Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DO POTENCIAL TERAPÊUTICO DOS DERIVADOS SINTÉTICOS DO INDOL PARA O TRATAMENTO DE GLIOMAS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/12/2014 - 01/12/2016
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Bioquímica
Resumo
O glioblastoma multiforme (GBM) é a forma mais comum e devastadora de tumor cerebral, com elevado grau de proliferação e invasão, causando falência do tratamento e elevadas taxas de mortalidade [1, 2]. A cirurgia representa o tratamento de primeira escolha, seguida de radioterapia e/ou quimioterapia [2,3]. Mesmo a imunoterapia com células dendríticas é bastante limitada, em função da tolerância imunológica destes gliomas [2]. Assim a utilização de linhagens celulares tumorais é muito útil para a avaliação de substâncias com potencial antiproliferativo, indicando possívies alvos terapêuticos que possibilitem uma sobrevida maior aos pacientes diagnosticados com gliomas. A enzima Indolamina-2,3-dioxigenase (IDO) é chave no metabolismo do aminoácido Triptofano, estando envolvida na indução da tolerância imune, através da degradação local deste aminoácido e produção de seus catabólitos, como quinurenina (KYN), ácido quinurênico (KYNA), 3-Hidroxiquinurenina (3-HK), Ácido 3-Hidroxiantranílico (3-HAA), Ácido picolínico (PIC) e a neurotoxina Ácido Quinolínico (QUIN). Tanto a diminuição da concentração de triptofano como o aumento dos seus metabólitos levam à modulação das células T regulatórias, induzindo a supressão da resposta imune. De acordo com a literatura, os análogos do triptofano (como o 1-metil-triptofano(1-MT)) e b-carbolinas não competitivas são utilizados como modelos de inibidores da IDO. Mais recentemente, os derivados do indol têm se destacado pelo seu potente efeito inibidor [5,6]. Assim, o objetivo do presente projeto é avaliar representantes desta classe de moléculas como possíveis alvos terapêuticos promissores na inibição da atividade e/ou diminuição da expressão da IDO , com consequente atividade antigliomas.

Objetivo Geral

O objetivo geral dessa proposta é investigar o potencial terapêutico dos derivados de indol in vitro e in vivo para tratamento dos gliomas. A expectativa é que os compostos sintetizados possam inibir a atividade e expressão da enzima IDO, permitindo modular negativamente o crescimento dos gliomas.

Objetivos Específicos
 Padronização da medida da atividade da enzima IDO em linhagens de gliomas e astrócitos;
 Determinação da atividade e expressão da IDO em linhagens de gliomas e astrócitos;
 Desenvolvimento e avaliação de moléculas sintéticas inéditas (derivados do indol) com potencial inibitório da atividade da enzima IDO in vivo e in vitro;
 Determinação dos parâmetros de toxicidade in vivo após o tratamento com as moléculas sintéticas desenhadas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CARLUS AUGUSTU TAVARES DO COUTO201/12/201401/12/2016
CLAUDIO MARTIN PEREIRA DE PEREIRA101/12/201418/11/2015
ELIZANDRA BRAGANHOL101/12/201401/12/2016
GREGORI DAS NEVES REINHARDT501/12/201401/12/2016
WILSON JOAO CUNICO FILHO101/12/201401/12/2016

Página gerada em 17/06/2019 06:00:06 (consulta levou 0.066278s)