Nome do Projeto
Projeto Vida de Inseto
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/06/2017 - 28/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Meio ambiente
Linha de Extensão
Divulgação científica e tecnológica
Resumo
O projeto Vida de Inseto se caracteriza por ser polivalente, ou seja, ele pode ser aplicado para diversos níveis de ensino, diferentes faixas etárias, em escolas públicas ou privadas e tanto para discentes como para docentes. A metodologia utilizada nas oficinas será de apresentação do tema através de uma roda de conversa inicial com o uso de slides e vídeos. Posteriormente, serão utilizadas as caixas entomológicas e espécimes de artrópodes conservados em álcool 70% para a comparação dos grupos aparentados e reforço dos conceitos apresentados. Em seguida, retorna-se ao tema através do uso de filmes de animações, como por exemplo o Vida de Inseto, para análise de erros e de curiosidades. Como o público alvo do projeto é variável, se faz necessária sempre uma adequação de linguagem para o público das oficinas. Na apresentação teórica se faz uma abordagem em relação às características básicas (morfologia e anatomia), a evolução, motivos que tornaram os insetos um grupo bem sucedido e com tamanha diversidade, bem como curiosidades e importância. Na parte prática, mostramos diferentes espécies de insetos, unindo o que foi apresentado ao cotidiano dos alunos. A avaliação da atividade será realizada através de questionário semiestruturado a serem respondidos pelo público alvo desse projeto.

Objetivo Geral

Objetivo geral
- Facilitar através de uma metodologia teórica, prática e interativa o ensino de entomologia nas escolas de ensino básico.
Objetivos específicos
- Incentivar o ensino prático e interativo de Ciências e de Biologia nas escolas;
- Discernir os insetos de outros artrópodes (aracnídeos, crustáceos e miriápodes) através de análise morfológica simples;
- Contribuir para a percepção da importância ambiental, médica e econômica dos insetos e possibilitar um ambiente de criticidade na visão biológica;
- Ressaltar que grandes produções cinematográficas podem cometer erros por falta de pesquisa quanto às estruturas básicas e a sistemática de grupos distintos, mas também mostrar o lado positivo das diversas curiosidades que essa mídia pode proporcionar as aulas de ciências;
- Aprender técnicas de conservação, preparação e montagem de insetos para confecção de coleções entomológicas didáticas.

Justificativa

O ensino de entomologia faz parte do conteúdo das grades curriculares da maioria dos níveis de educação, tanto Fundamental quanto Médio e no superior no caso dos estudantes de Ciências Biológicas e ou Agronomia. A entomologia não é ensinada como um conteúdo em si, mas está contida na parte de Reino Animal e Fisiologia comparada.
Entretanto, muitos professores não tem uma visão de quanto o estudo dos insetos pode ser elucidativo tanto para crianças como para adolescentes e adultos. Pois, não se trata de um grupo de animais raros ou que eles provavelmente nunca verão, pelo contrário, estamos falando do grupo de animais mais bem sucedidos na questão de diversidade de espécies e abundância de espécimes, segundo a maioria dos especialistas no assunto. Visto que mais de um milhão e meio de espécies descritas no planeta, aproximadamente um milhão sejam de insetos, ou seja, quase 67% e que esses números são só das já descritas, há estimativas de que o número de espécies de insetos sejam superiores a 5 milhões.
Em nosso cotidiano temos acesso a várias informações relacionadas ao conhecimento científico, veiculadas pela mídia, sendo que algumas vezes são contraditórias, isto se aplica também as informações sobre os insetos. Se não possibilitarmos ao aluno acompanhar e dominar minimamente o conhecimento científico, ele não terá condições de posicionar-se criticamente em relação a essas informações.
De acordo com Santos e Souto (2011) as aulas práticas são essenciais na aprendizagem de Ciências, uma vez que a boa formação dos estudantes passa por experiências que transcendem o campo teórico e despertam nos alunos a curiosidade e o interesse de investigação dos diferentes componentes da natureza. Deste modo, não há como não dar a devido relevância ao ensino da entomologia utilizando esta metodologia, ainda mais que é um tema que pode compreender diversos tipos de recursos didáticos, não só as aulas expositivas teóricas, mas também modelos didáticos, saídas de campo, experimentação e interatividade com filmes de animação, reportagens entre outros.
Muitos docentes reclamam da falta de tempo para preparo de material e da falta de tempo para aulas práticas as quais são muito importantes para facilitar a aprendizagem das Ciências Naturais. Neste contexto as coleções didáticas, as quais são feitas para serem manuseadas em sala de aula, são recursos potenciais para se ensinar ciências. Podem ser utilizadas para ensinar morfologia externa e interna dos insetos, visualizar estruturas como asas, aparelho bucal, pernas, entre outros. Também podem ser bastante útil para o estudo da taxonomia e classificação dos insetos em grupos que compartilham características comuns (as diversas ordens da classe Insecta); relações ecológicas, relacionar aparelho bucal e pernas ao hábito de vida e hábito alimentar dos diversos grupos, dentre outros conteúdos (LIMA Jr, 2013).
Portanto, esse projeto se justifica por estimular o ensino de entomologia nas escolas, bem como disseminar práticas didáticas alternativas para facilitar o processo de aprendizagem.

Metodologia

O projeto Vida de Inseto se caracteriza por ser polivalente, ou seja, ele pode ser aplicado para diversos níveis de ensino, diversas faixas etárias tanto em escolas públicas como privadas, assim como para discentes ou para docentes.
A metodologia a ser utilizada será de palestras, oficinas e/ou mostras a serem desenvolvidas em escolas, eventos de formação continuada de professores ou eventos científicos.
Quando a atividade for “minicursos” ou “oficinas” o método utilizado será de apresentação do tema utilizando o projetor multimídia. Na parte teórica se faz uma abordagem em relação às características básicas, a evolução, curiosidades e importância. Posteriormente, na parte prática, utilizando-se um kit de artrópodes, realiza-se uma atividade onde o público faz a comparação de um espécime de inseto com outros artrópodes conservados em álcool 70% (aranha, escorpião, tatu-bola e lacraia) e selecionam, individualmente, quais eles acreditam serem insetos e quais não. Após, os ministrantes farão a correção e explicarão os porquês dos outros artrópodes não serem insetos baseados na morfologia.
Em seguida, retorna-se ao recurso de projeção abordando-se cenas do filme Vida de Inseto ou outro selecionado de acordo com o tema, para análise de erros e de curiosidades.
Como o público é variável, sempre será feita uma adequação de linguagem para o nível de cognição pertinente a determinada faixa etária.
A manutenção e organização das caixas entomológicas será realizada pelos alunos colaboradores do projeto, sob supervisão de um professor orientador do departamento de Ecologia, Zoologia e Genética/IB, a partir de espécimes doadas de coleções didáticas das disciplinas de entomologia.

Indicadores, Metas e Resultados

Número de escolas atendidas;
Número de alunos atendidos;
Publicações em eventos e revistas;
Número de universitários participando das ações.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALDO GIRARDI POZZEBON
ALISON ACOSTA MUNHOS
AMANDA MARTINS SILVA
BEATRIZ HELENA GOMES ROCHA2
EDISON ZEFA1
JANUZA FONTES VASCONCELOS
JOYCE DE MORAIS SOUZA
JÉSSICA EL KOURY SANTOS
JÚLIA FLORES CORREA
LUANA BUENO LONGARAY
MARCO ANTONIO TONUS MARINHO1
MAYANA RABÊLO MOSCOSO
NICHOLAS FARIAS DA ROSA
REJANE PETER
VERA LUCIA BOBROWSKI1
VICTOR RIBEIRO ACOSTA
VIVIANE AGUILAR VIGHI

Página gerada em 10/04/2021 15:50:47 (consulta levou 0.083445s)