Nome do Projeto
Farelo de glúten de milho: alternativa na alimentação de galos
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/02/2016 - 31/07/2018
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Resumo
O milho, principal fonte energética, e o farelo de soja, principal fonte proteica, são os principais responsáveis pelo alto custo das rações de aves, fazendo com que empresas, nutricionistas e pesquisadores procurem alimentos alternativos com o propósito da substituição parcial ou total destas matérias primas. O milho é o cereal mais produzido no Brasil e no mundo, sendo que para cada 100 kg de milho processado, são gerados 4,5 kg de farelo de glúten de milho (FGM). Este subproduto possui cerca de 21% de proteína bruta e 1813 Kcal/ Kg de energia, sendo uma boa alternativa para a alimentação dos animais. Entretanto, mudanças nos ingredientes da ração podem afetar aspectos fisiológicos do animal e seu desempenho reprodutivo e, por consequência, podem interferir no retorno econômico de um matrizeiro, visto que o produto final é o pinto produzido por ave. Considerando que num matrizeiro a proporção entre fêmeas e machos é em torno de 10:1, o macho torna-se responsável pela maior parte do desempenho reprodutivo do lote. Neste contexto, acredita-se que qualquer alteração na qualidade do sêmen possa gerar prejuízos tanto na fertilidade quanto na qualidade dos pintos produzidos, sendo necessário testar os vários tipos de alimentos fornecidos para os galos. Diante das informações expostas, este projeto tem por objetivo avaliar os efeitos da adição do FGM na dieta de galos sobre as características do sêmen, visando validar a sua utilização como uma alternativa na alimentação das aves.

Objetivo Geral

Objetivo Geral

Avaliar os efeitos da adição do farelo de glúten de milho na dieta de galos sobre as características do ejaculado, sobre a criopreservação e sobre a fertilidade.

Objetivos Específicos

1) Verificar se as dietas promovem alteração na qualidade do ejaculado (volume, concentração, motilidade, integridade de membrana e habilidade de penetração no ovo); na fertilidade e na congelabilidade do sêmen
2) Avaliar a possibilidade do uso do farelo de glúten de milho como alimento alternativo em substituição parcial ao farelo de soja;
4) Verificar se as dietas promovem melhorias na fertilidade do sêmen fresco ou congelado;
6) Verificar se a dieta interfere no consumo de ração e no peso corporal das aves.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXSANDER FERRAZ201/02/201631/07/2018
AMAURI TELLES TAVARES401/02/201631/07/2018
CAMILA TONINI101/02/201631/07/2018
CAROLINA OREQUES DE OLIVEIRA201/08/201731/07/2018
FERNANDO RUTZ101/02/201631/07/2018
SARA LORANDI201/02/201631/07/2018
SILVIA MARIA LANNES DE CAMPOS DA COSTA201/02/201631/07/2018
SÉRGIO LEANDRO COSTA DE ÁVILA1001/02/201631/07/2018
TIAGO ARAUJO RODRIGUES401/02/201631/07/2018

Página gerada em 24/07/2019 02:09:12 (consulta levou 8.196234s)