Nome do Projeto
ACERVO DE LIVROS DIDÁTICOS DO LEH/UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
01/03/2017 - 01/03/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Formação de professores
Resumo
A presença cada vez mais frequente de livros didáticos nas relações de ensino-aprendizagem e o crescimento de investigações que buscam compreender as diferentes facetas deste, que é considerado objeto cultural de difícil definição, requer necessariamente a constituição de acervos que localizem, reúnam, organizem e preservem tais fontes de estudo e pesquisa. A constituição, pelo Laboratório de Ensino de História (LEH/UFPel), de um acervo de livros didáticos de História, representa a possibilidade de salvaguarda, organização, catalogação e disponibilização desses materiais didáticos para a comunidade acadêmica e profissionais da educação. O acervo tem como proposito possibilitar práticas de ensino-aprendizagem da disciplina de História e contribuir para investigações que tomem o livro didático como fonte e objeto de estudo em pesquisas na área de Ensino de História e Educação.

Objetivo Geral

Constituir e ampliar o acervo de livros didáticos de História do LEH/UFPel destinado a pesquisas acadêmicas e práticas de Ensino de História e Educação, promovendo sua constante e crescente acessibilidade.

Justificativa

Livros didáticos fazem parte da vida de estudantes e professores no contexto brasileiro há mais de um século. Sua produção remete ao século XIX, quando eram denominados manuais escolares, compêndios, livros-textos, entre outros. Se o uso do livro didático não se apresenta como algo novo no contexto escolar, as pesquisas que tomam estes livros como fonte e objeto de estudo foram sendo desenvolvidas, especialmente, após a década de 60 do século XX. Para tanto, a constituição de acervos que reúnam e preservem tais fontes de estudo e pesquisa torna-se imprescindível. Contudo, para Choppin (2002) os livros didáticos são vítimas de seu próprio sucesso. Conforme o autor, a democratização do ensino e a extensão da escolarização levaram a uma produção editorial cada vez mais massiva. Os livros didáticos passaram a ser produzidos em dezenas de milhões de exemplares, tornando-os familiares e banais frente aos demais livros. O grande número de tiragem e de subsídios que estes materiais recebem, direta e indiretamente, contribui também para torná-los produtos editoriais comparativamente pouco onerosos e, portanto, pouco valorizados. Além disso, os livros escolares caracterizam-se como mercadorias perecíveis, que perdem valor de mercado diante de uma mudança nos métodos de ensino ou quando fatos atuais impõem-lhes modificações, levando-os ao descarte. (CHOPPIN, 2002, p. 7).
Somado à vulnerabilidade dos livros didáticos, está a inexistência de políticas de organização e constituição de acervos, assim como a ausência de métodos de organização e catalogação específicos para livros didáticos. Ainda, segundo Choppin (2002), a longevidade e a multiplicidade de reedições que caracterizam os livros escolares, não instigam os bibliógrafos a empreender trabalhos de catalogação comparáveis às edições raras. Isso pode ser percebido ao se observar os parâmetros universais de catalogação, como a CDD (Classificação Decimal de Dewey), que não contempla um código específico para livros didáticos, o que dificulta a organização dos acervos didáticos, diante das especificidades de catalogação destes materiais.
Nesse sentido, este projeto objetiva dar continuidade ao trabalho que vem sendo desenvolvido no âmbito do LEH/UFPel, ao propor um trabalho de coleta, preservação e catalogação de acervo de livros didáticos de História destinados a pesquisas acadêmicas e práticas de Ensino de História e Educação. Destaca-se, assim, o LEH como importante programa de extensão que ocupa-se em promover espaço para a formação de alunos dos Cursos de Licenciatura e Bacharelado em História e para professores que atuam na Educação Básica, incentivando o debate, a problematização e a troca de experiências para a prática pedagógica. Assim, entre outros, constitui-se também como núcleo de organização e preservação de materiais didáticos, históricos e atuais, como os livros didáticos.
O livro didático é um objeto que praticamente dispensa conceituação, definindo-se como livro utilizado na escola no processo de ensino-aprendizagem e que tem como público alvo professores e alunos. Contudo, para Bittencourt (2009) trata-se de um objeto cultural de difícil definição, que pela familiaridade de uso cotidiano, adquire, por vezes, conceito muito simplificado, sendo obra bastante complexa, que se caracteriza pela interferência de vários sujeitos em sua produção, circulação e consumo. Os livros didáticos de História, particularmente, foram ao longo dos anos alvo de vigilância em relação aos conteúdos apresentados, considerados instrumento a serviço de determinada ideologia e de práticas tradicionais de ensino. Contudo, para a autora, ao serem analisados em profundidade e em uma perspectiva histórica, é possível perceber mudanças significativas em seus aspectos formais, com possibilidade de usos diferenciados no cotidiano escolar (BITTENCOURT, 2009, p. 300). Neste sentido, os estudos envolvendo livros didáticos podem contribuir diretamente com as práticas escolares, no momento em que passamos a entendê-los em todas as suas dimensões e complexidades.

Metodologia

O trabalho de constituição do acervo de Livros Didáticos de História do LEH/UFPel não é recente. Vem acontecendo desde o final da década de 90, com continuidade nos anos 2000, através de esforços particulares de coleta, aquisição e preservação de livros e outros materiais didáticos de história. Como resultado de um trabalho coletivo e colaborativo, o acervo foi crescendo significativamente, promovendo e contribuindo para uma importante e promissora área de pesquisa. Atualmente o acervo possui aproximadamente 1.350 (um mil, trezentos e cinquenta) exemplares de livros didáticos e paradidáticos de História. O volume quantitativo de livros indica para a necessidade de registro e catalogação do acervo, que permita o maior controle sobre as obras existentes e possibilite a consulta de forma mais ágil e adequada.
Para tanto, a contribuição do curso de Bacharelado em História da UFPel está sendo fundamental, através da disciplina Organização de Arquivos Históricos, que compõe a grade curricular do curso e propõe-se a desenvolver parâmetros organizacionais de armazenamento e higienização de acervos dos mais variados materiais. Assim, há alguns semestres o acervo conta com o trabalho de bolsistas e estagiários dos cursos de Bacharelado e Licenciatura em História, que realizam o levantamento das necessidades do acervo, exploram as especificidades da catalogação de livros didáticos e pensam formas possíveis de registro e catalogação. O trabalho de catalogação realizado, especialmente, pelos alunos da disciplina de Organização de Arquivos Históricos junto com os bolsistas de extensão do LEH/UFPel, possibilitou a criação de um sistema de catalogação para o acervo existente, durante o ano de 2014.
Vale destacar que, num esforço conjunto entre os Núcleos Docentes Estruturantes e o Colegiado dos Cursos de Bacharelado e de Licenciatura em História da UFPEL, a partir do ano de 2014, a disciplina de Organização de Arquivos Históricos tornou-se optativa para os alunos do Curso de Licenciatura em História. Outra iniciativa de aproximar os interesses de ambos os cursos por esta tipologia de acervos foi a oferta da disciplina de Introdução ao Estudo de Acervos com ênfase na organização de Acervos Escolares para o Curso de Licenciatura, em 2016. Estas ações buscam possibilitar ao futuro docente propostas de trabalho que o aproximem da rotina escolar em atividades que não são exclusivamente decorrente da sua atuação como professor, mas em complementaridade com ela. Uma visão global da escola como espaço de atuação de vários sujeitos que, cada um em suas atividades específicas, contribuem para formar o todo escolar e fazem sua parte na constituição de uma cultura própria da escola.
O método projetado para a organização e catalogação do acervo existente utilizou dois softwares em especial, o OCLC Dewey Cutter Program e Microsoft Office Excel. O primeiro trata-se de uma ferramenta que realiza a criptografia de palavras, convertendo-as em códigos alfanuméricos, ou seja, cada palavra lançada no campo text, na tabela de catalogação, gera um código composto por letras e números. No caso do acervo em evidência, foi utilizada a tabela Cutter Sanborn Four-Figure Table, que permite a criação de códigos com apenas uma letra. Ao digitar a palavra “Sousa”, por exemplo, o software gera o código alfanumérico S725. Deste modo, para cada livro do acervo foi criado um código alfanumérico, composto a partir do último sobrenome do autor e do nome inicial do mesmo. A opção em usar nome e sobrenome para a criação dos códigos deu-se pela necessidade de distinguir autores com o mesmo sobrenome. Para formação total do código, o nome e sobrenome do autor são seguidos pelos três últimos dígitos do ano de publicação da obra e, por fim, por outro código que condiz com o nível escolar para o qual a publicação foi produzida. A título de exemplo, o código fica com a seguinte composição: V712.M3211.005.5S. Desta forma, foi possível controlar todas as variáveis e produzir um código único para cada livro do acervo, que além de constar na plataforma de armazenamento dos dados, é fixado no próprio livro em etiqueta adesiva.
O segundo software utilizado é o Microsoft Office Excel, que corresponde à plataforma de armazenamento dos dados, configurando-se como a planilha em que ficam as principais informações sobre os livros do acervo, sendo também o provedor dos parâmetros organizacionais, pois tem a função de equacionar todo o processo de catalogação. A planilha produzida a partir do software Microsoft Office Excel pode contemplar vários campos personalizados de busca e de catalogação de um acervo. No caso do acervo do LEH, a planilha é composta pelos seguintes campos: código, título, autor, ano, editora, edição/volume, série, páginas, prateleira/acervo e palavras-chave. Para a construção da planilha e preenchimento de todos os campos, inicialmente foi realizada a coleta das informações acerca de cada exemplar presente no acervo e destacadas as especificidades e diversidade de dados presentes nos livros, pois se trata de um acervo que contempla volumes do final do século XIX até a atualidade, que seguem distintos modelos de publicação. Através da planilha o pesquisador tem a possibilidade de realizar uma consulta prévia ao acervo, colhendo várias informações sobre as obras, podendo posteriormente, se assim o desejar, fazer a consulta in loco. Além disso, a pesquisa pode ser realizada a partir de todos os campos, sendo possível o usuário reordenar os dados por ano de publicação, autor, editora, entre outros. O desenvolvimento de metodologia específica para a catalogação do acervo considerou: primeiramente, que o trabalho foi realizado por graduandos em História aptos a trabalhar na organização de acervos em instituições onde atuarão em relação multidisciplinar com arquivistas e bibliotecários e, em segundo lugar, que, antes de buscar métodos de catalogação prontos, é necessário pensar as especificidades do acervo em questão, de maneira que novas aquisições sejam organizadas sem que sejam necessárias mudanças no procedimento utilizado (COSTA, 2005, p.265). O trabalho de catalogação classificou os livros em seis acervos específicos, que são: 1) Livros didáticos de História raros; 2) Livros didáticos de História antigos; 3) Livros didáticos de História atuais; 4) Livros didáticos de História Anos Iniciais; 5) Cadernos de atividades e manuais do professor; 6) Paradidáticos.
Essa fase, ainda inicial, de organização e catalogação das obras carece de ações que deem continuidade ao trabalho de constituição e permanência do acervo.

Indicadores, Metas e Resultados

- Disponibilizar o acervo e fomentar práticas de pesquisa que envolvam temáticas vinculadas à História da Educação, à História do Livro e da Leitura, à História e às Práticas de Ensino de História, entre outras, que tomem os livros didáticos como fonte e objeto de pesquisa.
- Desenvolver estratégias para ampliar a divulgação da existência do acervo, tanto junto às escolas de Educação Básica - a fim de aumentar a coleta de materiais didáticos descartados nessas instituições, e mesmo, disponibilizá-lo para práticas de ensino dos professores de História -, quanto entre os pesquisadores destes materiais e temáticas, no Brasil e no exterior;
- Realizar a digitalização dos livros didáticos que compõem o acervo de livros raros, preservando o acervo ao evitar o manuseio das obras durante as pesquisas, assim como, possibilitando a disponibilização das obras via internet, quando viável;
- Buscar financiamento a partir de editais específicos, que permitam melhorar as condições de acondicionamento, conservação e ampliação do acervo;
- Consolidar parceria com o Curso de Bacharelado em História e com o Curso de Conservação e Restauro da UFPel, para o desenvolvimento de um processo permanente de higienização e restauro das obras do acervo;
- Estabelecer parceria com o grupo de pesquisa HISALES (História da Alfabetização, Leitura, Escrita e dos Livros Escolares) da FAE/UFPel, integrando os acervos de livros e materiais didáticos deste grupo e do LEH em um mesmo repositório, o que possibilitará a divulgação do acervo de livros didáticos do LEH na página eletrônica do grupo HISALES, assim como, buscar ampliar os esforços para a criação de um repositório nacional (ou mesmo internacional) de livros didáticos, enquanto plataforma digital de armazenamento de dados dos acervos didáticos;
- Organizar periodicamente exposições temáticas do acervo, com o intuito de dar visibilidade ao mesmo e às possibilidades de uso desse. Assim, promovendo momentos que possibilitem problematizar e rememorar práticas de ensino, métodos, processos e paradigmas que envolvem o ensino de história, e que contribuam para a compreensão dos sentidos dessa disciplina.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA INEZ KLEIN2
CHRIS DE AZEVEDO RAMIL3
Caroline Cardoso da Silva
JÉFERSON BARBOSA COSTA
LISIANE SIAS MANKE8
LUCAS DE SOUZA PEDROSO
MARA INES ALFLEN
MARCIA JANETE ESPIG4
MAURO DILLMANN TAVARES2
MOZART MATHEUS DE ANDRADE CARVALHO
RENATA BRAZ GONCALVES
SEBASTIAO PERES2

Página gerada em 25/11/2020 04:47:57 (consulta levou 0.187034s)