Nome do Projeto
Physalis Pubescens L: Avaliação fitoquímica, antioxidante, antimicrobiana e antitumoral de frutos oriundos da região Sul do Rio Grande do Sul
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
09/03/2018 - 31/12/2019
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
O interesse pelo consumo de pequenos frutos tem aumentado nos últimos tempos devido à descoberta de que substância como flavonóides, alcalóides, fitoesteróides, carotenoides e vitaminas considerados funcionais e que podem auxiliar na prevenção de doenças degenerativas e também pela crescente conscientização de que a inclusão de frutas no hábito alimentar tem efeito benéfico sobre a saúde das pessoas, entre algumas espécies pode-se citar: amora-preta, framboesa, mirtilo, morango e physalis. Existem poucos trabalhos científicos no Brasil ou até mesmo divulgações, sobre plantas alimentícias não-convencionais (PANCs) onde inclui-se nessa classificação as espécies nativas e exóticas, sendo estas consideradas daninhas" (ruderais) ou “plantas do mato” (silvestres) podem ser fontes complementares de alimentos interessantes para uma produção de pequeno a médio porte. Segundo estudos, a família das Solanaceae é uma das plantas alimentícias não-convencionais e dentre elas destaca-se a Physalis pubescens considerada uma espécie pantropical que produz frutos de qualidade, no entanto, no Rio Grande do Sul consiste numa espécie ainda rara, mesmo se tratando de uma planta rústica e de boa adaptação, a qual pode ser aproveitada em sua totalidade. A Physalis pubescens é uma erva daninha anual nativa, com frutas exóticas de cor amarelas e cálices com pouca produção no Brasil. Ainda há pouca informação a respeito da caracterização dos frutos, os principais relatos desta espécie são voltados principalmente à farmacologia e condições agronômicas da planta. Apesar do grande potencial comercial dessa fruta, ainda são escassos os estudos de caracterização fitoquímico de frutos de Physalis pubescens, uma vez que, muitos desses compostos podem ser responsáveis pela captura de radicais livres, atuando como antioxidantes e sendo relacionados ao retardo do envelhecimento e na prevenção doenças crônicas, o que torna pertinente a realização de pesquisas sobre o potencial alimentício e funcional das espécies silvestres em desuso ou desconhecidas. O objetivo deste trabalho é avaliar o potencial fitoquímico, antioxidante, antimicrobiano e antitumoral de frutos de Physalis Pubescens oriundo da produção espontânea na região Sul do Rio Grande do Sul.

Objetivo Geral

OBJETIVO GERAL
Avaliar o potencial fitoquímico, antioxidante, antimicrobiano e antitumoral dos frutos de physalis pubescens oriunda da produção espontânea na região sul do Rio Grande do Sul.


OBJETIVO ESPECÍFICO

• Determinar a composição centesimal dos frutos de Physalis pubescens;
• Determinar a composição bioativa dos frutos de Physalis pubescens;
• Avaliar a capacidade antioxidante por ABTS, DPPH dos frutos de Physalis pubescens;
• Avaliar a capacidade antimicrobiana dos frutos de Physalis pubescens;
• Avaliar a atividade antitumoral dos frutos de Physalis pubescens;

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ELIEZER AVILA GANDRA109/03/201831/12/2019
TAILISE BEATRIZ ROLL ZIMMER3009/03/201831/12/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 1.500,00

Página gerada em 16/07/2019 17:56:39 (consulta levou 0.080965s)