Nome do Projeto
Ações da Rede de Pesquisa em Sementes Crioulas e Agroecológicas/RS para fortalecimento sociotécnico e ampliação dos processos de conservação da agrossociobiodiversidade
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
15/09/2020 - 31/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Este projeto pretende em uma perspectiva interdisciplinar integrar professores de diferentes áreas de conhecimento, pesquisadores, estudantes e agricultores para o desenvolvimento de ações de pesquisa, ensino e extensão que visem contribuir para ampliação, conservação e valorização da agrossociobiodiversidade em especial das variedades crioulas, através do fortalecimento da Rede de Pesquisa em Sementes Crioulas e Agroecológicas do RS e aos processos de conservação realizados pelos agricultores guardiões em suas comunidades e organizações. Desse modo, caracteriza-se como um projeto com ênfase em pesquisa, agregando um conjunto de ações direcionadas a promover e fortalecer os processos de conservação tais como: mapeamento territorial das organizações e guardiões de sementes crioulas; apoio a avaliação participativa de variedades crioulas em sistemas de produção de base ecológica familiar; avaliação nutricional e sensorial de variedades crioulas na perspectiva de uso e agregação de valor; fortalecimento dos espaços de aprendizagem coletiva e troca de conhecimentos; apoio às feiras locais e regionais de sementes crioulas, a aproximação com estudantes, público urbano e à construção social de mercados para produtos da agrobiodiversidade; dentre outros. Espera-se com este projeto fortalecer e ampliar os processos de conservação da agrobiodiversidade junto aos guardiões, comunidades e organizações de agricultores, bem como contribuir para a ampliação do conhecimento acadêmico e científico sobre a temática e abordagem do manejo e conservação da agrossociobiodiversidade no contexto da agricultura familiar.

Objetivo Geral

Contribuir para a promoção e ampliação do conhecimento acadêmico e científico acerca dos processos de manejo e conservação da agrossociobiodiversidade através de ações de pesquisa integradas e colaborativas para o fortalecimento sociotécnico da Rede de Pesquisa em Sementes Crioulas e Agroecológicas do RS e da atuação dos guardiões de sementes de variedades crioulas no território zona sul do RS.

Justificativa

Este projeto insere-se na temática do manejo e conservação da agrobiodiversidade a partir do reconhecimento ao papel desempenhado pelos guardiões e organizações da agricultura familiar na manutenção e ampliação dos processos de conservação de variedades crioulas. Dessa forma, a abordagem contempla a proposição de considerar os processos de conservação da Agrobiodiversidade, em especial das sementes crioulas, a partir da interdependência representada pela relação entre a figura humana - os guardiões, a diversidade genética - as variedades crioulas, e a dimensão territorial - o ambiente.
A perda da biodiversidade agrícola ou agrobiodiversidade tem sido manifestada como uma resultante do processo de modernização da agricultura, derivada principalmente da substituição das variedades crioulas por cultivares de alto rendimento e estreita base genética (SANTILLI, 2009). Essa compreensão expressa por ocasião da publicação do Primeiro Informe do Estado dos Recursos Fitogenéticos no Mundo ratificou como principal fator o processo de modernização da agricultura, a introdução das variedades modernas e a expansão dos monocultivos (FAO, 1996).
Em 2019, a partir da publicação do Relatório Mundial Sobre o Estado da Biodiversidade para Alimentação e Agricultura (FAO, 2019), a percepção internacional acerca desse processo adquire alterações substanciais. O processo de erosão genética é considerado também em relação à capacidade da natureza, ao considerar a degradação dos ambientes, em sustentar a conservação e ampliação da (agro)biodiversidade. Em especial, ao considerar a ação antrópica, em contraponto à racionalidade econômica predominante, o relatório indica que ao analisar áreas de povos e comunidades tradicionais, a natureza está declinando em menor magnitude.
Nessa perspectiva, esse projeto resulta da experiência compartilhada junto aos guardiões de variedades crioulas de sementes e respectivas organizações de agricultores no território do estado do RS, constituindo uma trajetória de pesquisa e desenvolvimento, a qual para além das ações direcionadas à conservação do germoplasma tem colocado em evidência e buscado refletir sobre os atores sociais e suas relações com as sementes (BEVILAQUA, et. al, 2014; SILVA, et. al, 2015).
Considera-se neste processo o projeto em desenvolvimento “Ações da Rede de Pesquisa em Sementes Crioulas e Agroecológicas do Rio Grande do Sul na inovação social e tecnológica” coordenado pela Embrapa Clima Temperado e o projeto “Rede-Sociotécnica de Guardiões de Sementes Crioulas para Ampliação da Agrobiodiversidade, Segurança e Soberania Alimentar, financiado pelo CNPQ e desenvolvido em parceria Embrapa Clima Temperado/UFPel/ IFSUL, ambos projetos em interface com a equipe integrante apresentada para este trabalho.
Espera-se a partir do conjunto de ações propostas, fortalecer e ampliar os processos de conservação da agrobiodiversidade junto aos guardiões, comunidades e organizações de agricultores, bem como contribuir para a ampliação do conhecimento acadêmico e científico sobre a temática e abordagem do manejo e conservação da agrossociobiodiversidade no contexto da agricultura familiar.

Metodologia

A construção da perspectiva da análise orienta-se a partir do aporte teórico da percepção orientada para os atores sociais (LONG, 2007), a qual considera os atores em seus mundos sociais e a partir da configuração de modos de vida próprios e processos organizativos singulares, destacando a capacidade de agência ou ação dos participantes, a partir da qual se busca ampliar os conhecimentos sobre os processos de identificação e as práticas de conservação.
Trata-se de uma pesquisa de abordagem qualitativa, centrada na compreensão das dinâmicas sociais consideradas em complexidade (GERHARDT e SILVEIRA, 2009). Além disso, busca-se apoiar no processo de pesquisa-ação, considerando a trajetória em comum compartilhada por integrantes da equipe de pesquisa a qual tem buscado fortalecer e ampliar os processos de conservação através do diálogo e troca de conhecimentos entre agricultores, técnicos, pesquisadores e professores, integrando e potencializando os diferentes conhecimentos e saberes envolvidos. Para maior detalhamento, a metodologia consta descrita especificamente ao considerar as ações propostas no projeto.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores e metas:
- Mapeamento realizado sistematizando as experiências de conservação da agrobiodiversidade existentes na região bem como as potencialidades e ameaças a sua existência e reprodução.
- Validação de metodologias participativas de avaliação de variedades crioulas.
- Determinação da composição centesimal, caracterização de propriedades tecnológicas e nutricionais, identificação de potenciais de consumo entre consumidores e produtores.
- Consolidação e qualificação dos processos de gestão e manejo nos espaços de aprendizagem coletiva;
- Participação na organização e realização das feiras locais da agrobiodiversidade e sementes crioulas.
- Abertura de novas oportunidades de mercado para inclusão dos produtos da agrobiodiversidade.
- Experiências sistematizadas e artigos publicados.

Resultados esperados:

Espera-se primeiramente desenvolver e integrar a equipe interdisciplinar que embasa esta proposta como forma de constituir um espaço de diálogo e troca de conhecimentos, fundamental para o desenvolvimento do projeto. Nesta perspectiva, a aproximação aos guardiões e organizações de agricultores para fins de reconhecimento mútuo e mapeamento dos processos de conservação contribuirá para ampliação do conhecimento sobre os desafios, potencialidades e ameaças à existência e ampliação da agrobiodiversidade. O desenvolvimento e consolidação de metodologias de avaliação participativa de variedades crioulas, bem como a determinação nutricional e avaliação sensorial contribuem para ampliar e popularizar os usos e possibilidades de agregação de valor e geração de renda para agricultura familiar. Auxiliam nesta perspectiva a construção social de mercados e consequente aproximação ao público urbano. Além disso, o fortalecimento dos espaços de aprendizagem coletiva, e apoio às feiras locais e regionais de troca de sementes e agrobiodiversidade promovem a inter-cooperação entre agricultores guardiões, organizações e instituições. Ao final do projeto, o conjunto de ações realizadas, deverá contribuir para consolidar e ampliar os processos de conservação da agrobiodiversidade, promovendo a segurança alimentar e incrementando a diversidade da produção e consumo de alimentos, colaborando para qualidade de vida e saúde ambiental e humana.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALBERI NORONHA
ALCEMAR ADILIO INHAIA
BIANCA PIO AVILA
CARLOS ROGERIO MAUCH3
CAROLINE ZALAMENA
Cledenir Vergara Mendonça
Eberson Diedrich Eicholz
FERNANDO LUIZ HORN
FREDERICO DE CASTRO MAYER
GILBERTO ANTONIO PERIPOLLI BEVILAQUA
GILBERTO ANTONIO PERIPOLLI BEVILAQUA
HENRIQUE ANDRADE FURTADO DE MENDONCA17
IRAJÁ FERREIRA ANTUNES
JOSUAN STURBELLE SCHIAVON
JOSUAN STURBELLE SCHIAVON
José Cleber Dias de Souza
LIDIANE GREGORIO
LUCIO ANDRE DE OLIVEIRA FERNANDES21
MARCIA AROCHA GULARTE1
NIZIÉLI CAZAROTTO BARBOSA
PATRÍCIA MARTINS DA SILVA24
RICARDO ARNS NETO
ROSEMERI BERGUENMAIER DE OLANDA
RÉGIS DE ARAUJO PINHEIRO
TATIANA SCHIAVON DE ALBUQUERQUE
Zamir Cardoso

Página gerada em 18/05/2022 11:25:27 (consulta levou 0.101887s)