Nome do Projeto
A experiência internacional de estudantes da UFPEL: os impactos do Ciências Sem Fronteiras
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
02/03/2015 - 05/09/2016
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar - Interdisciplinar
Resumo
A Internacionalização das universidades é um processo que fomenta os laços de cooperação e integração entre as instituições de ensino superior a fim de alcançar maior presença e visibilidade em um mundo cada vez mais globalizado e integrado.Nas últimas décadas, a cooperação acadêmica internacional, que abrange a internacionalização das universidades e a mobilidade estudantil, tem se tornado um dos principais interesses das universidades espalhadas por todo o mundo, tendo em vista que é um fator que oferece às mesmas uma dimensão internacional e possibilita o intercâmbio de conhecimento e experiências de forma a propiciar um crescimento qualitativo em graduação, pós-graduação e pesquisa. Este processo também tem como um de seus principais resultados a formação de redes internacionais e de acordos de reconhecimento mútuo de qualidade de educação. O processo de internacionalização do ensino superior no Brasil tem como seu principal programa o Ciência Sem Fronteiras. Criado no ano de 2011, esse programa possui como meta conceder em torno de 100 mil bolsas no exterior, nos âmbitos de graduação, doutorado e pós-doutorado. Outro método fortemente utilizado para a internacionalização é o contato direto entre as universidades do país com universidades estrangeiras, visando o estabelecimento de convênios. Dados numéricos do CsF na UFPel TOTAL jan/2015 = 592 bolsas Diante dos números apresentados, observa-se que a mobilidade internacional faz parte do quadro contemporâneo das graduações. Os números expressivos não refletem, no entanto, os reflexos dessa experiência tradicional na formação acadêmica do aluno bem como em sua trajetória pessoal. Não raro os estudantes, em seu retorno, não associam suas experiências individuais com sua inserção num universo maior, que é o do seu próprio curso. Além disso, observa-se que a retomada do curso no Brasil impõe uma rotina que afasta, cada vez mais, a possibilidade dessa vivência num estágio internacional, ser difundida e analisada por seus pares. O projeto que ora apresentamos buscará recuperar essas trajetórias individuais dos alunos em mobilidade pelo CSF, considerando que este vem sendo o maior e mais importante veículo de disponibilização de estágios de estudos no exterior. O registro dessas vivências possibilitará conhecer em maior profundidade e com dados obtidos junto às fontes primárias, os impactos da internacionalização na formação individual dos sujeitos e nos cursos de origem na UFPEL.

Objetivo Geral

1. Recuperar trajetórias de alunos da UFPEL que realizaram mobilidade internacional via CSF entre os anos 2011 e 2014
.2.A partir de documentos como os Relatórios finais de mobilidade e relatos orais, aferir as dificuldades de inserção dos alunos nas instituições no exterior.
.3. Igualmente a partir dos documentos citados, analisar o envolvimento dos estudantes com as culturas e realidades locais,
4. Identificar os dispositivos de acolhimento/recepção/acompanhamento tanto das instituições estrangeiras quanto da CAPES e CNPq.
5. Identificar, de acordo com a auto-referência, os benefícios que a mobilidade proporcionou ao estudante da UFPEL.
6. Elaborar um mapa sócio-econômico dos estudantes em mobilidade CSF no período determinado para a pesquisa.
7.Aferir a eficácia ou não, do Relatório final de Mobilidade.
8.Identificar boas práticas internas para acompanhamento dos alunos em mobilidade.
9.Analisar os impactos da mobilidade no currículo do alunos envolvidos, bem como o aproveitamento dos créditos cursados no exterior.
10.Avaliar os possíveis impactos da mobilidade CSF na instituição de origem, buscando identificar se houve reflexos na flexibilidade curricular, se práticas trazidas pelos estudantes estão sendo implementadas na UFPEL; os marcos regulatórios da mobilidade e os problemas e/ou facilidades impostas ao desenvolvimento da mobilidade discente.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA BLEGGI502/03/201505/09/2016
ANELISE DA SILVEIRA ALVES502/03/201505/09/2016
AUGUSTO TESSMANN YUNES202/03/201505/09/2016
GABRIEL VALLE E SILVA PEREIRA202/03/201505/09/2016
GABRIEL VALLE E SILVA PEREIRA1201/08/201531/07/2016

Página gerada em 18/11/2019 12:15:27 (consulta levou 0.058087s)