 2013 (com atraso e estando apenas na 4ª edição)
http://cahistoria.wordpress.com/

REVISTA HISTÓRIA.COM: REVISTA ELETRÔNICA DISCENTE DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECÔNCAVO DA BAHIA (UFRB) – Primeira Edição: 1º semestre de 2013
http://www.ufrb.edu.br/historia.com/index.php

REVISTA SPARTACUS: REVISTA ELETRÔNICA DOS DISCENTES DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL (UNISC) – Primeira Edição: não há registro, mas provavelmente no 2º semestre de 2009 ou 1º de 2010. Última edição: não há registro se chegou a ser publicada, mas houve uma seleção de artigos em maio de 2010 para a segunda edição da publicação.
http://www.unisc.br/site/spartacus/

REVISTA CADERNOS DE HISTÓRIA: PUBLICAÇÃO DO CORPO DISCENTE DO DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO – Primeira Edição: 1º semestre de 2006 | Última Edição: 2º semestre de 2012
http://www.ichs.ufop.br/cadernosdehistoria/ojs/index.php/cadernosdehistoria/index

REVISTA HISTÓRIAS: REVISTA DISCENTE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (UFRJ) – Primeira Edição: aparentemente janeiro de 2008, sem outras edições.
http://www.ifcs.ufrj.br/~revistahistorias/

REVISTA CONEXÃO HISTÓRIA - REVISTA ELETRÔNICA DO CURSO DE HISTÓRIA DA UECE-FAFIDAM – Primeira Edição: houve uma seleção, mas nos parece que não chegou a ser publicada provavelmente por falta de artigos.
http://revistahistoria-fafidam.blogspot.com.br/
REVISTA PLÊTHOS: REVISTA DISCENTE DE ESTUDOS SOBRE A ANTIGUIDADE E O MEDIEVO DA UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE (UFF) – Primeira Edição: 2011 | Última Edição: 1º semestre de 2013
http://www.historia.uff.br/revistaplethos/nova/

Ou seja, raras são as Revistas Discentes que encontram continuidade ou que mantém uma periodicidade razoável. Com a estrutura que propomos desejamos minorar esse problema, mantendo a Revista como um espaço acadêmico qualificado para os alunos do Departamento de História, com periodicidade, organização e longevidade.
Considera-se ainda que a Revista em questão poderá proporcionar aos discentes e aos docentes da Universidade artigos úteis à suas tarefas de ensino. Um dos diferenciais da Revista será a existência de duas sessões. Uma delas composta por artigos livres, ou seja, resultantes de experiências de pesquisa, e outra específica para experiências de ensino, tais como trabalho com monitorias, atividades do PIBID, relatos de experiências de estágios no decorrer do curso de Licenciatura, experiências em Educação Patrimonial, etc. Com isso acredita-se que as atividades pedagógicas serão valorizadas, seja no âmbito da Licenciatura como do Bacharelado, que conta com práticas de ensino não formal (tais como os projetos de Educação Patrimonial e os relatos sobre organização de acervos). Deseja-se, portanto, contribuir para o aprimoramento dos Cursos, bem como trazer um incentivo às atividades de pesquisa, extensão e ensino de nossos graduandos, desenvolvendo sua autonomia.
Devido a todos os procedimentos necessários para implementação da Revista, conforme descritos no quesito ”Metodologia” deste projeto, a primeira edição da Revista deverá ser lançada em outubro de 2014. A partir daí, deseja-se observar o impacto da primeira edição para deliberar se a periodicidade será semestral ou anual.

Metodologia

Os passos a ser seguidos na criação da Revista demandam uma série de procedimentos necessários, a saber: a criação de um Regimento, que deverá regular as atividades dos membros do Conselho Executivo e o papel a ser desempenhado pelos professores coordenadores e colaboradores, bem como o perfil da Revista e seus objetivos; a elaboração das Normas de Publicação do periódico; sua inscrição junto à Biblioteca Nacional e a obtenção do ISSN; a distribuição de tarefas, com a realização da primeira chamada e posteriormente a publicação de sua primeira edição. Nesse momento inicial todas as deliberações serão discutidas amplamente no Conselho Executivo da Revista e decididos democraticamente pelo grupo. Nos primeiros meses de trabalho teremos reuniões semanais, que a partir da primeira chamada deverão passar a reuniões quinzenais. O projeto será desenvolvido na sala do Laboratório de Ensino de História (LEH), identificada pelo número 130, no prédio do Instituto de Ciências Humanas.

Resultados Esperados

Por tratar-se de uma Revista on line, a ser hospedada junto à página da Instituição, estará acessível a internautas dos mais variados locais. Com isso, torna-se difícil mensurar o impacto real que a Revista possa vir a desenvolver na área de História. Contudo, o resultado esperado pela equipe diz respeito especialmente à inserção da mesma junto aos alunos do Departamento de História. Acredita-se que haverá uma boa procura pela revista, tanto pelos alunos que desejem publicar quanto pela leitura dos discentes. Ressalte-se ainda que se espera que os professores do curso utilizem esse material como apoio a suas aulas, valorizando as experiências e os relatos de nossos graduandos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉIA DA ROCHA LOPES227/01/201413/09/2016
ARISTEU ELISANDRO MACHADO LOPES227/01/201420/01/2019
BARBARA DENISE XAVIER DA COSTA2004/05/201831/12/2018
FABIANO NEIS201/07/201401/04/2016
FELIPE ALVES PEREIRA AVILA 201/05/201820/01/2019
FELIPE ALVES PEREIRA AVILA 206/10/201713/04/2018
FÁBIO DONATO FERREIRA201/08/201401/07/2016
GILSON MOURA HENRIQUE JÚNIOR404/09/201720/01/2019
GUSTAVO DOMINGUES RODRIGUES 427/01/201431/08/2014
JANAÍNA DE MATOS CORRÊA227/01/201401/07/2016
JOCAR JOSÉ LUNA DA SILVA2001/08/201403/01/2017
JÉFERSON BARBOSA COSTA227/01/201431/08/2014
JÉSSICA BITENCOURT LOPES206/10/201720/01/2019
LISIANE SIAS MANKE227/01/201420/01/2019
LUCAS DE SOUZA PEDROSO103/12/201820/01/2019
MARCIA JANETE ESPIG427/01/201420/01/2019
MARIANA ROCKEMBACK DA SILVA206/10/201701/06/2018
MATHEUS BARROS DA SILVA201/07/201403/01/2017
MAURO DILLMANN TAVARES201/06/201720/01/2019
ROSIANE ORENDE DA SILVA227/01/201401/10/2014
TAMIRES FERREIRA SOARES206/10/201715/10/2018
THAYNA VIEIRA MARSICO206/10/201720/01/2019
VITOR WIETH PORTO101/06/201820/01/2019

Página gerada em 24/01/2021 08:33:28 (consulta levou 0.132102s)