Nome do Projeto
ASSOCIAÇÃO ENTRE ATIVIDADE FÍSICA NA IDADE ADULTA, CITOCINAS PRÓ-INFLAMATÓRIAS E DENSIDADE MINERAL ÓSSEA: SUBPROJETO DE ACOMPANHAMENTO AOS 30 ANOS DE IDADE DOS ADULTOS JOVENS PERTENCENTES À COORTE DE NASCIMENTOS DE 1982
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/06/2015 - 31/05/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Epidemiologia
Resumo
Medidas de massa mineral óssea são importantes por estarem ligadas à capacidade funcional, ocorrência de fraturas e ainda por altos custos relacionados a internações pelas mesmas. Sabe-se atualmente que a massa mineral óssea de indivíduo em um período atual reflete experiências vividas anteriormente por ele, de forma que acúmulos de ganhos e perdas que ocorrem ao longo da vida é visto em idades futuras. Dentre os fatores positivamente associados à aquisição e manutenção da massa óssea, a atividade física aparece como fundamental, exercendo influência em todas as fases do ciclo vital, por sua influência na captação de cálcio pelas células ósseas e aumento na massa muscular. Ainda é crescente na literatura o estudo de outros efeitos metabólicos causados pela prática atividade física que pudessem explicar possíveis mecanismos indiretos que também levariam ao entendimento dessa associação. Nesse sentido, as citocinas pró-inflamatórias tem sido investigadas como possíveis mediadores dos efeitos da atividade física sobre a densidade óssea. Desconhecem-se estudos que tenham avaliado o efeito da atividade física ao longo da vida sobre medidas de massa mineral óssea de indivíduos jovens realizados em países de renda média ou baixa, especialmente no Brasil. A atividade física foi avaliada em idades anteriores dos membros da Coorte de Pelotas, de 1982, que acompanha em torno de 4000 pessoas desde o nascimento até a idade adulta. No ano de 2012, além da avaliação deste hábito de vida, ocorreu a coleta de amostra de sangue e mensuração de densidade mineral óssea, a partir do método de absorciometria de dupla-emissão de raios X em três sítios: corpo inteiro, coluna lombar e colo do fêmur. Dessa forma, o presente projeto de pesquisa objetiva avaliar a associação entre prática de atividade física, citocinas pró-inflamatórias e densidade mineral óssea aos 30 anos de idade nos indivíduos pertencentes à Coorte de Nascimentos de Pelotas de 1982.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Avaliar as associações existentes entre atividade física, citocinas pró-inflamatórias e densidade mineral óssea de adultos jovens pertencentes à coorte de nascimentos de Pelotas de 1982.
Objetivos específicos
− Descrever a densidade mineral óssea dos indivíduos estudados.
− Avaliar o efeito transversal e longitudinal da atividade física observada em diferentes fases da vida sobre a densidade mineral óssea.
− Avaliar as associações entre TNF-α, IL-6 e densidade mineral óssea.
− Avaliar as mediações de ambos TNF-α e IL-6 nas associações transversal e longitudinal entre atividade física e densidade mineral óssea.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANDRÉIA COELHO DOS SANTOS1201/01/201631/07/2016
ANNA MÜLLER PEREIRA1201/08/201531/07/2016
ANNA MÜLLER PEREIRA201/06/201531/05/2016
BERNARDO LESSA HORTA101/06/201531/05/2018
BRUNO ANDRADE DE SOUSA1201/02/201731/07/2017
EMILY PARKER MOLON201/06/201531/05/2016
FRANCINE SILVA DOS SANTOS401/06/201531/05/2016
ISABEL OLIVEIRA DE OLIVEIRA101/06/201531/05/2018
JÉSSICA PORTO MACHADO201/06/201531/05/2016
JÉSSICA PORTO MACHADO1201/08/201531/12/2015
MARIANA DE TOLEDO SILVA1201/08/201631/01/2017
NATÁLIA PEIXOTO LIMA101/06/201531/05/2018
PIERRE FERNANDO TIMM1201/05/201731/07/2017
RENATA MORAES BIELEMANN127/07/201531/05/2018
THAÍSSA VIEIRA DOS SANTOS1201/08/201630/04/2017

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 114.400,00

Página gerada em 19/11/2019 08:33:33 (consulta levou 0.083138s)