Nome do Projeto
Ações e metas de estudos, inventário e diagnóstico do Distrito de Irrigação do Chasqueiro (DIC)
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
09/02/2021 - 09/02/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Meio ambiente
Linha de Extensão
Desenvolvimento regional
Resumo
Criação do Sistema de Irrigação do Chasqueiro Como resultado dos estudos no âmbito do projeto CLM/FAO/PNUD para o Desenvolvimento da Bacia da Lagoa Mirim, o sistema do Chasqueiro foi considerado um projeto piloto na área de irrigação, no qual o objetivo era adquirir experiência capaz de ser transferida a outros projetos de maior porte. Sua finalidade era, com a área irrigável aproximada de 10.000 hectares, desenvolver a produção hortigranjeira, da soja, do arroz e de outras culturas não tradicionais da região, tendo em vista a necessidade de suprir com matéria-prima às indústrias de alimentação existentes na cidade de Pelotas e seu entorno. Foram concluídos em dezembro de 1976 os projetos básicos do distrito de irrigação e da barragem. Características técnicas e Localização Localizada no município de Arroio Grande, no sul do Rio Grande do Sul, a 3 km da BR-116, km 600, a Barragem do Arroio Chasqueiro foi construída nos arroios Chasqueiro e Chasqueirinho, é uma barragem de terra, com 1.200 metros de comprimento e altura máxima de 22 metros, em operação desde 1983. A barragem e o sistema de irrigação a ela associado, são obras públicas que, desde a publicação do decreto nº 1.148, de 26 de maio de 1994, são administradas pela Agência da Lagoa Mirim da Universidade Federal de Pelotas. A disponibilidade hídrica média de longo prazo, segundo estudos e projeto básico desenvolvidos, permite irrigar, por gravidade, com garantia de 95% do tempo, cerca de 6.000 hectares por ano. Em anos de elevada pluviosidade esta capacidade de irrigação pode exceder a 7.000 hectares, porém decai para menos de 3.000 hectares em anos de estiagens severas, considerando o sistema tradicional de usos que adota exclusivamente água oriunda da barragem. Como características de suas estruturas têm-se uma crista de coroamento com largura aproximada de 9 metros, localizada na cota 45,6 metros, um vertedouro e tomada d’água de concreto próximo da ombreira esquerda da barragem. A área de alagamento encontra-se próxima a 1.650 hectares e armazena um total de 117 milhões de metros cúbicos de água, com um volume útil de 105,6 milhões de metros cúbicos e uma bacia de captação de aproximadamente 24 mil hectares. Descontada a perda líquida por evaporação e, considerando o consumo de 14 mil metros cúbicos por hectare, a área anual irrigável, de projeto, é da ordem de 7.100 hectares (COODIC, 2019). Um dos principais destaques do Distrito de Irrigação está na abrangência de uma área total de 26 mil hectares e aproximadamente 20 mil hectares irrigáveis, que conta com uma a rede principal de distribuição de água que compõe o sistema de irrigação, dotado de um sistema de canais, tomadas d’água, controles de nível, quedas verticais, extravasores laterais de emergência, medidor tipo Parshall, estradas para operação e manutenção dos canais, bueiros, pontilhões, aqueduto sobre o Arroio Chasqueiro e ponte na BR-116, somando um total de 90 obras hidráulicas em concreto armado e 38 pontilhões de madeira. A principal rede é constituída basicamente de 3 canais de irrigação, C-1, C-2 e C-2/1 com extensão total de 90 km (ALM, 2019).

Objetivo Geral

Caracterizar, Inventariar e Diagnosticar o Distrito de Irrigação do Chasqueiro (DIC), localizado no município de Arroio Grande/RS, sua estrutura de armazenamento, de distribuição, de condução e de controle de água empregada à irrigação e todo seu sistema de aporte energético e de logística.

1.1. Inventariar as infraestruturas de irrigação de uso comum do DIC;
1.2. Diagnosticar e propor e orçar detalhadamente as possíveis e necessárias ações à reabilitação das infraestruturas de irrigação de usos compartilhados;
1.3. Identificar as áreas atendidas pelas infraestruturas de irrigação de uso comum.
1.4. Identificar as áreas atendidas pelo reaproveitamento de água de drenagem, oriundas da irrigação de parcelas com água da Barragem do Arroio Chasqueiro;
1.5. Diagnosticar a evolução socioeconômica e produtiva do DIC;
1.6. Diagnosticar a evolução de uso do solo e paisagística do DIC desde sua implantação.

Justificativa

O distrito visa aumentar a disponibilidade hídrica e garantir a produção agrícola, evitando perdas de safra consequentes das frequentes estiagens de primavera-verão. Além disso, ocorre o aproveitamento racional de recursos de água e solos para a implantação e desenvolvimento da agricultura irrigada. Sua existência foi prioritária para o desenvolvimento da microrregião da bacia hidrográfica da Lagoa Mirim, que depende direta ou indiretamente dessa forma de agricultura.

Metodologia

I. Inventário das Infraestruturas do Distrito de Irrigação
Nesta etapa deverá ser realizada, primeiramente, a verificação junto a Superintendência da SPU em Porto Alegre sobre o cadastro das obras implantadas pela SUDESUL e ALM. Consolidar o inventário de todas as estruturas, obras e áreas desapropriadas; Quantificar as áreas e volumetria das estruturas e obras; Quantificar as áreas desapropriadas além de georreferenciar os vértices e perímetros de confrontação dos usuários;

II. Diagnóstico das Infraestruturas do Distrito de irrigação
Descrever a situação em que se encontram as infraestruturas e equipamentos; Elaboração de laudo técnico com as condições patológicas da estruturas de concreto, dos maciços de terra, canais de derivação e calhas de atendimento secundário; Elaboração de parecer sobre as condições eletromecânicas dos equipamentos utilizados nas operações de bombeamento e auxiliares ao represamento; Análise da documentação do distrito e verificar o atual estágio de atuação; Verificação do perfil dos usuários e comunidade atendida; Identificação dos modelos de gestão, bem como seus pontos positivos e negativos.

III. Identificação, avaliação e valoração das infraestruturas do Distrito de Irrigação
Considerando que a Lei nº 12.787/2013, e mesmo a Lei de Irrigação revogada, prevê a amortização da infraestrutura de irrigação de uso comum implantada com recursos federais, se faz necessário ter o valor atualizado destas infraestruturas;

IV. Identificação e cadastramento das áreas beneficiadas pelo Distrito de Irrigação
Identificação das áreas irrigáveis atendidas pelo Distrito de Irrigação especificando as atendidas pelas estruturas de irrigação (origem da barragem) e de reaproveitamento, identificando as áreas atendidas somente por reaproveitamento, apontando possibilidade e limites. O Distrito de Irrigação do Arroio Chasqueiro possui em sua área de abrangência de aproximadamente 20 mil hectares irrigáveis, destes somente 8.500 hectares utilizam anualmente as infraestruturas do projeto para a irrigação, isto devido a capacidade de armazenamento de água. Há também áreas que são beneficiadas pelo reaproveitamento da água de drenagem. Para tanto, se faz necessário a identificação e cadastramento das áreas beneficiadas pelas infraestruturas de drenagem do Distrito e os usos com distintas culturas, que não o arroz; Aplicação do Boletim de Informações Cadastrais - BIC para a atualização do cadastro dos usuários, assim como a atualização do cadastro das lavouras irrigadas. Também será realizado o mapeamento georreferenciado conforme Manual de Confrontação e a 3ª Norma de Georreferenciamento de Imóveis Rurais, buscando definir os limites das poligonais dos proprietários usuários do DIC.

V. Estudo e Avaliação Energética do Distrito de Irrigação do Chasqueiro
O Distrito possui estações elevatórias empregadas para o reaproveitamento de água (e outras iniciativas de ampliação do Distrito) que empregam a energia elétrica como fonte de energia. Serão realizados estudos que permitam diagnosticar possibilidades de usos de fontes alternativas de energia e substituição gradual da alimentação das estações elevatórias que empregam energia elétrica, considerando para tanto, em especial a viabilidade econômica; Contabilizar as áreas produtivas e a demanda de energia para propor ações que promovam o desenvolvimento sustentável.

VI. Estudo e diagnóstico da evolução socioeconômica e produtiva do Distrito de irrigação
Através dos BICs e relatórios da COODIC, inventariar a evolução socioeconômica e produtiva do distrito de irrigação com identificação de taxas produtivas e sua relação com as dinâmicas ambientais; traçar o perfil socioeconômico dos usuários e associados à COODIC.
VII. Diagnosticar a evolução de uso do solo e paisagístico do Distrito Irrigação desde sua implantação
Realizar mapeamento multitemporal e sazonal dos usos do solo na bacia identificando os períodos produtivos e de pousio; diagnosticar os períodos de estiagem e os períodos com as principais demandas de irrigação; inventariar as áreas degradadas e elaborar propostas de recuperação.

VIII. Programa de reabilitação do Sistema e de suas infraestruturas
Descrever ações necessárias, recomendações, quantificando e orçando os serviços e obras para reabilitação das infraestruturas e apontar principais problemas enfrentados pelo Distrito. Identificar e relacionar outros problemas, além das estruturas, que possam impactar diretamente o funcionamento atual e a garantia do funcionamento futuro e sustentabilidade técnica do Distrito de Irrigação, considerando a irrigação e a drenagem, necessárias; Cita-se a avaliação das condições da topografia original e atual dos terrenos irrigados, com prognóstico de sistematização de quadras de alagamento para otimização do fluxo de irrigação; Reconfiguração da geometria e distribuição de canais de derivação buscando alternativas de recirculação e reaproveitamento da água, entre outros; Realizar uma descrição das ações necessárias, recomendações, quantificando, orçando os serviços e obras para a reabilitação das infraestruturas; Mensurar e definir recursos necessários para a realização de ações de melhorias, bem como a manutenção de mecanismos de monitoramento.

IX. Diagnóstico e Prognóstico do Distrito de Irrigação do Chasqueiro
Realizar um Relatório Técnico da situação atual do Distrito, suas estruturas, capacidades, fragilidades e potencialidades através de uma estrutura descritiva detalhada com base em mapas georreferenciados e apontamentos de possibilidades para sustentabilidade do sistema no tempo.

Indicadores, Metas e Resultados

I Inventário das Infraestruturas do Distrito de Irrigação: Inventariar, quantificar, descrever e georreferenciar as estruturas, obras e áreas desapropriadas;
II Diagnóstico das Infraestruturas do Distrito de irrigação: Descrever estruturas e equipamentos, apontando seu estado de conservação e as condições atuais de operação;
III Identificação, avaliação e valoração das infraestruturas do Distrito de Irrigação: Identificar fragilidades presentes nas estruturas do distrito que possam impactar o funcionamento atual e futuro do Distrito Irrigação, estimando valor e custos, apontando alternativas para sua consolidação;
IV Identificação e cadastramento das áreas beneficiadas pelo Distrito de Irrigação: Identificação das áreas irrigáveis atendidas pelo Distrito de Irrigação especificando as atendidas pelas estruturas de irrigação (origem da barragem) e de reaproveitamento, identificando as áreas atendidas somente por reaproveitamento, apontando possibilidade e limites;
V Estudo e Avaliação Energética do Distrito de Irrigação do Chasqueiro: Descrever e Identificar usos atuais e verificar possibilidades de usos de fontes alternativas de energia com substituição gradual da alimentação;
VI Estudo e diagnóstico da evolução socioeconômica e produtiva do Distrito de irrigação: Através dos BICs e relatórios da COODIC, inventariar a evolução socioeconômica e produtiva do distrito de irrigação com identificação de taxas produtivas e sua relação com as dinâmicas ambientais; traçar o perfil socioeconômico dos usuários e associados à COODIC;
VII Diagnosticar a evolução de uso do solo e paisagístico do Distrito Irrigação desde sua implantação: Realizar mapeamento multitemporal e sazonal dos usos do solo na bacia identificando os períodos produtivos e de pousio; diagnosticar os períodos de estiagem e os períodos com as principais demandas de irrigação; inventariar as áreas degradadas e elaborar propostas de recuperação;
VIII Programa de reabilitação do Sistema e de suas infraestruturas: Descrever ações necessárias, recomendações, quantificando e orçando os serviços e obras para reabilitação das infraestruturas;
IX Diagnóstico e Prognóstico do Distrito de Irrigação do Chasqueiro: Relatório Técnico da situação atual do Distrito, suas estruturas, capacidades, fragilidades e potencialidades através estrutura descritiva com base em mapas georreferenciados.



Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALESSANDRA MAGNUS LAZUTA
ALEXANDRE FELIPE BRUCH9
ANGÉLICA CIROLINI8
BETHANIA LUISA LESSA WERNER
ERIKA MATTE PERALTA2
FELIPE DE LUCIA LOBO1
FERNANDA DE MOURA FERNANDES1
GABRIEL BORGES DOS SANTOS
GABRIEL RENZ DA SILVA
GEORGE MARINO SOARES GONÇALVES
GILBERTO LOGUERCIO COLLARES12
GUILHERME KRUGER BARTELS2
JAMILSON DO NASCIMENTO
JANICE FERREIRA DA SILVEIRA
KÁSSIA PAOLA SCHIERHOLT
LEANDRA MARTINS BRESSAN
LETÍCIA ALVES SILVEIRA
LUIZ GUILHERME MARTINHO SAMPAIO ITO
LUKAS DOS SANTOS BOEIRA
NATHALIA LIMA ESTEVAM
PEDRO LOGUERCIO DE ÁVILA
RAFAEL CORTELETTI1
RAFAEL FERRARI ULGUIM EHLERT
REGINALDO GALSKI BONCZYNSKI2
RENAN SOUSA VIDAL
SILVANA SCHIMANSKI1
VICTORIA DE SOUZA WOJAHN
VINICIUS FARIAS CAMPOS1
VIVIANE SANTOS SILVA TERRA8

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
MDR / Ministério do Desenvolvimento RegionalR$ 822.216,81Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339033 - Passagens de Despesas de LocomoçãoR$ 46.100,00
339030 - Material de ConsumoR$ 83.848,00
339020 - Auxílio Financeiro a PesquisadorR$ 266.400,00
449052 - Equipamentos e Material PermanenteR$ 167.352,00
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 258.516,81

Página gerada em 21/09/2021 14:23:42 (consulta levou 0.182761s)