Nome do Projeto
AVALIAÇÃO DO EFEITO DA MELATONINA SOBRE MECANISMOS DE NOCICEPÇÃO EM CÉLULAS DE CÂNCER DE MAMA EM CULTURA
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
25/07/2018 - 31/07/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Medicina - Cancerologia
Resumo
Desde que foi demonstrado que o crescimento dos carcinomas de mama é regulado por ação estrogênica, a terapia ablativa desse hormônio tem produzido remissão clínica dos sintomas em pacientes com carcinoma de mama (Pritchard K., 2005). Tal fato é promissor, visto que, após uma mastectomia parcial ou radical, a mulher sente-se mutilada e a incidência de recidiva é grande, com prognóstico ruim e uma evolução, que na maioria das vezes, pode levar a óbito. Por isso, o estudo dos processos e mecanismos que envolvem a oncogênese tumoral relacionada a via estrogênica se tornam importantes. Um dos hormônios que está relacionado com a supressão de neoplasias da mama é a melatonina, visto que atua em vias de sinalização do estrogênio. Estudos mostram que a melatonina diminui o crescimento e inibe a proliferação e o comportamento metastático de células de câncer de mama humana (MCF-7) (Samuel Cos et al., 2006). Os efeitos inibidores da melatonina no crescimento de células de câncer de mama é dependente de receptor (MT1 e MT2). Em face da complexidade dos mecanismos inter e intracelulares, este projeto visa um melhor entendimento do controle da proliferação celular e da ação anti-tumoral e antinociceptiva da melatonina em células de câncer de mama em cultura obtida por linhagem.

Objetivo Geral

O presente estudo tem por objetivo avaliar o efeito da melatonina sobre os mecanismos morfológicos e bioquímicos de células de câncer de mama em cultura.

Avaliar os efeitos da melatonina nas concentrações 1nM 10nM 100nM 1µM 10µM no cultivo de células câncer de mama nos seguintes parâmetros:
a) viabilidade celular por meio de MTT (3-(4,5-dimethylthiazolyl)-2,5-diphenyl-2H-tetrazolium bromide);
b) apoptose celular por meio de marcação com DAPI (imunofluorescência);
c) análise morfológica das células durante o tempo de cultivo por meio de Microscópio de Luz por Contraste de Fase, Microscópio de Luz Confocal, Microscópio Eletrônico de Varredura;
d) imunodetecção da neutrofina BDNF
e) imunodetecção dos marcadores de proliferação e morte celular, P53, BCL2 por meio de imunocitoquímica com imunofluorescência;
f) determinar isoformas de receptores de neurotrofinas tirosina quinases (TrkA) por meio de imunocitoquímica com imunofluorescência;
h) avaliar a expressão RNAm da neutrofina BDNF por meio de RT-PCR;
i) Expressão de Receptores de Estrógeno (ER);
j) quantificação de proteína pelo método de Lowry modificado por Petersen.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXIA CAMARGO KNAPP DE MOURA427/04/201624/07/2018
ANNA JÚLIA RAMOS FONTANARI427/04/201624/07/2018
CAROLINE CRESPO DA COSTA227/04/201624/07/2018
CLARA CAMACHO DOS REIS427/04/201624/07/2018
ELIANE FREIRE ANTHONISEN227/04/201627/04/2018
GIOVANA DUZZO GAMARO227/04/201624/07/2018
LUIS AUGUSTO XAVIER CRUZ227/04/201627/04/2018
LUIS OTAVIO LOBO CENTENO227/04/201627/04/2018
OTÁVIO GARCIA MARTINS427/04/201624/07/2018
OTÁVIO GARCIA MARTINS1201/08/201631/07/2017
PRISCILA CENTENO CRESPO427/04/201624/07/2018

Página gerada em 14/11/2019 11:57:33 (consulta levou 0.061236s)