Nome do Projeto
Ações farmacêuticas de enfrentamento a pandemia do COVID-19
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
15/06/2020 - 31/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Tecnologia e Produção
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
A pandemia causada pelo novo coronavirus, denominada COVID-19, trouxe muitas preocupações para os órgãos sanitários (Ministério da saúde, secretarias municipais e estaduais e dos profissionais da saúde), pois houve um aumento desenfreado da demanda por produtos antissépticos, principalmente, de álcool gel, o que acarretou no desabastecimento deste produto no mercado nacional. O álcool gel é um dos produtos mais usado para a assepsia rápida das mãos e braços, evitando a proliferação do vírus COVID-19, e, consequentemente, a contaminação das pessoas. Dado a este fato, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária-Anvisa flexibilizou várias normas e regras para a produção de álcool em gel, permitindo o emprego de outros gelificantes (Brasil, 2012, 2020; Anvisa, 2020). No Formulário da Farmacopeia Brasileira, o agente convencional gelificante descrito é o carbômero 980 (carbopol), sendo que o aumento atual de sua procura no mercado brasileiro e mundial levou não apenas a sua escassez, como também um aumento abusivo de preço. Frente a este desabastecimento, o Brasil possui uma indústria robusta de produção de etanol de primeira geração, a partir da cana-de-açúcar, sendo que este produto pode ser reposto no mercado com relativa facilidade, dependendo mais da infraestrutura e logística, para algumas regiões do País, do que de sua escassez. Desta forma, este projeto possui dois objetivos:

Objetivo Geral

Realizar a avaliação de novos agentes gelificantes e a produção e avaliação de álcool gel a partir destes materiais para abastecer hospitais e unidades do Sistema Único de Saúde de Pelotas e região.

Justificativa

O desabastecimento de álcool gel no mercado e o alastramento da pandemia levou a ANVISA a flexibilizar várias normas e regras para a produção de álcool em gel, permitindo o emprego de outros gelificantes (Brasil, 2012, 2020; Anvisa, 2020). O curso de Farmácia da UFPel possuí não apenas recursos humanos qualificado, como também, equipamentos adequados para a produção em grande escala dos produtos antissépticos (álcool gel e álcool glicerinado) utilizados para prevenir a proliferação da pandemia causada pelo novo coronavirus. Consequentemente, a formação de alunos graduandos e pós-graduandos como profissionais capacitados e empreendedores, aptos a desenvolverem as ações propostas no presente projeto, vem ao encontro das necessidades de enfrentamento da pandemia causada pela COVID-19.

Metodologia

O coordenador, prof. José Mario Barichello será responsável por gerir o projeto e pela instalação e organização do processo de produção. As compras de materiais e insumos junto a Força-tarefa para aquisição dos insumos da UFPel serão realizadas pelos Profs. José Mario Barichello e Claiton Lencina. As adaptações de produção e logística serão responsabilidades dos profs. José Mario Barichello, Claiton Lencina e Juliana Bidone. As produções, envase e rotulagem do álcool gel e álcool glicerinado serão responsabilidade de todos os professores listados na equipe do projeto. As atividades de transporte, armazenamento e distribuição dos produtos antissépticos será responsabilidade do Comitê UFPel Covid-19. As atividades de atenção farmacêutica serão realizadas por todos os professores do curso de farmácia listados na equipe do projeto. Os alunos de graduação e demais participantes receberão capacitação e treinamento à medida que participam dos projetos de extensão sendo as ações específicas de treinamento serão realizadas pelos professores participantes, quando necessário. As ações do projeto serão realizadas de forma contínua até a amenização ou finalização da pandemia. Inicialmente será realizada uma reunião para distribuição de tarefas, escala de trabalho e organização do processo de produção e das atividades de extensão, e do agendamento de datas para realização das atividades.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores: os indicadores serão o número de materiais testados, a quantidade de produtos antissépticos (álcool gel e álcool glicerinado) produzidos, o número de instituições atendidas e o número de alunos (graduação e pós-graduação) treinados.
As metas são específicas para cada ação:
a) ação 1 - mediante produção grande escala, produzir produtos antissépticos para abastecer hospitais e unidades do Sistema Único de Saúde de Pelotas e região.
c) ação 2 - mediante atenção farmacêutica, auxiliar na prevenção da pandemia com a distribuição de produtos antissépticos e folheto explicativo das técnicas e procedimentos de higiene para instituições assistenciais.
Em cada ação que tenha atividades realizadas, alunos terão sido treinados nessas atividades tecnológicas ou de atenção farmacêutica.

Resultados: o projeto terá como resultados, além da capacitação de mão de obra especializada e voltada para a redução da pandemia causada pela COVID-19 a população de Pelotas e região, o atendimento de necessidades específicas de instituições de saúde, que vem sendo encaminhadas ao grupo de trabalho por não haver disponibilidade de produto antisséptico disponível no mercado.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CLAITON LEONETI LENCINA5
CRISTIANE LUCHESE1
ELIARA SANTOS DA SILVA
FLAVIO FERNANDO DEMARCO1
GIANA DE PAULA COGNATO5
GIOVANNI FELIPE ERNST FRIZZO4
GLAUCIO FERNANDO MARINS GONCALVES
GUILHERME BORGES WEEGE
JOSE MARIO BARICHELLO4
JULIANA BIDONE4
JULIANA LEITZKE SANTOS DE SOUZA
JULIANE DE SOUZA CARDOSO
JULIANE FERNANDES MONKS DA SILVA1
NICOLE GOMES MACHADO
NIVIA MARIA STREIT
OTAVIO MARTINS PERES1
PAULO MAXIMILIANO CORREA5
RAFAELA SILVA FORMOSO
RAPHAEL DORNELES CALDEIRA BALBONI
RENATA DE LIMA LEMOS1
RICARDO HARTLEBEM PETER
RODRIGO DE ALMEIDA VAUCHER1
TIAGO VENZKE VAHL
ÍTALO FERREIRA DE LEON

Página gerada em 30/11/2021 19:04:26 (consulta levou 0.249573s)