Nome do Projeto
Consumo de alimentos ultraprocessados e interleucina-6 sérica em adultos pertencentes à Coorte de Nascimentos de 1982 – Pelotas/RS
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/10/2018 - 28/02/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde - Saúde Coletiva
Resumo
O consumo de alimentos que recebem processamento industrial tem aumentado progressivamente, especialmente nos países de baixa e média renda, incluindo o Brasil. Neste panorama uma classificação de alimentos denominada NOVA destaca-se no cenário nacional e internacional em estudos epidemiológicos, na saúde pública e nas recomendações de alimentação e nutrição para a população. Dentre as quatro categorias de gêneros alimentícios apresentados pela NOVA, os alimentos ultraprocessados são aqueles que em pesquisas recentes estão associados com risco cardiometabólico, destacando-se sobrepeso/obesidade. Em paralelo, a interleucina-6, uma citocina com atividade biológica que não se restringe ao sistema imune, é reportada na literatura pelo seu proeminente papel em diversos processos metabólicos. Os níveis séricos dessa citocina mostram relação proporcional com medidas de adiposidade e com aumento do risco para doenças cardiovasculares, as quais são a principal causa de morbimortalidade no mundo, com impacto mais proeminente nos países de baixa e média renda. Tendo em vista os diversos estudos que demonstram a repercussão da alimentação sobre as concentrações séricas da interleucina-6, o presente projeto tem como objetivo identificar o possível mecanismo da relação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e a inflamação crônica, medida pela concentração sérica da citocina aos 30 anos de idade. Com dados da Coorte de Nascimentos de 1982, da cidade de Pelotas - RS, essa associação será avaliada por análise longitudinal. Ademais, serão investigados outros fatores de risco para as enfermidades cardiovasculares que possam influenciar os níveis de inerleucina-6 e, em especial, aqueles passíveis de modificação. Por fim, visando compreender o conhecimento atual sobre consumo de alimentos de acordo com o grau de processamento e desordens metabólicas de risco cardiovascular em adultos, será realizada uma revisão sistemática da literatura.

Objetivo Geral

Objetivo Geral

Descrever a epidemiologia da IL-6 sérica aos 30 anos de idade e avaliar sua relação com consumo de alimentos ultraprocessados na Coorte de Nascimentos de 1982 da cidade de Pelotas, RS, Brasil.


Objetivos Específicos


▪ Realizar uma revisão sistemática de literatura, sobre classificações de alimentos fundamentadas no processamento e fatores de risco metabólicos para doenças cardiovasculares em adultos.
▪ Descrever a concentração sérica de IL-6 aos 30 anos de idade em relação às variáveis demográficas, socioeconômicas do início da vida e na idade adulta, comportamentais, composição corporal e elaboração de um escore de risco poligênico para concentração sérica de IL-6.
▪ Analisar a associação entre consumo de alimentos ultraprocessados e IL-6 aos 30 anos de idade e possíveis mediadores dessa associação.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
FRANCINE SILVA DOS SANTOS401/10/201828/02/2021
GICELE COSTA MINTEM101/10/201828/02/2021
ISABEL OLIVEIRA DE OLIVEIRA101/10/201828/02/2021

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 44.951,00
FAPERGS (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul)R$ 106.890,50

Página gerada em 20/01/2021 17:44:51 (consulta levou 0.074954s)