Nome do Projeto
Museus para ouvir
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
23/12/2019 - 22/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Cultura / Comunicação
Linha de Extensão
Patrimônio cultural, histórico e natural
Resumo
Programa de divulgação dos acervos dos museus da UFPel (Museu de Arte Leopoldo Gottuzo; Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter e Museu do Doce) que se encontram instalados no Centro Histórico de Pelotas (em torno e proximidade à Praça Cel. Pedro Osório) por meio da descrição de obras do seu acervo.

Objetivo Geral

Contribuir para a divulgação dos museus da UFPel no Centro Histórico de Pelotas, sobretudo no meio acadêmico, através do uso da Rádio Federal FM.
Contribuir para o aumento da visitação desses museus.
Divulgar e incentivar as possibilidades de colaboração de TAs e discentes nas ações desses museus.
Catalizar a importância do acervo que os museus detém, sobretudo nos seus aspectos científicos e culturais.

Justificativa

Com temáticas diversas entre si e acervos compatíveis com sua tipologia, cuja origem já indica a importância desses equipamentos culturais para a região, os três museus ocupam um lugar de destaque no cenário cultural e turístico da cidade de Pelotas. A localização muito próxima dos três gerou um roteiro cultural que vem se intensificando pela participação que passaram a ter em eventos da cidade como a Fenadoce, Feira do Livro, Dia do Patrimônio e outros. Desde que o Museu de Ciências Naturais Carlos Ritter (MCNCR) passou a ocupar o casarão n. 1 do entorno da Praça Coronel Pedro Osório, o trabalho de convergência entre os três museus, orquestrado pela Rede de Museus, intensificou as visitações que já estavam aumentadas. No entanto, algumas questões ainda obliteram o amplo conhecimento desses equipamentos culturais pela comunidade universitária. Embora o MCNCR seja o primeiro museu da UFPel e o Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo já tenha completado mais de três décadas, os universitários e mesmo os servidores da Universidade, não conhecem os museus ou desconhecem o importante acervo que cada um tem na sua temática. As possibilidades que os museus apresentam como estratégias para o ensino e como alvo de pesquisa poderiam equalizar-se a intensa atividade extensionista que cada um desenvolve se fossem mais conhecidos internamente. Por outro lado, ao veicular seu acervo na Rádio Federal, intensificarão o interesse da comunidade local por visitá-los com mais frequência. Outro aspecto que deverá contribuir para o melhor entendimento da missão destes museus é a aproximação da comunidade interna que entrará na versão de colaborador do programa quanto à produção do texto do Spot. Seguindo a orientação dada pela equipe, os convidados a descreverem a obra terão a oportunidade de expressar determinada visão sobre o acervo, contribuindo para que, previamente, sirva como instrumento educativo para as visitas que ocorrerão por chamada do programa. Portanto, empregando diferentes visões, veiculadas na forma de spot, o Programa motivará os envolvidos para, cada um a seu turno, serem multiplicadores do conhecimento sobre os museus da UFPel.

Metodologia

A metodologia empregada para o desenvolvimento deste projeto é a mesma já utilizada no extinto Projeto de Extensão: Fotografia para Ouvir, que ocorreu em 2013. Trata-se de exercício de descrição, de determinada peças do acervo, narrado por locutor e escrito por um convidado, seguindo alguns princípios que favorecem a compreensão da imagem. O spot aproveita os estímulos próprios do rádio, sobretudo o apelo à imaginação através da palavra falada e outros recursos que possam gerar curiosidade e empatia pela obra. O roteiro apresentado para o convidado padroniza o tempo de narração e alguns elementos de descrição que devem identificar o acervo.
A direção dos três museus participa ativamente da produção identificando obra e convidado a produzir o texto. A equipe operacional orienta o convidado e ajusta a descrição para a leitura.
A produção dos spots é feita na Rádio, com supervisão da equipe.
A veiculação dos spots segue procedimentos regulares da Rádio.
A cada semana, três spots, um de cada museu é veiculado. Após a troca, os spots podem ser compartilhados nas mídias e serão disponibilizados no site da Rede de Museus e dos próprios Museus, caso queiram.
Em ambos os casos, os ouvintes podem fazer comentários, que serão utilizados para avaliação do Programa. A durabilidade do Programa Museus para Ouvir é de 12 meses, sendo desses, 4 para produção e 1 para veiculação da avaliação de público. Portanto os spots circularão por 7 meses em 2020.
Ao final, o Programa deve gerar o catálogo eletrônico Museus para Ouvir, com texto dos spots, imagem das obras descritas e ficha técnica além de outros textos que dêem suporte ao registro e divulgação da atividade e das obras descritas.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores
1- Número de spots produzidos: o esperado é que sejam produzidos entre 21 e 28 spots por museu.
2- Número de semanas de veiculação: o esperado é que se atinja entre 21 e 28 semanas de veiculação.
3- Colaboradores autores dos textos: o esperado é que os museus indiquem, cada um, ao menos 7 colaboradores para as descrições.
4- Número de ouvintes no site: como é o local onde se pode registrar o número de ouvintes, espera-se que ao final do Programa o número de ouvintes indique o crescimento do interesse pelos museus, sendo, na sua maioria, pessoas da comunidade universitária.
Metas
1- Veiculação regular na Rádio Federal FM dos spots produzidos.
2- Participação de ouvintes no site da Rede de Museus ou dos Museus
3- Registro de depoimentos e demanda por conhecimento da obra no Museu
Resultados esperados
1- Permanência do Programa no ano de 2020
2- Produção do Catálogo do Programa Museus para Ouvir
3- Avaliação do possível impacto na divulgação dos Museus

Página gerada em 28/11/2020 23:33:56 (consulta levou 0.137445s)