Nome do Projeto
Memorial do Anglo - UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
25/07/2020 - 25/07/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Cultura
Linha de Extensão
Comunicação estratégica
Resumo
A trajetória do Frigorífico Anglo de Pelotas até os dias atuais, como campus da Universidade Federal de Pelotas, abrigando o campus Porto, a Reitoria e alguns de seus noventa e seis cursos, está registrada e acessível através de referências e documentos históricos, publicações, vídeos, fotos e através do Memorial do Anglo. A proposta de implantação do Memorial do Anglo foi apresentada em 2013 pela professora Francisca Ferreira Michelon, do Departamento de Museologia, Conservação e Restauro do Instituto de Ciências Humandas da UFPel e desenvolvida em um programa de extensão contemplado no Edital MEC PROEXT, do ano de 2012, intitulado “O Museu do Conhecimento para Todos: a inclusão cultural da pessoa com deficiência nos museus universitários”. Todo o planejamento do Memorial, bem como os recursos para sua implantação e ações de recepção ao público foram realizados através desse programa de Extensão. O Memorial está alocado no terceiro andar do prédio do campus Porto, e tem como Missão, conforme proposta apresentada pelas proponentes, "ser um lugar aberto de produção de cultura no qual se expõe, de forma acessível, o resultado de trabalhos acadêmicos que buscam recuperar a trajetória e significados do complexo industrial e tecnológico que constitui a cultura patrimonial social, técnica, arquitetônica e estética do extinto Frigorífico Anglo de Pelotas". Também faz parte de sua missão, localizar, reunir, sistematizar e disponibilizar fontes visuais, orais, documentais e vestígios industriais que possam contribuir com a formação de conhecimento sobre a paisagem industrial, os meios de produção, os sistemas técnicos, o manejo das infraestruturas e toda a ordem de complexidades sociais que envolve a industrialização do processamento da carne em um frigorífico matadouro ao longo da segunda metade do século XX. A proposta é reativar este espaço e dar maior divulgação à exposição ali instalada, assim como recriar o site com os conteúdos sobre a temática.

Objetivo Geral

Desenvolver, por meio de ações continuadas, a exposição acessível e a divulgação da origem e primeira função do complexo de edifícios no qual hoje se situa o Campus Porto, bem como fomentar a visitação, pesquisa e divulgação sobre o acervo de patrimônio industrial que ainda se mantém no complexo, promovendo novas exposições virtuais, através de um novo site, para atender públicos diversos, tanto o acadêmico como das comunidades do entorno do Campus Porto, com especial atenção aos recursos assistivos e às questões de acessibilidade para as pessoas com deficiência.

Justificativa

O projeto do qual surgiu o Memorial do Anglo foi vinculado a diversos outros, de pesquisa e extensão, que garantiram a forma que o espaço adquiriu ao fim do trabalho. Destaca-se que já houve uma pesquisa, também proposta e desenvolvida pela Profa. Francisca Ferreira Michelon e na qual atuou a Profa. Desirée Nobre Salasar, que à época atuava como bolsista do projeto, que se desenvolveu paralelamente, intitulada
Expografias com Desenho Universal: experiências e possibilidades em museus do Brasil a partir do modelo do Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB/Portugal). Através desta pesquisa foi realizado levantamento dos recursos de acessibilidade em museus de referência no Brasil e seus resultados foram publicados através de dezoito artigos publicados em periódicos nacionais e anais de eventos. O livro “Sociedade Anônima Frigorífico Anglo de Pelotas: O trabalho do passado nas fotografias do presente” é também resultado do projeto, formalizando os dados da pesquisa desenvolvida pela professora Francisca Michelon. Todo o conteúdo que se encontra no Memorial do Anglo, seja de informação, de projeto de mobiliário, de recursos visuais e expositivos e de acessibilidade, foi desenvolvido nesses projetos e contou com uma equipe que atuou de 2012 a 2014, quando o Memorial foi inaugurado. Houve alunos de diversos cursos e professores do Curso de Museologia, Arquitetura e Restauro, Terapia Ocupacional, Conservação e Restauro e Ciência da Computação, além da efetiva participação de alunos do Programa de Pós-Graduação em Memória Social e Patrimônio Cultural. Desse modo, a reativação do Memorial do Anglo através do presente projeto, objetiva garantir que o espaço desenvolva as atividades para o qual foi planejado e executado com recursos de diferentes projetos e dá continuidade ao trabalho de memória que ali está exposto. O projeto contribuirá com as ações de localização, documentação e, sobretudo, disponibilização ao público de informações sobre acervos materiais (tridimensionais e bidimensionais) e imateriais (depoimentos e similares) referentes à trajetória do Frigorífico Anglo de Pelotas.

Metodologia

A metodologia prevê as seguintes etapas:.
1) Formação de equipe de trabalho, com inclusão de alunos de vários cursos que possam desenvolver diferentes etapas;
2) Acompanhamento dos resultados do diagnóstico de acessibilidade, em desenvolvimento no projeto “Um museu para todos: programas de acessibilidade”.
3) Recriação do site com recursos de acessibilidade.
4) Abertura para visitas guiadas com mediação acessível, previamente agendadas através de link pelo site ou pelo email memorialdoanglo@gmail.com, acompanhadas pela equipe devidamente treinada para receber diversos públicos.

Indicadores, Metas e Resultados

Os indicadores serão os registros de acesso e de visitas, pelo site e pelo Livro de Registros.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
AMANDA CORREA BOTELHO
ANDREA LACERDA BACHETTINI1
DESIRÉE NOBRE SALASAR1
FRANCISCA FERREIRA MICHELON1
JESSICA MOREIRA LOPES DE SOUSA
JOAO FERNANDO IGANSI NUNES1
LUANA HELENA LOUREIRO ALVES DOS SANTOS
ROGÉRIA APARECIDA CRUZ GUTTIER2
SILVANA DE FATIMA BOJANOSKI2

Página gerada em 28/11/2020 23:30:22 (consulta levou 0.119768s)