Nome do Projeto
Manejo Fisiológico do rebanho ovino do Centro Agropecuário da Palma (CAP) - UFPEL
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
27/04/2015 - 31/03/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Zootecnia - Manejo de Animais
Resumo
O Centro Agropecuário da Palma (CAP) constitui importante recurso para o auxílio e complementação do processo de ensino-aprendizagem dos alunos de graduação dos cursos relacionados à produção agropecuária da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL). De igual forma sua contribuição com os cursos de pós-graduação, seja em nível de especialização, mestrado ou doutorado, proporcionando espaço físico e material experimental para o desenvolvimento e projetos de investigação científica, é de suma importância. No que diz respeito à área de Fisiologia, busca-se estabelecer cada vez mais a relação entre os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula e a futura atuação profissional dos alunos. Em termos de aulas práticas há hoje certa dificuldade em realizá-las em âmbito laboratorial na universidade, uma vez que há restrições à vivissecção e utilização de animais. Desta forma acredita-se que o rebanho ovino do CAP pode e deve constituir importante instrumento para a investigação e difusão de informações científicas, bem como para o treinamento prático de acadêmicos que poderão em sua vida profissional atuar nesse ramo do agronegócio. O grupo de estudo, trabalho e pesquisa em fisiologia e produção ovina - UNIOVINOS, cadastrado na Universidade Federal de Pelotas como projeto de extensão, surgiu com o intuito de congregar professores e alunos interessados na grande área da ovinocultura, buscando somar esforços, organizar e estimular as atividades de ensino, pesquisa e extensão. Atualmente, no âmbito da UFPEL, o UNIOVINOS reúne professores dos departamentos de Fisiologia e Farmacologia (DFF), Microbiologia e Parasitologia (DMP), ambos do Instituto de Biologia (IB), assim como do departamento de Zootecnia (DZ) da Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel (FAEM). Também fazem parte do grupo servidores técnicos do DMP e DZ. Além destes, o grupo conta com 11 alunos de graduação do curso de Zootecnia e 01 aluno de Mestrado (PPGZ). Além do destacado acima, os professores e alunos do grupo estão inseridos em inúmeros projetos de ensino, pesquisa e extensão, de diferentes departamentos e institutos da UFPEL, ou de outras universidades e órgãos de pesquisa. Assim sendo, optou-se por elaborar este projeto, com intuito de apresentar uma proposta de manejo do rebanho ovino do CAP pelo grupo UNIOVINOS, levando em consideração os aspectos fisiológicos envolvidos com a produção animal e visando fornecer condições sanitárias, nutricionais, reprodutivas, etc., para que os ovinos possam ser utilizados em diferentes projetos da universidade, além de servir para a realização de atividades práticas voltadas ao ensino da Fisiologia e sua relação com a produção animal. Existe a convicção de que há um corpo docente e técnico administrativo qualificado, além da disposição de vários acadêmicos, que pode ser utilizado no sentido de contribuir para a melhoria do rebanho, além de auxiliar nos trabalhos rotineiros da fazenda.

Objetivo Geral

Executar o manejo geral do rebanho ovino do Centro Agropecuário da Palma (CAP)/UFPEL, considerando os aspectos fisiológicos relacionados com a produção animal e utilizando os animais para o ensino prático de graduação, bem como disponibilizá-los para projetos de pesquisa e extensão.

Justificativa

Este projeto se justifica diante da existência do CAP, do rebanho ovino lá encontrado e do grupo de professores, pesquisadores, servidores e discentes da UFPEL envolvidos com a ovinocultura.
O CAP constitui importante ferramenta no apoio às atividades de ensino, pesquisa e extensão da universidade, havendo atualmente necessidade de melhorar e estimular a relação entre o mesmo e os diversos segmentos da UFPEL que buscam condições para o desempenho de suas diferentes atividades, propiciando assim o crescimento tanto da comunidade acadêmica em geral quanto do próprio CAP.
Muitas vezes as iniciativas para o desenvolvimento de atividades de ensino, pesquisa e extensão esbarram na dificuldade de conseguir material para sua execução, seja para a melhoria das condições de ensino-aprendizagem dos acadêmicos de graduação e pós-graduação, seja para a implantação de projetos de pesquisa que visem o crescimento técnico-científico com a geração de novas tecnologias e processos, ou ainda para a transmissão dos conhecimentos gerados para a comunidade em geral melhorando assim suas condições sócio-econômicas.
Diante do exposto, consideramos que este projeto é justificável pois a partir do mesmo pode-se melhorar as condições de manejo do rebanho ovino do CAP, disponibilizando os animais para as atividades acadêmicas e promovendo a inserção cada vez mais efetiva do CAP no cenário técnico-científico.

Metodologia

Inicialmente é necessário esclarecer o que segue:
- Este projeto visa apresentar uma proposta de manejo exclusivamente do rebanho ovino do CAP.
- Todas as atividades serão planejadas e executadas pelos membros da equipe do projeto.
- Nenhuma decisão que envolva a compra, venda ou permuta de animais e/ou produtos destes será tomada sem o prévio conhecimento e consentimento das instâncias competentes sendo em primeiro lugar a direção do CAP.
- As atividades se restringirão ao manejo dos animais dentro dos limites do CAP, sendo as mesmas descritas através de protocolos enviados previamente à direção do CAP com periodicidade mensal, ou seja, as atividades previstas para o mês subsequente serão comunicadas no mês em curso.
- Juntamente com os protocolos de manejo previstos será enviado à direção do CAP relatório de atividades realizadas mensalmente.
- Mensalmente será realizada reunião específica para avaliação do projeto entre os membros da equipe executora. Na mesma ocasião serão entregues os relatórios de atividades desempenhadas e a previsão para o mês subsequente.
- Deverá ser firmado termo de compromisso, ou documento equivalente, entre a direção do CAP e a coordenação deste projeto onde constará o compromisso de que nenhuma atividade de ensino, pesquisa ou extensão será desenvolvida com os ovinos do CAP sem o conhecimento e consentimento da equipe executora do projeto.
Local:
O projeto será desenvolvido nas dependências do CAP, utilizando-se a estrutura física e de pessoal disponível.
Animais:
Serão utilizados os animais da espécie ovina que atualmente formam o rebanho do CAP.
Procedimentos iniciais:
Quanto aos animais:
Inicialmente será feito o levantamento do rebanho ovino do CAP, visando registrar o número de animais existente assim como as categorias (ovelhas, carneiros, borregos/as, cordeiros/as).
Caso não haja identificação individual de todos os animais, isto será providenciado mediante a aplicação de brincos numerados, sendo dois por animal (um será o número de registro e o segundo, o controle). A partir da identificação, será montado um banco de dados com todos os animais, suas identificações e principais características, tais como dentição/idade, coloração (caso haja animais de diferentes cores), raça, sexo, etc.
A partir do registro dos animais, poderá ser procedida uma seleção inicial, buscando identificar animais que apresentem algum defeito ou sequela de enfermidades que comprometam seu desenvolvimento e produção.
Quanto às instalações:
Será providenciado levantamento das instalações existentes para o manejo do rebanho ovino, bem como suas condições de uso. Entenda-se por “instalações” toda a infraestrutura do centro de manejo (bretes, mangueiras, galpões, etc.) assim como a área de campo, número de potreiros e existência de abrigos, fontes de água, etc.
A partir do levantamento inicial será elaborado relatório a respeito do encontrado, buscando identificar as necessidades de melhorias e investimentos.
Quanto ao histórico anterior:
A partir de informações verbais obtidas junto às pessoas que são responsáveis atualmente pelo manejo dos ovinos do CAP, se buscará identificar os procedimentos de manejo já executados, os problemas ocorridos nos últimos anos e maiores informações que possam auxiliar nas tomadas de decisões e planejamentos futuros.
Manejo sanitário:
Controle de endoparasitoses:
Em intervalos médios de 30 dias, serão coletadas fezes numa amostragem relativa a 10% da população de cada categoria para análise de contagem de ovos por gramas de fezes (OPG), monitorando-se assim a infestação parasitária. Sempre que for necessário, de acordo com o resultado do OPG, poderá ser feito exame de coprocultura buscando identificar as formas parasitárias predominantes e a partir de então serão feitos tratamentos com anti-helmínticos eficazes.
Fora esse controle, serão feitas nas ovelhas dosificações estratégicas com anti-helmíntico nas seguintes ocasiões: 30 dias antes do acasalamento e 30 dias antes da parição.
Enfermidades infecciosas:
Será elaborado e implantado calendário de vacinação adequado às diferentes categorias e idades dos ovinos do CAP, buscando prevenir o surgimento das principais enfermidades infecciosas que acometem a espécie.
Para controle de foot-rot e doenças podais será feita uma apara de cascos e logo após far-se-á pedilúvio com substâncias anti-sépticas (sulfato de cobre 10% e formol 5%). De acordo com a necessidade poderá ser feita a vacinação dos animais. Os animais diagnosticados como portadores da doença, dependendo do grau e da possibilidade ou não de cura, poderão ser descartados.
Parasitoses externas:
Será feita avaliação inicial sobre a existência ou não de parasitoses externas, através da inspeção visual do corpo dos animais e, se necessário, efetuando-se exames laboratoriais quando houver suspeita de alguma parasitose que necessite esta técnica de diagnóstico.
Serão seguidas as recomendações das campanhas sanitárias oficiais. Caso necessário, para controlar possíveis infestações, serão utilizados tratamentos tópicos ou parenterais, ou ainda através de banhos de imersão, com produtos recomendados em cada caso.
Manejo nutricional:
Inicialmente será feito levantamento das condições alimentares dos ovinos existentes no CAP, no que diz respeito aos recursos forrageiros (campo) ou ainda a possibilidade de suplementação com concentrados, subprodutos da agricultura, ou outros.
Em etapa posterior será delineado o manejo nutricional do rebanho, buscando adequar as condições alimentares existentes com as necessidades nutricionais das diferentes categorias ovinas, levando-se em consideração também as diferentes épocas do ano e seu impacto na oferta forrageira do campo que é a principal base alimentar para os animais, estabelecendo-se uma programação anual para atender as necessidades nutricionais do rebanho ovino do CAP.
Ao longo de todo o ano serão monitoradas as condições nutricionais dos animais através de pesagens e medições da condição corporal das diferentes categorias.
Manejo reprodutivo:
Já na própria identificação dos animais será feita a avaliação das condições reprodutivas dos mesmos. Aqueles indivíduos que estiverem aptos a reprodução serão destinados a este fim, quer sejam fêmeas, quer sejam machos. Os animais que não apresentarem condição de reproduzir-se, seja por problemas de dentição, idade, defeitos morfológicos ou outro motivo, serão destinados ao descarte.
A partir da formação do lote destinado à reprodução, será estabelecido calendário reprodutivo, fixando-se épocas de acasalamento, parição, etc. Previamente a cada etapa do processo reprodutivo (acasalamento, partos, etc.) será elaborado planejamento para atender as necessidades do manejo inerentes a cada uma (limpeza pré-parto, alimentação de ovelhas em terço final de gestação, condições sanitárias e todos os demais procedimentos necessários para alcançar índices reprodutivos satisfatórios.).
Serão igualmente estudados e planejados os métodos de acasalamento mais adequados à realidade do rebanho ovino do CAP, podendo-se adotar monta natural, monta controlada, inseminação artificial ou outro método que possa ser identificado como viável dentro das condições existentes.
Manejo genético:
Será buscada a identificação do padrão racial dos animais do CAP, caso hajam registros genealógicos, isto obviamente será levado em consideração. Caso contrário será feita avaliação fenotípica de cada ovino, tentando-se estabelecer seu padrão racial e/ou cruza predominante, visando identificar possíveis problemas de deformidades morfológicas; defeitos graves tais como prognatismo, desuniformidade de velo, etc.; ou ainda características que denotem consanguinidade tais como fragilidade do esqueleto, raquitismo, ou outros.
A partir do estabelecimento do padrão racial poderá ser feita seleção inicial para definir a permanência daqueles animais geneticamente superiores. A partir de então deverá ser feito planejamento para o melhoramento genético do rebanho, através de seleção e/ou cruzamentos que vise a melhora no desempenho produtivo dos ovinos.
Finalmente cabe ressaltar que todas as atividades previstas serão previamente programadas e os aspectos fisiológicos relacionados a cada uma serão apresentados e discutidos no âmbito do grupo. Igualmente, durante a execução dos trabalhos, considerações acerca da fisiologia dos diferentes sistemas e órgãos envolvidos, serão constantemente divulgadas e discutidas visando o estabelecimento da relação entre os conhecimentos teóricos e a prática, apresentando aos acadêmicos envolvidos o vínculo indissociável entre a fisiologia e a produção animal. Assim espera-se melhorar o processo ensino-aprendizagem dos alunos das diferentes áreas das Ciências Agrárias.

Resultados Esperados

Com este projeto espera-se, primeiramente, melhorar o ensino da fisiologia animal através do estabelecimento de vínculo entre conhecimentos teóricos ministrados em sala de aula e a prática do campo. Além disso também é esperado:
- Colaborar com a melhoria do rebanho ovino do CAP visando sua disponibilização para outros trabalhos de ensino, pesquisa e extensão.
- Fornecer material (animais e ambiente) para o ensino prático na área das Ciências Agrárias.
- Cumprir alguns dos objetivos do grupo UNIOVINOS que incluem congregar as pessoas (professores, estudantes, produtores, pesquisadores) interessadas no setor; dar suporte para as atividades de pesquisa a serem desenvolvidas na área; fortalecer e divulgar a estreita relação existente entre os princípios fisiológicos e a produção dos ovinos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALLAN PATRICK TIMM DE OLIVEIRA418/04/201630/12/2016
ANA BEATRIZ PALMEJANI BALTAZAR226/09/201631/03/2017
ANA PAULA SCHMIDT127/04/201504/12/2015
BIANCA LUDTKE PAIM129/03/201619/08/2016
CARLOS HENRIQUE LUTZ SPIERING127/04/201528/08/2015
CAROLINA GAYA MACHADO127/04/201511/09/2015
DIULIA SARAIVA RODRIGUES226/09/201631/03/2017
EDGARD GONÇALVES MALAGUEZ127/04/201528/08/2015
FERNANDO AMARILHO SILVEIRA209/05/201631/03/2017
GILSON DE MENDONCA627/04/201531/03/2017
HORTENCIA PEIXOTO DIAS127/04/201528/08/2015
JOAO VICTOR RIBEIRO FREITAS403/05/201631/08/2016
JOICE RODAL GRUPPELLI127/04/201504/12/2015
JULIANA NUNES CASTRO228/09/201531/03/2017
JULIANA PEREIRA FONSECA324/08/201531/03/2017
LUCAS DOS SANTOS MAFFEI127/04/201504/12/2015
LUCAS GONÇALVES GIL2010/05/201631/12/2016
LUIZA PADILHA NUNES127/04/201504/12/2015
MARIANE CASTRO MAYENS129/03/201619/08/2016
MARINA BENEDETTI127/04/201531/03/2017
MATEUS SAN MARTINS2001/09/201531/12/2015
MILENA BUGONI125/04/201630/12/2016
NIEDI HAX FRANZ ZAUK227/04/201531/03/2017
PABLO TAVARES COSTA209/05/201631/12/2016
PAOLA DE AZEVEDO KINALSKI116/05/201619/08/2016
RAFAEL ASSUNÇÃO PEREIRA127/04/201504/12/2015
RAFAELA DUARTE DE JESUS129/03/201619/08/2016
RAÍNE FONSECA DE MATTOS101/09/201531/12/2016
ROBERTA MENESTRINO BARROCO109/05/201619/08/2016
ROMULO DUTRA GARCIA127/04/201511/09/2015
RÔMULO TAVARES COSTA2011/05/201531/08/2015
SARAH VARGAS MAIA126/09/201631/03/2017
TIERRI NUNES POZADA131/08/201527/11/2015
VILSON BORBA PINTO427/04/201531/03/2017
VINICCIUS MOURA DALBEM410/05/201631/03/2017
WAGNNER MACHADO DOS SANTOS125/04/201630/12/2016

Página gerada em 22/09/2020 23:49:30 (consulta levou 0.051278s)