Nome do Projeto
Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
28/11/2018 - 27/11/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Biológicas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Educação
Linha de Extensão
Patrimônio cultural, histórico e natural
Resumo
O Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter apresenta em seu acervo uma importante coleção representativa da biodiversidade do Bioma Pampa. Conservar este patrimônio e levar o conhecimento à comunidade são importantes atividades desenvolvidas pelo Museu e capazes de despertar o interesse pelo conhecimento e conservação da biodiversidade. Dentre os principais desafios reconhecidos, destacam-se a falta de um diagnóstico atual sobre o acervo, de uma catalogação sistematizada da coleção, de profissionais especializados e os problemas relacionados à conservação do acervo. Como perspectivas, são apontadas a disponibilização das informações sobre a coleção através da informatização do acervo, incrementar as ações de ensino, pesquisa e extensão no Museu através da integração de estudantes e professores de distintas áreas abrangidas por cursos da Universidade Federal de Pelotas, reelaborar a expografia do Museu através da adequação da reserva técnica e da dinamização das exibições, elaborar um plano museológico e implementar uma associação de amigos do Museu.

Objetivo Geral

Valorizar e dar visibilidade ao acervo e à cultura associada ao Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter, frente ao Instituto de Biologia, à Universidade Federal de Pelotas e à comunidade, atuando diretamente para otimizar a atração de visitantes e a experiência museal como retorno à comunidade de Pelotas e região.

Justificativa

Transformar o conhecimento científico e informar a comunidade acerca dos valores ambientais é compromisso e obrigação do Estado. Esta transposição de informações torna os resultados das pesquisas científicas acessíveis à comunidade de diferentes formas, possibilitando o conhecimento sobre a biodiversidade e contribuindo para a sua preservação. O papel dos museus enquanto instrumento educativo é tema de discussão entre tomadores de decisões. O primeiro passo para definir estratégias e diretrizes para a manutenção da coleção do MCNCR é diagnosticar a situação então existente e apontar o que necessita ser modificado. Assim como as espécies na natureza, coleções biológicas também podem se extinguir e clamam por recursos, por pessoal técnico de apoio, por amostragem adequada, por espaço físico adequado, por boas condições de armazenamento e preservação dos exemplares e por reconhecimento.
A falta de profissionais qualificados nas áreas de biologia e de museologia implica diretamente na dificuldade de estabelecer processos de conservação preventiva do acervo e na detecção precoce de agentes de degradação. Além disto, a combinação entre falta de espaço adequado para abrigar coleção e a reserva técnica e a quase totalidade do acervo ser permanentemente exibido ao público resultam em maior exposição do acervo aos agentes de degradação. A exibição permanente fixa e contínua diminui a atratividade do museu para o público em geral. A modernização da coleção, inserindo mais informações biológicas e culturais relacionadas às peças exibidas gera conteúdo educativo mais aprofundado e constitui também um atrativo maior aos visitantes. Parte destes problemas é solucionado através da organização de exibições temporárias, entretanto, a falta de recursos para a manutenção destas exibições sobrecarrega os curadores com todo o ônus dispendido.
Atualmente a catalogação do acervo do MCNCR não é completa e reflete várias tentativas de organização através de diferentes modelos de etiquetas e de números de tombo sobrepostos. A catalogação sistematizada de todo o acervo, incluindo tanto o acervo zoológico quanto documentos é imprescindível para o planejamento adequado de médio e longo prazos e para a preservação da memória e do patrimônio do museu.
As instituições de ensino e de pesquisa passam atualmente por um momento de fragilidade frente às inconstantes concepções políticas adotadas. Políticas públicas institucionais devem assegurar a manutenção adequada das coleções e a difusão do conhecimento gerado através de programas de ensino, pesquisa e extensão.

Metodologia

Formação especializada: com o intuito de integrar os estudantes da UFPel às atividades do Museu, alunos serão treinados para atuar como monitores dos visitantes, conduzindo o público pelas exibições e otimizando as informações relacionadas a cada mostra. Os alunos participarão de atividades de formação, incluindo grupos de estudos e palestras, ministrados pelos servidores do Museu para que estejam capacitados a receber os visitantes e praticar atividades de ensino e de extensão. Além disto, alunos de cursos de áreas correlatas ao Museu também receberão treinamento para atuar em museus de ciências, oferecendo apoio às atividades relacionadas ao Museu, incluindo atividades de informática, de identidade visual, de divulgação, de documentação e de conservação.
Visitas guiadas: as visitas guiadas oferecerão aos visitantes uma experiência ampliada através da otimização das informações culturais e biológicas relacionadas ao acervo. Os visitantes serão guiados pelos servidores do Museu e por estudantes capacitados para esta atividade. Informações sobre a biologia, ecologia e conservação dos animais presentes na coleção serão oferecidas juntamente com informações culturais e históricas relacionadas ao patrono do Museu. Durante as exibições temporárias, ações específicas serão desenvolvidas para demonstrar na prática os assuntos abordados. Desta forma será possível aproximar ainda mais os visitantes, sobretudo estudantes do ensino básico, despertando o interesse pela Ciência e a sensibilidade para a conservação da biodiversidade.
Catalogação e informatização: todo o acervo do MCNCR será catalogado utilizando planilhas digitais, onde cada peça do Museu terá toda a sua informação associada digitada para compor um banco de dados completo sobre o acervo. Estes dados serão disponibilizados em rede através da plataforma SIBBR, contribuindo para o conhecimento sobre a biodiversidade do Bioma Pampa. Além do acervo do Museu em exibição, serão também catalogados toda a coleção presente na reserva técnica, a coleção de pesquisa presente nos laboratórios dos curadores específicos, a documentação histórica, literatura, bens móveis, dentre outros. A documentação completa do acervo do Museu será imprescindível para assegurar a sua conservação e para melhorar a comunicação com a comunidade através de um melhor planejamento das exibições.
Conservação preventiva: todo o acervo do Museu será analisado e categorizado de acordo com o estado atual de conservação. Serão utilizadas fichas para a análise e classificação sistematizada do acervo. Todas as peças identificadas como necessitando de cuidados técnicos para conservação serão removidas para a reserva técnica para receber os devidos cuidados. Peças que necessitam de cuidados especiais acabam por tornar a exibição desinteressante aos visitantes, principalmente quando se trata de animais taxidermizados que sofreram com a ação do tempo e com agentes de degradação. É importante identificar estes agentes e remover estas peças da coleção suprimindo o contato do público com as peças danificadas e garantindo a preservação da peça. A partir da identificação da necessidade de ações para conservar o acervo danificado, profissionais conservacionistas serão acionados para auxiliar na manutenção da coleção.
Modernização das exibições: a reestruturação da coleção partirá da seleção das peças em melhor estado de conservação apontadas na análise preventiva. Atualmente toda a coleção é exibida permanentemente, tornando a coleção menos atrativa para os visitantes que já conhecem o Museu. O resgate histórico sobre aspectos culturais relacionados ao Carlos Ritter e à confecção de várias peças do acervo proporcionará uma abrangência maior de áreas correlatas ao Museu, atraindo um maior público interessado não somente em Ciências Naturais, mas também na história e na cultura da região. A partir da reestruturação da reserva técnica será possível garantir a preservação adequada do acervo e a seleção de peças de maior interesse para compor exibições temporárias temáticas e exibições semipermanentes de média ou longa duração. Ao mesmo tempo, a elaboração de novas formas de exibir a coleção será importante para atrair um maior público. Assim, será confeccionado um diorama retratando o Bioma Pampa e sua biodiversidade, através da disposição de animais taxidermizados selecionados juntamente com a pintura de um painel e utilização de plantas nativas e esculturas, conforme a necessidade.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicador 1. Formação de mão de obra qualificada.
Meta 1. Treinar pelo menos dez alunos a cada semestre em atividades relacionadas ao Museu.
Meta 2. Promover o estudo em grupo de assuntos relacionados ao Museu.
Resultados esperados. Integrar alunos dos diferentes cursos da UFPel em atividades do Museu. Utilizar o MCNCR como palco para as práticas discentes, incluindo a formação didática dos alunos que participarão das atividades de monitoria. Desenvolver habilidades de alunos em diferentes áreas correlatas ao Museu.
Indicador 2. Disponibilização de monitores para visitas guiadas.
Meta 1. Selecionar monitores para guiar os visitantes no Museu.
Meta 2. Otimizar a vivência museal dos visitantes através da complementação de informações relacionadas ao acervo.
Resultados esperados. Despertar nos visitantes uma maior aproximação cultural com o Museu, despertando a conscientização ambiental e sobre a conservação da biodiversidade. Promover o conhecimento dos visitantes sobre a história de Carlos Ritter, através da relação entre o acervo do Museu e as atividades culturais, sociais, políticas e comerciais do patrono, relacionadas à coleção.
Indicador 3. Catalogação da coleção do MCNCR.
Meta 1. Digitalizar toda a coleção do Museu, incluindo informações sistematizadas acerca do acervo.
Meta 2. Disponibilizar as informações biológicas acerca do acervo em plataformas em rede.
Resultados esperados. Obter um catálogo atual e completo do acervo do Museu, incluindo além da coleção biológica, todo o acervo documental e bibliográfico do Museu. Ampliar a divulgação científica acerca da biodiversidade do Bioma Pampa, através da disponibilização das informações sobre os espécimes presentes no acervo. Assegurar a manutenção e conservação do acervo.
Indicador 4. Conservação do acervo.
Meta 1. Analisar e inventariar todo o acervo de acordo com categorias de estado atual de conservação pré-estabelecidas.
Meta 2. Identificar os principais agentes de degradação presentes no acervo.
Meta 3. Avaliar quais peças podem ser exibidas e quais devem ser removidas para a reserva técnica para o aguardo de ações de conservação preventiva.
Resultados esperados. Obter um panorama geral sobre o estado de conservação da coleção, buscando ações concretas de conservação para as peças danificadas. Minimizar a ação de agentes de degradação na coleção. Disponibilizar um acervo selecionado e mais atrativo para os visitantes.
Indicador 5. Reelaboração das exibições.
Meta 1. Reestruturar a exibição permanente, apresentando apenas peças em bom estado de conservação.
Meta 2. Incluir nas exibições um maior caráter histórico e cultural.
Meta 3. Elaborar exibições semipermanentes de médio e de longo prazos para garantir uma dinâmica nas mostras do Museu.
Meta 4. Confeccionar um diorama retratando o Bioma Pampa.
Resultados esperados. Pretende-se ampliar e diversificar o público do MCNCR através de uma dinamização das exibições e da atração de um público interessado não somente em biodiversidade, mas também em aspectos culturais e históricos relacionados ao acervo. Alternar com maior dinâmica as exibições atraindo maior público. Reestruturar as exibições, modernizando as instalações do Museu.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA DIAS PRIESTCH
CAROLINA SILVEIRA REGIS14
DANIEL ANDRE DE CARVALHO
GABRIEL SCHUBERT MARTEN
GABRIELA BORCHARTT DA SILVA
GABRIELA MEDEIROS FERREIRA
GIOVANNI NACHTIGALL MAURICIO1
ISADORA DIAS ROMAGNOLI
JOÃO RICARDO VIEIRA IGANCI5
JOÃO VICENTE SILVEIRA SAVACINSKI
LUCAS DE MEDEIROS DA COSTA
LUCAS MATTOS CANDIOTA
MARIANA BRAUNER LOBATO
MARINA RIBEIRO CARDOSO
MAURO MASCARENHAS 13
RAQUEL LUDTKE2
ROBERTO HEIDEN2
STHEFANIE VARGAS MUNHOZ
VICTORIA RAUPP ALVES
VITOR RODRIGUES DA SILVA

Página gerada em 24/10/2019 01:33:06 (atualização a cada 15 minutos)