Nome do Projeto
“Prestígio, riqueza e decadência”: mobilidade social, poder político e estratégias familiares da elite pelotense (1850 -1950)
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/02/2017 - 12/12/2019
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - História - História do Brasil
Resumo
O projeto visa realizar um estudo das famílias que se constituíram enquanto elite política e econômica de Pelotas entre 1850 e 1950 e em que medida elas foram atingidas ou perderam posições com as sucessivas crises conjunturais que afetaram o período. Em nossa Tese de Doutorado verificamos que, entre 1860 e 1890, um grupo de ricas famílias controlava os principais espaços de atuação política e cultural em Pelotas, que ao lado de Porto Alegre constituía-se no principal centro econômico do Rio Grande do Sul. Com o tempo, os seus membros foram recrutados para postos-chave da administração regional e nacional, como secretarias, ministérios e diretorias de estatais, com destaque para os governos de Getúlio Vargas. A análise da atuação desses líderes tanto no nível local (Pelotas) quanto no nacional (Rio de Janeiro) a partir dos seus arquivos pessoais e de suas trajetórias também é algo que se pretende realizar para compreender melhor as relações de poder e as dinâmicas que estruturavam o Estado republicano que vinha se desenvolvendo ao longo do século XX. Outro objetivo do estudo é verificar como essas famílias foram se adaptando as muitas mudanças que a sociedade brasileira vinha atravessando, diversificando as suas atividades para manterem-se ainda como elite local, regional e nacional até os anos 1940, quando elas começaram a perder espaço para outras famílias. O projeto busca verificar quais os fatores internos e externos à sociedade local colaboraram para tais fenômenos sociais, uma vez que a crise das charqueadas nos anos 1880 (negócio ao qual as mesmas se dedicavam) não foi capaz de derrubá-las do topo da pirâmide social. Mudando o ramo de empreendimento econômico e adaptando-se aos novos regimes políticos pós-monarquia, estas famílias conseguiram manter-se como principal elite da fronteira sul. Tal problema de pesquisa se justifica pelo fato de que as elites pelotenses são estudadas apenas no que diz respeito ao período das charqueadas, na época dos barões escravistas. Com a crise das charqueadas nos anos 1880, Pelotas não entrou em decadência econômica, vindo a tornar-se importante polo industrial, bancário, mercantil e agropastoril ao longo do século XX. Neste sentido, o projeto busca compreender melhor os processos de rupturas e permanências que marcaram o período, que foi cenário de um importante avanço do capitalismo, de fluxos migratórios, da urbanização, da industrialização, do desenvolvimento da burocracia e do próprio Estado brasileiro.

Objetivo Geral

Os principais objetivos do projeto são: a) traçar um perfil das elites políticas e econômicas de Pelotas entre 1850 e 1950; b) Entender quais os fatores agiam para dividir essas elites em grupos de interesses e facções políticas e como elas comportavam-se diante de tais conflitos; c) Estudar como as principais famílias de elite elaboravam estratégias para adaptar-se às transformações estruturais ocorridas no período e se houve uma substituição das mesmas no topo da elite local

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ETIANE CARVALHO NUNES1201/11/201831/07/2019
JOSUÉ EICHOLZ415/02/201712/12/2017
JÉSSICA RODRIGUES BANDEIRA PERES1201/04/201831/10/2018
KEVIN RETZLAFF DOS SANTOS1201/08/201731/03/2018
KEVIN RETZLAFF DOS SANTOS415/02/201712/12/2017

Página gerada em 20/01/2021 16:41:16 (consulta levou 0.079912s)