Nome do Projeto
Estratégias de Ensino e Aprendizagem no curso de Formação de Professores em Geografia da UFPel.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
18/05/2020 - 26/09/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O ensinar não é apenas dominar conteúdos, mas ter um discurso conceitual organizado com uma proposta adequada de atividades e de estratégias, buscando superar os obstáculos da aprendizagem. É o pensar os saberes geográficos numa perspectiva metodológica significativa, o que implica desenvolver intervenções que reestruturem tanto os conteúdos como os procedimentos e que estabeleçam a compreensão dos objetivos, oportunizando a autorregulação das aprendizagens. Ao considerar a necessidade de que estudantes que aspirem ser professores se tornem mais motivados e estratégicos e a carência de pesquisas que visem esse fortalecimento da capacidade de aprender, entre estudantes de cursos de licenciatura em Geografia, esta pesquisa pretende investigar o uso de estratégias de aprendizagem por parte de estudantes do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas - UFPel e contribuir de forma propositiva para o desenvolvimento de práticas que incentivam o uso de estratégias de ensino e de aprendizagem. Articulando-se aos objetivos e metas propostos, o plano de trabalho apresentado está centrado em eixos de ação que compreendem uso de estratégias de aprendizagem por parte de estudantes do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas - UFPel, o mapeamento de carências do curso formador e a proposição de intervenções que contribuam para a melhoria da formação docente, nesta área do conhecimento.

Objetivo Geral

Considerando a necessidade de que estudantes que aspirem ser professores se tornem mais motivados e estratégicos, e a carência de pesquisas que visem esse fortalecimento da capacidade de aprender entre estudantes de cursos de licenciatura em Geografia, esta pesquisa apresenta os seguintes objetivos:

Objetivo geral
Investigar, tendo como base a Teoria Social Cognitiva o uso de estratégias de aprendizagem por parte de estudantes do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas - UFPel, a fim de espacializar essas informações e propor intervenções que contribuam para a melhoria da formação docente, nesta área do conhecimento.

Objetivos específicos
• Aprofundar conhecimentos teóricos sobre as Estratégias de Ensino e Aprendizagem;
• Conhecer as estratégias de aprendizagem e as variáveis associadas à autorregulação da
aprendizagem dos estudantes de Geografia;
Avaliar pensamentos, comportamentos, atitudes e motivações relacionadas ao sucesso na aprendizagem, identificando as crenças de autoeficácia e as estratégias autoprejudiciais dos alunos;
• Identificar no curso de Licenciatura em Geografia áreas e pontos específicos nos quais ações e intervenções são necessárias;
• Propor a partir do conteúdo das disciplinas que fazem parte do currículo do curso de Geografia, oficinas de intervenção que fortaleçam o uso de estratégias de ensino e de aprendizagem e os processos autorregulatórios dos futuros professores de Geografia.

Justificativa

Este proposta de pesquisa decorre da investigação de Pós-Doutorado concluída pela proponente em fevereiro de 2019 no Programa de Pós-Graduação em Educação – FE/UNICAMP. A temática central de trabalho visa enfatizar a importância do investimento na autorregulação da aprendizagem no campo da Educação nos cursos de formação de professores, especificamente a formação de professores de Geografia, uma vez que essa iniciativa teria o efeito de tencionar a qualificação dos estudantes a se tornarem mais motivados e estratégicos e, consequentemente, melhorar a qualidade do processo de ensino e aprendizagem (Dembo, 2001; Veiga-Simão, 2004; Zimmerman e Schunk, 2011; Boruchovitch e Machado, 2017).
A partir dos resultados encontrados na literatura (Pintrich e Garcia, 1994; Boruchovitch, 1999; Gombi, 1999; Bzuneck, 2001; Zenorine e Santos, 2003; Boruchovitch et al, 2005 e Boruchovitch; Bzuneck, 2010), percebe-se a necessidade dos estudantes desenvolverem competências para autorregular as suas aprendizagens no ambiente universitário, pois este é um caminho que pode levá-los a melhorar o desempenho acadêmico de maneira a fortalecer sua autonomia, motivação, autoestima e autoeficácia para aprender e para serem professores.
Foi a importância em fortalecer a capacidade de aprender dos estudantes de cursos de licenciatura, que motivou a a organização dessa proposta de pesquisa que visa avaliar o uso das estratégias de ensino, aprendizagem e a promoção da autorregulação da aprendizagem no contexto da Geografia, mais especificamente na formação inicial de professores, no recorte da Universidade Federal de Pelotas/UFPel.
É essencial que professores se beneficiem das contribuições da psicologia cognitiva e que aprendam a ensinar, por meio de estratégias de ensino o "aprender a aprender". De fato, professores podem ensinar alunos quando e como usar estratégias de aprendizagem específicas por meio da demonstração e da modelagem de diversas técnicas (Pozo, 1996, 2004; Veiga-Simão, 2004; Frison e Veiga Simão 2013; Boruchovitch, 2014).
É necessário que os cursos de formação de professores se estruturem de modo a produzirem conhecimentos, tanto no que diz respeito às estratégias de ensino quanto de aprendizagem desde a formação inicial, pois assim propiciarão ao futuro professor a possibilidade de utilizar diferentes estratégias de ensino e formas de intervenções em sala de aula que otimizem o ensino de estratégias de aprendizagem aos alunos.
No que diz respeito à formação inicial do professor de Geografia, Castellar (2010, 2017) e Cavalcanti (2011, 2017) esclarecem que o ensinar não é apenas dominar conteúdos, mas ter um discurso conceitual organizado com uma proposta adequada de atividades e de estratégias, buscando superar os obstáculos da aprendizagem. É o pensar os saberes geográficos numa perspectiva metodológica significativa, o que implica desenvolver intervenções que reestruturem tanto os conteúdos como os procedimentos e que estabeleçam a compreensão dos objetivos, oportunizando a autorregulação das aprendizagens.
Sendo assim, pretende-se com essa proposta investigar, o uso de estratégias de aprendizagem por parte de estudantes do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas - UFPel e contribuir de forma propositiva para o desenvolvimento de práticas para o ensino da Geografia que incentivam o uso de estratégias de ensino e de aprendizagem.
Ao corroborar com essa premissa, Castellar (2005, 2010, 2017), Cavalcanti (2011, 2017) defendem a urgência de uma mediação qualificada e consistente teoricamente para que o professor seja formado com fundamentos que o possibilite pensar estratégias de ensino a partir do conhecimento geográfico, tornando-o agente do seu processo de aprendizagem. Considerando a necessidade de que estudantes que aspirem ser professores se tornem mais motivados e estratégicos e a carência de pesquisas que visem esse fortalecimento da capacidade de aprender, entre estudantes de cursos de licenciatura em Geografia, esta pesquisa pretende como objetivos específicos aprofundar conhecimentos teóricos sobre as Estratégias de Ensino e Aprendizagem; conhecer as estratégias de aprendizagem e as variáveis associadas à autorregulação da aprendizagem dos estudantes de Geografia; avaliar pensamentos, comportamentos, atitudes e motivações relacionadas ao sucesso na aprendizagem, identificando as crenças de autoeficácia e as estratégias autoprejudiciais dos alunos; identificar no curso de Licenciatura em Geografia áreas e pontos específicos nos quais ações e intervenções são necessárias; propor a partir do conteúdo das disciplinas que fazem parte do currículo do curso de Geografia, oficinas de intervenção que fortaleçam o uso de estratégias de ensino e de aprendizagem e os processos autorregulatórios dos futuros professores de Geografia.
Articulando-se aos objetivos e metas propostos, o plano de trabalho apresentado está centrado em eixos de ação que compreendem uso de estratégias de aprendizagem por parte de estudantes do curso de Licenciatura em Geografia da Universidade Federal de Pelotas - UFPel, o mapeamento de carências do curso formador e a proposição de intervenções que contribuam para a melhoria da formação docente, nesta área do conhecimento. Está previsto a formação de um grupo de discussão em formato de rede, que contemple pesquisadores parceiros dessa pesquisa para a discussão das variáveis envolvida no processo de autorregulação, com base na literatura da área, com o intuito de discutir aspectos relacionados aos aspectos teóricos, técnicos e procedimentais das estratégias de ensino e aprendizagem.
Bem como mapear, espacializar informações e propor intervenções que contribuam para a formação docente em geografia ao traçar um perfil dos alunos colaboradores da pesquisa e avaliar o uso e o que pensam sobre estratégias de aprendizagem. Também será realizado o estudo do currículo do curso de Licenciatura em Geografia, buscando avaliar as possibilidades de intervenções a partir das disciplinas do curso. Após esse estudo serão organizadas oficinas de intervenção que partam do contexto de formação dos alunos, ou seja a Geografia e que levem em consideração as especificidades do saber geográfico.
Como avaliação desse processo os alunos colaboradores da pesquisa, após a participação nas oficinas serão convidados a elaborar uma autorreflexão, que poderá ser desenvolvida tendo como proposta a construção de narrativas como elemento crítico reflexivo do seu percurso formativo no curso de formação de professores de Geografia, até a participação na pesquisa em apreço, com o intuito de identificar fragilidades e potencialidades na proposta.
No que diz respeito a avaliação e acompanhamento do projeto, este será realizado em momentos específicos a curto, médio e a longo prazo, a fim de observar se o mesmo está respondendo aos seus objetivos.

Metodologia

Eixo 1 – Pressupostos teórico-metodológicos sobre as Estratégias de Ensino e Aprendizagem.
Está previsto a formação de um grupo de discussão em formato de rede, que contemple pesquisadores parceiros dessa pesquisa para a discussão das variáveis envolvida no processo de autorregulação,
Os encontros serão propiciados por meio de teleconferências, Skype e visitas presenciais.

Eixo 2 – Coleta de dados da pesquisa - alunos colaboradores da pesquisa.
Este eixo de ação busca mapear, espacializar informações e propor intervenções que contribuam para a formação docente em geografia ao traçar um perfil dos alunos colaboradores da pesquisa e avaliar o uso e o que pensam sobre estratégias de aprendizagem, para tanto serão utilizados os seguintes instrumentos de coleta de dados:
com base na literatura da área, a fim de discutir aspectos relacionados aos
pressupostos teóricos, técnicos e procedimentais das estratégias de ensino e aprendizagem.

• Questionário de dados demográficos.
• Protocolo para ativação da Metacognição e da Auto-Reflexão sobre aprendizagem do
futuro professor (Boruchovitch, 2006).
• Escala de avaliação da motivação para aprender de alunos Universitários (Evely
Boruchovitch e Edna Rosa Correia Neves, 2005/2008).
• Inventário de Estratégias de Estudo e Aprendizagem – Learning and Study Strategies
Inventory (LASSI), 3rd edition (Weinstein, Palmer & Acee, 2016).

Eixo 3 - Estratégia de Ensino e Aprendizagem Situada em Geografia.
O Eixo 3 divide-se em dois momentos, sendo eles:
1) Será realizado o estudo do currículo do curso de Licenciatura em Geografia, a fim de avaliar as possibilidades de intervenções a partir das disciplinas do curso. Para tanto será necessário:
• Avaliar com base no estudo do currículo do curso de Licenciatura em Geografia da UFPel , as possibilidades de uso do conhecimento estratégico geográfico, de modo que este seja tencionado ao mesmo tempo que se ensina os conteúdos pertinentes das disciplinas.
2) Será realizado um grupo focal com os alunos do 8o semestre do curso de licenciatura. com o intuito de dialogar a respeito das dificuldades e lacunas observadas no decorrer da sua formação, que poderiam ser amenizadas com o oferecimento de atividades extra-curriculares.
Após esses momentos, as informações serão sistematizadas e analisadas pela equipe do projeto, com o intuito de pensar práticas pedagógicas que possibilitem oficinas com estratégias de ensino e aprendizagem a partir do conhecimento geográfico, tornando-o agente do processo de aprendizagem.

Eixo 4 – Oficinas de Intervenção: conhecimento geográfico estratégico na formação de professores.
A intenção desse eixo de ação é estabelecer procedimentos a partir dos quais se pode fomentar o uso estratégico do conhecimento centrado em áreas específicas do currículo, ou seja em áreas que forem constatadas dificuldades e lacunas no processo de aprendizagem.
Após a delimitação de temáticas especificas em que intervenções são necessárias, os alunos serão convidados a participar em turno inverso de oficinas de intervenção ministradas pelos professores coordenadores da proposta, alunos do curso de Pós-Graduação em Geografia da UFPel e alunos da Graduação parceiros da pesquisa.
Pretende-se, a partir das oficinas de intervenção estimular procedimentos como: aquisição de conhecimento; interpretação, decodificação e o uso de analogias; análise, raciocínio, realização de inferências, pesquisa e soluções de problemas; compreensão, organização e o estabelecimento de relações conceituais; e comunicação, escrita, oral, gráfica, imagética, tendo como referência o arcabouço teórico e metodológico da Geografia, estabelecidos a partir da análise do currículo do curso de formação de professores e do grupo focal realizado com os alunos.
Para tanto, serão utilizadas como estratégia de ação para a prática pedagógica nas oficinas, métodos que contribuam para que o aluno seja autônomo em sua aprendizagem, que compreenda o conteúdo e a forma de continuar aprendendo sobre um assunto específico. Esses métodos dizem respeito a práticas guiadas, como por exemplo: as folhas de pensamento, o ensino cooperativo, o ensino recíproco, a tutoria entre iguais, entre outros que forem julgados pertinentes.

Eixo 5 - Avaliação e divulgação dos resultados da pesquisa.
No que diz respeito a avaliação e acompanhamento do projeto, esta será realizada em momentos específicos a curto, médio e a longo prazo, a fim de observar se o mesmo está respondendo aos seus objetivos. Para tanto definimos como indicadores:
- A avaliação a curto e médio prazo que se dará de forma processual, acompanhando a trajetória do plano de trabalho e cronograma, com discussões constantes e colóquios entre o coordenador, colaboradores e bolsistas, a fim de averiguar a efetividade do projeto em diferentes períodos e se os resultados planejados nas diferentes etapas foram alcançados. Bem como os alunos participantes da pesquisa, após a realização das oficinas serão convidados a participar da elaboração de uma autorreflexão, que poderá ser elaborada tendo como proposta a construção de narrativas como elemento crítico reflexivo do seu percurso formativo no curso de formação de professores de Geografia até a participação na pesquisa em apreço, com o intuito de identificar fragilidades e potencialidades na proposta.
- A avaliação a longo prazo, será realizada a partir do desempenho do grupo no alcance dos objetivos propostos, a fim de evidenciar se os resultados planejados foram alcançados. Também será realizado um estudo longitudinal no curso de Licenciatura em Geografia, de modo a averiguar os impactos das oficinas de intervenção na formação dos alunos que delas participaram. Este estudo será realizado de modo conjunto com os demais professores do curso e em rodas de conversa organizadas com os discentes no final do projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se que estes conhecimentos possam dar origem a textos publicados em periódicos qualificados e a publicação de um ebook com as intervenções, análises e proposições teóricas decorrentes do projeto. Isto garante a divulgação da pesquisa a disseminação desse campo de pesquisa na Geografia.

Esse projeto também contribui para a consolidação da linha de Pesquisa “Ensino de Geografia” do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPel, e também Grupo de Pesquisa reconhecido pelo CNPq - GESFOP - Espaços Sociais e Formação de Professores, que é constituído por professores e estudantes de Graduação e Pós-Graduação vinculados aos laboratórios de Estudos e Pesquisas da Universidade Federal de Pelotas. O grupo tem como objetivo viabilizar o desenvolvimento de trabalhos integrados, ampliar a interação e parcerias com a comunidade local e regional e construir projetos coletivos de pesquisa, ensino e extensão voltados à formação inicial e continuada de professores, bem como promover a construção do conhecimento Geográfico e suas cartografias em diferentes espaços sociais contribuindo para o desenvolvimento de metodologias e práticas de ensino em Geografia.
Também objetiva-se que novos projetos de pesquisa sejam desenvolvidos, assim como a possibilidade de aquisição de bolsas de iniciação científica e elaboração de pesquisas de Mestrado e demais produções científicas.
E por fim, a consolidação de uma rede de pesquisa entre instituições parceiras, no que diz respeito as estratégias de ensino e aprendizagem na formação do professor de Geografia.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARIADNE LORRANA DE AVILA TEIXEIRA
BRUNA RIBEIRO VIEIRA
CAROLINA BORBA DOS SANTOS
CESAR AUGUSTO FERRARI MARTINEZ3
GABRIELA DAMBROS4
JERUSA CASSAL DE ALMEIDA
Juliana Schwingel Broilo
LIGIA CARDOSO CARLOS2
LIZ CRISTIANE DIAS4
LOURDES MARIA BRAGAGNOLO FRISON2
MAIARA MOREIRA BERDETE
MATHEUS KLEINICKE ROSSALES
PEDRO CASTILHOS DA ROSA
RAFAEL MARTINS DUARTE
ROSANGELA LURDES SPIRONELLO3
YAGO JACONDINO NUNES

Página gerada em 22/09/2021 01:55:17 (atualização a cada 15 minutos)