Nome do Projeto
Registros
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
08/11/2019 - 08/11/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Meio ambiente
Linha de Extensão
Desenvolvimento regional
Resumo
O projeto visa investigar e avaliar a importância da pesca nas atividades sociais e econômicas da Vila de Santa Isabel do Sul, comunidade de pescadores localizada às margens do canal de São Gonçalo, no município de Arroio Grande, RS. A partir da metodologia da arqueologia etnográfica serão realizadas atividades de observação participante na comunidade, com o objetivo de compreender a vida das pessoas a partir das relações materiais que estes estabelecem com seus territórios, peixes e saberes tradicionais. Como formas de ação serão propiciadas intervenções conjuntas a partir da realização de palestras e cursos com temas relevantes.

Objetivo Geral

Desenvolver atividades de arqueologia etnográfica na vila de Santa Isabel do Sul, comunidade de pescadores localizada às margens do canal de São Gonçalo, no município de Arroio Grande, RS.
A partir disso, desdobram-se os objetivos específicos:
Compreender e mensurar a importância da pesca nas atividades econômicas realizadas na vila;
Registrar e monitorar as atividades de pesca realizadas pelos moradores da vila;
Executar um levantamento da materialidade utilizada pelos pescadores nas atividades pesqueiras;
Georreferenciar locais de atividade em terra (tratamento do peixe, comercialização do peixe, etc) e em água (locais tradicionais de pesca - pesqueiros);
Verificar os impactos da sazonalidade nas atividades pesqueiras da comunidade;
Investigar os impactos sociais e ambientais ligados a pesca, gerados pela Eclusa do Canal de São Gonçalo (inaugurada em 1977).

Justificativa

Santa Isabel do Sul, atual distrito do município de Arroio Grande, está localizada às margens do canal de São Gonçalo e há poucos quilômetros do sangradouro da Lagoa Mirim. Essa pequena vila de pescadores já foi um dos marcos do povoamento da região sul do RS e, em fins do século XIX, durante a época de grande crescimento econômico decorrente do escravismo e das charqueadas chegou a ser, por mais de uma década, um município independente onde luxuosos casarões foram construídos pela sua elite agrária.
No marco dos acordos firmados entre Brasil e Uruguai no que concerne ao desenvolvimento regional e sustentável da Bacia da Lagoa Mirim, a atuação na vila de Santa Isabel do Sul, se traduz pela necessidade de encontrar caminhos, com a participação da comunidade, para o engajamento com os fenômenos sócio-materiais e, consequentemente, pensar alternativas possíveis para os problemas sociais, políticos, econômicos e ecológicos período atual.

Metodologia

Os procedimentos metodológicos derivam das orientações de uma pesquisa etnoarqueológica, ou, neste caso, de uma arqueologia etnográfica. Consiste no trabalho com comunidades no presente através da utilização da etnografia como principal metodologia de coleta de dados.
Por meio da observação participante, isto é, na convivência com os agentes de pesquisa em suas vidas cotidianas, busca-se compreender as relações materiais que estes estabelecem com seus territórios, peixes e saberes tradicionais. A partir da descrição detalhada dessas relações a materialidade é o ponto de partida para compreender a vida das pessoas. Com isso, a etnografia arqueológica tem por objetivo final, a construção de narrativas sobre a vida dos agentes através das coisas.
Além disso, destacam-se mais alguns procedimentos metodológicos importantes para a aplicação do projeto:
A realização de entrevistas semi-estruturadas; o objetivo é levantar dados pontuais sobre a vida dos pescadores na comunidade e, além disso, registrar histórias locais e relatos sobre as atividades, paisagens e peixes da região.
Registrar os materiais de pesca; através de desenhos e fotografias inventariar e compreender as artepescas utilizadas na região;
Realizar um levantamento periódico de bibliografia sobre o tema do projeto.
Intervenções conjuntas com os pescadores; com a realização de palestras e cursos rápidos com temas relevantes para os agentes de pesquisa;

Indicadores, Metas e Resultados

Aproximação entre as atividades desenvolvidas pela UFPel e as demandas apontadas pela comunidade.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARIANE VARGAS MACHADO
DIOGO TRADE OLIVEIRA GOMES
HELOISE DE OLIVEIRA WOEHL
ISABELA LOURENCO CRUZ
JULIANY DE ABREU CAVALCANTE
JÚLIA BRAGA DOS SANTOS
LEONARDO DA SILVA SENS
LUCAS ANTONIO DA SILVA
Laura Pereira Furquim
MARIA EDUARDA FERREIRA SANTANA
NATÁLIA DE OLIVEIRA TAVARES
PEDRO HENRIQUE CAETANO
RAFAEL CORTELETTI6
TAMARA OLIVEIRA SILVA

Página gerada em 23/07/2024 09:41:47 (consulta levou 0.101185s)