Nome do Projeto
Observatório Global de Cuidados Odontológicos - Global Observatory for Dental Care - GODeC
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/10/2019 - 30/09/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Este projeto objetiva a elaboração de Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica em Saúde Bucal embasados na melhor evidência científica disponível. Equipes de revisores de evidência realizarão a síntese do conhecimento científico e elaborarão Protocolos Clínicos para práticas em saúde. Os Protocolos serão então avaliados por um painel de especialistas e submetidos à Consulta Pública. Está prevista a difusão do conhecimento gerado pelos Protocolos tanto para profissionais da Atenção Primária quanto para a população. Adicionalmente, esse projeto compreenderá ações de ensino para pesquisadores e estudantes da área da saúde, focadas em métodos para a síntese e tradução do conhecimento, e em ciência de implementação. Por fim, esse projeto possuirá ações de extensão, onde os conhecimento gerados a partir da síntese do conhecimento serão sistematicamente transformados em guias para a prática clínica, e em recomendações para práticas em saúde, com previsão de ampla difusão através de mídias sociais e convencionais, a fim de impactar diretamente nos serviços de saúde e na percepção da população usuária desses serviços.

Objetivo Geral

Este projeto tem como objetivo geral estabelecer uma iniciativa brasileira para elaboração e difusão de Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica (Clinical Practice Guidelines), com foco na Saúde Bucal, com base em rigor metodológico e com a utilização de ferramentas de avaliação internacionalmente referenciadas.

Justificativa

O papel preponderante das diretrizes de saúde é ajudar na tomada de decisões baseadas em evidências para indivíduos, populações e sistemas na área da saúde. Diretrizes de cuidados de saúde (health care guidelines) e sua implementação apropriada são de interesse para as organizações nacionais, sociedades profissionais, prestadores de cuidados de saúde, gestores públicos, pacientes e usuários dos serviços e sistemas de saúde.
O desenvolvimento de protocolos ou diretrizes para a prática clínica pode ser realizado de três formas: (1) adotar as recomendações existentes em outros contextos ou países como elas são; (2) adaptar as recomendações existentes ao contexto de interesse; ou (3) desenvolver novas recomendações com base nas sínteses de evidências disponíveis. Embora todas essas abordagens devam começar com a identificação de painéis de diretrizes apropriados, as abordagens diferem de maneira importante em relação aos métodos e investimentos necessários.
No contexto brasileiro e em especial na área de saúde bucal, a maioria dos manuais e diretrizes disponibilizadas nos documentos oficiais do Ministério da Saúde não utilizam metodologias internacionalmente referendadas para assegurar que as recomendações que estão sendo propostas sejam baseadas na melhor evidência científica disponível para aumentar a efetividade das intervenções. Em um sistema amplo e de cobertura universal como o brasileiro, essa falta de evidência como base para a tomada de decisões pode comprometer a qualidade dos serviços prestados, diminuindo a efetividade e aumentando os custos de maneira irracional. Desse modo, a organização de uma força-tarefa para promover a adaptação de protocolos e diretrizes existentes ou a elaboração de novos protocolos ou diretrizes para a prática clínica para o contexto brasileiro, focado nas necessidades da Atenção Primária em Saúde Bucal, pode elevar significativamente a qualidade dos serviços prestados no Sistema Único de Saúde. Através da adequada produção e implementação destas diretrizes, o modelo brasileiro de atenção à saúde bucal, pode aumentar sua visibilidade e reconhecimento internacional como a experiência mais extensa e significativa dentre todos os sistemas públicos disponíveis no mundo, tornando-se um exemplo de efetividade, qualidade e abrangência.

Metodologia

Serão utilizados como base para elaboração das diretrizes para a prática clínica (DPCs) as Diretrizes Metodológicas para Elaboração de Diretrizes Clínicas do Ministério da Saúde, além de outros documentos norteadores e metodológicos chancelados pelo Ministério da Saúde. Adicionalmente, serão utilizados como referência estratégias e diretrizes metodológicas adotadas por outros países com tradição em elaboração de DPCs para sistemas abrangentes de saúde, como as recomendações para elaboração de Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica da Organização Mundial da Saúde e as recomendações da iniciativa GRADE-ADOLOPMENT.
Para adoção ou adaptação de diretrizes clínicas já implementadas em outros cenários, serão utilizadas as estratégias descritas pela iniciativa GRADE-ADOLOPMENT, além, de ferramentas propostas pela ADAPTE Collaboration, que incluem a avaliação crítica da qualidade dos Protocolos para a Prática Clínica existentes utilizando a ferramenta AGREE II.
Para elaboração de estratégias de tradução do conhecimento, serão utilizadas as estratégias descritas na Diretriz Metodológica para Síntese de Evidências para Políticas (Ministério da Saúde).

Indicadores, Metas e Resultados

- Obtenção de protocolo metodológico detalhado para a adaptação ou produção de Diretrizes para a Prática Clínica no contexto da Atenção Primária em Saúde Bucal. Indicador: entrega do protocolo e disponibilização em acesso aberto;
- Entrega de 22 Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica em temas prioritários para a atenção primária em saúde bucal. Indicador: entrega das 22 diretrizes dentro do período de vigência do projeto;
- Organização e implementação de uma estratégia para consulta pública dos Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica elaborados, incluindo a fase de apreciação por comitês de especialistas. Indicador: entrega de relatório descrevendo o processo de consulta pública e da incorporação das sugestões às diretrizes e protocolos.
- Aumento da qualidade, da visibilidade e do impacto das ações na atenção primária em saúde em Saúde Bucal, através da disponibilização nos serviços de Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica elaborados com elevada qualidade metodológica. Indicador: melhora percebida pelos usuários do sistema (obtida por amostragem) após a implementação dos Protocolos e Diretrizes para a Prática Clínica.
- Treinamento de pesquisadores para a síntese e tradução do conhecimento. Indicador: capacitação de 20 pesquisadores em um prazo de 3 anos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA BEATRIZ LIMA DE QUEIROZ
BRUNA MUHLINBERG VETROMILLA
CESAR DALMOLIN BERGOLI5
CINTHIA STUDZINSKI DOS SANTOS
EDUARDO DICKIE DE CASTILHOS6
FRANCISCO WILKER MUSTAFA GOMES MUNIZ5
FRANCOISE HELENE VAN DE SANDE LEITE5
GIANA DA SILVEIRA LIMA6
HELENA SILVEIRA SCHUCH
LAYLLA GALDINO DOS SANTOS
MARCOS BRITTO CORREA5
MARILIA LEAO GOETTEMS5
MARINA CHRIST FRANCO
MARINA CHRIST FRANCO
MARINA SOUSA AZEVEDO5
MAXIMILIANO SERGIO CENCI2
RAFAEL RATTO DE MORAES6
TAMIRES TIMM MASKE
TATIANA PEREIRA CENCI6
THAIS MAZZETTI
YASMIM NOBRE GONCALVES
ÂNDREA PIRES DANERIS

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
MS / Ministério da SaúdeR$ 326.670,00Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
BolsasR$ 211.200,00
Despesa administrativa da fundação de apoioR$ 29.827,43
Outros serviçosR$ 62.392,57
Passagens e despesas com locomoçãoR$ 11.000,00
Despesas com diáriasR$ 7.000,00
Material de manutenção de máquinas e equipamentosR$ 5.250,00

Página gerada em 08/07/2020 11:55:04 (consulta levou 0.156152s)