Nome do Projeto
Avaliação do índice de conforto térmico, parâmetros metabólicos e fisiológicos de ovinos com cetose subclínica expostos a radiação solar e a sombra.
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/09/2019 - 30/09/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária
Resumo
A ovinocultura no Estado do Rio Grande do sul continua sendo um dos principais responsáveis pela produção de ovinos do país, possuindo 3,946 milhões de cabeças e 46 mil propriedades cadastradas, o que representa 23% do rebanho nacional, localizado principalmente na metade Sul do Estado. Atualmente, as propriedades ovinocultoras que antes tinham foco na comercialização de lã, iniciaram uma transição em seus processos produtivos, para o produto carne. A temperatura média anual situa-se em torno de 18°C, os invernos são frios com temperaturas que chegam a 0°C e no verão registram-se temperaturas elevadas chegando, muitas vezes, aos 40°C. Neste contexto, sabendo que a ovinocultura gaúcha é explorada quase que totalmente de forma extensiva, o objetivo deste experimento é avaliar o efeito do estresse térmico sobre parâmetro fisiológico, metabólicos e comportamentais de ovinos com cetose subclínica submetidos a radiação solar e a sombra. Serão avaliados 10 ovinos por um período de no máximo 16 dias, divididos em dois grupos: (GRS) exposto à radiação solar e (GS) exposto à sombra. Os animais terão 3 dias de adaptação aos cabrestos, os quais manterão os animais contidos. Após a adaptação ambos os grupos passarão por um período de indução de cetose, onde serão submetidos à restrição alimentar até atingirem níveis de β-hidroxibutirato (BHBA) de 1,4 mmol/L, o que caracteriza a disfunção metabólica em questão. Durante este período, serão avaliados os parâmetros fisiológicos de frequência respiratória e temperatura retal nos horários: 9h,11h,13h e 16h30. A coleta de sangue será realizada às 24h, 36h, 48h, e assim sucessivamente de 6h em 6h, até os animais atingirem os limites ideias de BHBA. Concomitante à coleta de sangue, será realizada, nos mesmo horários, a coleta de urina para avaliação de pH e metabólitos. Após chegarem ao quadro de cetose subclínica os animais passarão a receber alimento pela manhã às 9h, à tarde às 16h30 e a oferta de água será a vontade. Os dados utilizados para posterior cálculo de índice de conforto térmico serão obtidos diariamente na estação meteorológica da Embrapa Capão do Leão.

Objetivo Geral

Objetivo geral:
Avaliar o efeito do estresse térmico sobre o metabolismo energético de ovinos com cetose subclínica.
Objetivos específicos:
1. Avaliar o efeito do estresse térmico vinculado à cetose no metabolismo energético;
2. Avaliar o efeito do estresse térmico e cetose sob o mecanismo de ganho compensatório;
3. Avaliar o índice de estresse térmico a partir de parâmetros fisiológicos (temperatura retal e frequência respiratória);

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA PAULA SCHMIDT401/04/201801/09/2019
CASSIO CASSAL BRAUNER101/01/201801/09/2019
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO101/01/201801/09/2019
JÉSSICA HALFEN2001/01/201801/09/2019
MARCIO NUNES CORREA101/01/201801/09/2019
MARJANA COLOMBI MARTINS1001/01/201801/09/2019
MOZER MANETTI DE AVILA2001/01/201801/09/2019
VIVIANE ROHRIG RABASSA101/01/201801/09/2019

Página gerada em 19/11/2019 19:00:07 (consulta levou 1.637108s)