Nome do Projeto
Prevalência de tipos sanguíneos do sistema ABO e estudo da microbiota intestinal de crianças portadores de TEA acompanhadas pelo Departamento de Neurodesenvolvimento da Universidade Federal de Pelotas
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/04/2014 - 01/04/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Médica
Resumo
O transtorno do espectro autista (TEA) são as manifestações comportamentais que incluem déficits qualitativos na interação social e na comunicação, além de padrões de comportamentos repetitivos e estereotipados, e um repertorio restrito de interesses e atividades. No mundo, segundo a ONU (www.onu.org.br/a-onu-em-acao/a-onu-e-a-saude/autismo/, acessado em 04 de dezembro de 2013) acredita-se haver mais de 70 milhões de pessoas com TEA. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, 2000) no Brasil havia entre 1 a 2 milhões de pessoas que preenchiam os critérios que os enquadravam em TEA. Além de fatores genéticos, fatores ambientais são considerados relevantes para o desencadeamento de TEA. Os indivíduos com TEA tendem a desenvolver graves distúrbios gastrointestinais, e esses problemas são devidos a uma microbiota intestinal diferenciada com super crescimento micro-organismos potencialmente patogênicos (BOLTE, 1998).Poucos trabalhos (PARRACHO et al, 2005; FINEGOLD et al, 2002) investigaram as alterações da microbiota intestinal de indivíduos com TEA. Diferentes grupos sanguíneos do sistema ABO têm diferenças na diversidade do repertório dos micro-organismo da microbiota intestinal. Portanto, este estudo apresenta a hipótese de que a prevalência dos tipos sanguíneos do sistema ABO são significativamente diferentes entre portadores TEA em relação a população não-TEA, desta forma a tipo sanguíneo pode indiretamente ser fator agregante no risco de desenvolvimento de TEA. Desta forma, os objetivos deste estudo são: 1) Realizar a tipagem sanguínea de todos os portadores de TEA acompanhados pelo Núcleo de Neuro-desenvolvimento da Universidade Federal de Pelotas e Analisar estatisticamente os resultados de prevalência considerando o banco de dados do Hemocentro Regional de Pelotas; 2) Analisar a microbiota intestinal da população estudada, através de marcadores moleculares por PCR Real-time e bioinformática.

Objetivo Geral

Objetivo Primário
Realizar a tipagem sanguínea de todos os portadores de TEA acompanhados pelo Núcleo de Neurodesenvolvimento da Universidade Federal de Pelotas e Analisar estatisticamente os resultados de prevalência considerando o banco de dados do Hemocentro Regional de Pelotas - HEMOPEL.
Objetivo Secundário
Analisar a microbiota intestinal da população estudada, através de marcadores moleculares por PCR Real-time ou pirosequenciamento associados a e bioinformática.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANNA FLAVIA DE CRESCENZO BROTTO401/04/201401/03/2015
CAROLINA CASTRO TRINDADE401/04/201401/03/2015
CRISTIANO AGRA ISERHARD201/04/201401/04/2017
DANIEL PAGNOSI PACHECO401/04/201401/03/2015
EDUARDO WEINERT CORRÊA401/04/201401/03/2015
HELLEN MEIRY GROSSKOPF WERKA401/04/201401/06/2014
MANOEL ARTIGAS SCHIRMER201/04/201401/04/2017
ROSAMAR MEYER DE AVILA204/06/201404/12/2015
TÂMELA KAROLINE WEIBER401/04/201401/03/2015

Página gerada em 12/12/2018 13:04:39 (consulta levou 0.086711s)