Nome do Projeto
Ações de Preservação do Patrimônio Ambiental, Histórico e Arqueológico da Região Meridional do Rio Grande do Sul
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/09/2020 - 01/02/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Educação
Linha de Extensão
Patrimônio cultural, histórico e natural
Resumo
A região meridional do Estado do Rio Grande do Sul, ocupada principalmente pelo Bioma Pampa, apresenta uma grande riqueza biológica e um número muito grande de sítios históricos e arqueológicos, muito deles ainda desconhecidos ou pouco estudados. Esta região foi ocupada por diversas etnias desde um período de aproximadamente 10.000 anos e mais recentemente, a partir do século XVIII foi o palco de encarniçados conflitos bélicos na delimitação das atuais fronteiras nacionais. Também abrange uma grande extensão das antigas estâncias missioneiras, das quais se conservam muitas das ruínas. Além deste rico patrimônio in situ, se conservam em museus estaduais, municipais e particulares, assim como na mão de colecionistas privados e membros das comunidades locais, uma grande quantidade de artefatos históricos e arqueológicos. Estas coleções, compostas de uma grande diversidade de objetos de diferentes materialidades se encontram também em distintos estados de integridade e com um grau de informação contextual muito variável. A ideia principal deste projeto é sensibilizar aos distintos atores sociais acerca da importância da preservação do patrimônio e capacitar no tratamento de conservação curativa dos artefatos, no acondicionamento dos mesmos e na musealização de sítios e coleções. No mesmo sentido, pretende-se sensibilizar sobre a conservação dos palmares do gênero Butia (elemento natural que foi amplamente empregado pelas etnias originais desde século antes da colonização) e da biodiversidade associada. Desta forma, a preservação desses componentes ambientais e culturais possibilitarão, além da sua conservação ao longo do tempo, subsidiar o desenvolvimento sustentável das distintas comunidades. Estas duas linhas principais de ação já vêm sendo executadas pela equipe do Laboratório Multidisciplinar de Investigação Arqueológica desde o ano de 2011, porém enquadradas dentro de diversos projetos de pesquisa deste laboratório, assim como de outras instituições nacionais e estrangeiras. Consequentemente, a equipe conta com muita experiência neste tipo de atividades.

Objetivo Geral

Preservar o patrimônio histórico, arqueológico e ambiental da região meridional do Estado do Rio Grande do Sul é preservar a cultura local. Deve ser feito por meio do intercâmbio de saberes e de conhecimentos, desenvolvendo atividades que estimulem a participação dos distintos atores sociais, interligando ensino e pesquisa universitária com as necessidades e demandas presentes das comunidades locais.

Justificativa

O patrimônio histórico e arqueológico da região meridional do Rio Grande do Sul encontra-se sob a ameaça de um conjunto de fatores antrópicos, como a instalação de grandes extensões de monoculturas (pinheiros, eucaliptos, acácia negra ou soja) e a expansão imobiliária. Muitos dos sítios de campos de batalha dos séculos XVIII e XIX, por exemplo, estão sendo descaracterizados e deteriorados pelo efeito do arado e da aplicação de fertilizantes químicos e de pesticidas nas lavouras intensivas. Da mesma forma, a produção de arroz tem ocasionado a destruição de um grande número de cerritos de índios, principalmente na fronteira sul com Uruguai. Também, por efeito da especulação imobiliária, principalmente na região costeira, diversos sambaquis e outros sítios litorais têm sido fortemente afetados. Por outra parte, as coleções em mãos de particulares e de moradores locais, assim como as existentes na maioria dos museus regionais, estão sofrendo as consequências de uma manipulação e acondicionamento impróprios, o que pode comprometer irremediavelmente seu potencial de pesquisa e de extroversão. A paisagem natural também sofre com a ação humana, e como exemplo, temos a significativa redução das espécies de palmeiras do gênero Butia no Rio Grande do Sul. Toda esta série de impactos, muitas das vezes é irreversível, porém por meio de uma série de ações de sensibilização e de capacitação local é possível reduzir e minimizar seus efeitos.

Metodologia

1. Desenvolvimento de materiais didáticos para atividades de sensibilização.
2. Desenvolvimento e ditado de capacitações para os distintos atores sociais.
3. Levantamento documental sobre sítios históricos e arqueológicos da região.
4. Relevamento a campo dos sítios patrimoniais e das áreas com remanescentes de butiazais.
5. Levantamento das necessidades atuais vinculadas com as temáticas do projeto junto à comunidade.
6. Desenvolvimento de projetos interventivos visando a estabilização de objetos ou das coleções históricas ou arqueológicas.
7. Treinamento sobre a montagem de coleções e da gestão de sítios históricos e arqueológicos.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores: número de atividades de sensibilização realizadas; quantidade de pessoas envolvidas das comunidades; número de oficinas realizadas; quantidade de artefatos tratados; número de coleções atendidas; quantidade de sítios históricos e arqueológicos alvo dos trabalhos; número de locais com butiazais prospectados; quantidade de artesãos capacitados na utilização dos recursos do butiazal.
O projeto tem como metas o envolvimento de um número expressivo de acadêmicos do curso nas atividades junto às comunidades locais, assim como a participação relevante dos distintos atores sociais, visando a preservação dos butiazais, sítios históricos e arqueológicos, coleções e artefatos.
Resultados esperados: a preservação de áreas remanescentes de butiazais, de sítios históricos e arqueológicos, coleções e objetos através da sensibilização das comunidades e do aproveitamento racional destes recursos visando a melhoria da qualidade de vida da população.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA JULIA DOS SANTOS
HELOISE DE OLIVEIRA WOEHL
JAIME MUJICA SALLES28
PEDRO LUIS MACHADO SANCHES1
SUSANA DOS SANTOS DODE
TACIANE SILVEIRA SOUZA

Página gerada em 07/08/2022 21:57:32 (consulta levou 0.072373s)