Nome do Projeto
TECENDO A QUALIDADE DO LUGAR: Espacialidades, urbanidades e lugares em ação
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
15/01/2019 - 21/02/2021
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Resumo
Projeto de pesquisa alinhado com a perspectiva sociotécnica discute o entendimento de edifícios e lugares em ação como urbanidades, laboratórios ou interfaces que aprendem e performam conhecimentos que, além de modelados por diferentes 'políticas ontológicas', são a um só tempo, situados ou localizados e globais. Para explorar como ele inclui Outros, recorre à quatro espacialidades da ciência propostas por John Law e Annemarie Mol – a euclidiana, cuja relevância tende a ser naturalizada, a de redes, a fluida e a do fogo. Para explicar como as espacialidades da ciência se produzem e se misturam nos lugares em ação e recrutam Outros aliados, recorre à metodologia da Cartografia de Controvérsias para explorar os processos de fabricação de um conjunto de edifícios e lugares em ação da Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro/RJ e de escolas municipais de educação infantil (EMEIs) do Programa Proinfância construídas nos municípios de Pelotas/RS e Erechim/RS que, além de locais, regionais e globais, são dispositivos 'móveis imutáveis', 'móveis mutáveis' e 'imóveis mutáveis', territórios contestados que não podem ser reduzidos àquilo que "são" ou "significam". A reflexão sobre as associações entre pessoas e coisas, matéria e significado deve contribuir para a produção de ontologias alternativas para esses 'Objetos' desordenados e evasivos que são os edifícios e lugares em ação e seus modos de 'estar presente', bem como para a formulação de diretrizes para políticas públicas e práticas cotidianas com vistas a tornar os edifícios e lugares em ação mas 'resilientes'.

Objetivo Geral

3.1 Objetivo Geral:
A pesquisa tem como objetivo geral explorar e cartografar as controvérsias e as dinâmicas sociotécnicas que se produzem nos atravessamentos envolvendo (a) um conjunto de edifícios e lugares em ação na Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro e (b) no entorno das Escolas Municipais de Educação Infantil do Programa Proinfância em Pelotas/RS e Erechim/RS, bem como os reflexos dos quatro diferentes tipos de espacialidades da ciência – euclidiana, das redes sociotécnicas, fluida e do fogo – em suas urbanidades no plural.
- Entrelaçar a produção dos grupos NAUrb - Núcleo de Pesquisa em Arquitetura e Urbanismo, Cidade+Contemporaneidade of science - Euclidean, sociotechnical networks, fluid and fire – in their plural urbanities.e TGAC - Tecnologia e Gestão do Ambiente Construído (PROGRAU/UFPel) e ProLUGAR – Qualidade do Lugar e Paisagem; GAE – Grupo Ambiente-Educação e CCSCT - Cultura Contemporânea: subjetividade, conhecimento e tecnologia da UFRJ;
- Selecionar edifícios e lugares em ação (a) Escolas Municipais para a Educação infantil (EMEIs) do Programa Proinfância em Pelotas/RS e Erechim/RS, e (b) Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro, reunindo os referenciais conceituais e metodológicos dos CTS, da TAR e da AU;
- Explorar as relações e formas de subjetivação e sociabilidade que emergem dos modos de ser e habitar um conjunto edifícios e lugares em ação (EMEIs nos municípios de Pelotas/RS e Erechim/RS e Zona Portuária da cidade do Rio de Janeiro;
- Cartografar práticas e enunciados que operam a partir das ações que produzem nos edifícios e lugares em ação selecionados;
- Atentar para as ressonâncias que emergem das quatro espacialidades da ciência – euclidiana, de redes, fluida e do fogo (Law; Mol 2000) – no cotidiano dos coletivos edifícios ou lugares em ação observados;
- Relacionar a paisagem natural ou edificada, as intervenções e as inovações tecnológicas, bem como seus modos de associação se comportam e são apropriadas na vida cotidiana dos cidadãos comuns;
- Produzir (a) um conjunto de diretrizes para a formulação de Políticas Públicas e práticas cotidianas capazes de contribuir para o planejamento de ações e a tomada de decisões com vistas a reforçar a vitalidade do conjunto de edifícios e lugares em ação observados e tornar as cidades 'resilientes' e (b) um conjunto de recomendações e diretrizes projetuais para EMEIs nos contextos sociotécnicos de Pelotas/RS, Erechim/RS e Zona Bioclimática 2.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANA ARAUJO PORTELLA215/01/201921/02/2021
EDUARDO GRALA DA CUNHA415/01/201921/02/2021
EDUARDO ROCHA215/01/201921/02/2021
FABÍOLA BELINGER ANGOTTI401/01/201921/02/2021
JULIANA MEIRELLES GUERRA1001/01/201921/02/2021
MARCELO HAMILTON SBARRA1001/01/201121/02/2021
NIRCE SAFFER MEDVEDOVSKI215/01/201921/02/2021
THALITA DOS SANTOS MACIEL2001/01/201921/02/2021

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 79.200,00

Página gerada em 13/11/2019 07:55:18 (consulta levou 0.077833s)