Nome do Projeto
Rede Andifes Idiomas sem Fronteiras - Núcleo de Línguas/UFPel
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
03/05/2021 - 31/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Linguística, Letras e Artes
Eixo Temático (Principal - Afim)
Educação / Comunicação
Linha de Extensão
Línguas estrangeiras
Resumo
O presente projeto foi elaborado para institucionalizar as ações de ensino e extensão da rede Andifes Idiomas sem Fronteiras, dando continuidade ao programa que vigorou no MEC entre 2014 e 2019. De acordo com o projeto institucional disponibilizado pelo núcleo gestor, "nessa configuração, a rede prima por ser uma política pública que está aparelhada por um sistema de comunicação que aproxima os públicos internos das universidades federais, de modo que se fortaleçam as iniciativas de internacionalização através dos Núcleos de Línguas (NucLi) credenciados" (2020). A principal finalidade do projeto é a de contribuir com os processos de internacionalização das instituições de ensino superior no Brasil e qualificar a formação da comunidade acadêmica através da oferta de cursos de línguas estrangeiras para fins acadêmicos e específicos, conforme o catálogo de cursos. Posteriormente, haverá o cadastro de outro projeto voltado para a formação de professores, de forma que ambos os projetos possam atuar de forma conjunta em um programa de extensão, conforme as orientações da Rede Andifes/ IsF.

Objetivo Geral

Segundo o projeto institucional da Rede Andifes Idiomas sem Fronteiras, são objetivos gerais:
- promover o desenvolvimento linguístico-discursivo em língua estrangeira das comunidades universitária e externa, por meio de cursos e oficinas com fins específicos, a serem ministrados por licenciandos e licenciados em Letras;
- promover o desenvolvimento acadêmico-profissional de licenciandos e licenciados em Letras."

Os objetivos específicos das atividades de desenvolvimento de habilidades em línguas estrangeiras para fins acadêmicos para a comunidade, por sua vez, envolvem:
"- ampliar o acesso da comunidade interna e externa a cursos presenciais, a distância ou híbrido de línguas estrangeiras para fins acadêmicos, com foco para a internacionalização;
- promover capacitação para a produção textual (artigos e resumos) em línguas estrangeiras;
- dar suporte a pesquisadores com relação à participação em eventos internacionais por meio de comunicações orais, apresentações de pôsteres, entre outras modalidades, em língua estrangeira;
- facilitar o contato inicial e/ou continuado da comunidade interna e externa atendida com parceiros internacionais com o objeto de informar e/ou negociar e/ou divulgar oportunidades de estudos, intercâmbios, palestras, eventos, atividades de ensino pesquisa e extensão relevantes para a comunidade universitária;
- contribuir para o processo de internacionalização da IES (nomear instituição) e dos seus centros de pesquisa, por meio de cursos voltados para o contexto acadêmico;
- contribuir para a inserção acadêmica e social de alunos estrangeiros, bem como de migrantes, por meio dos cursos de Português como Língua Estrangeira e Português como Língua de Acolhimento;
- oferecer capacitação linguística a professores de idiomas da Educação Básica;
- fomentar a diversidade linguístico-cultural;
- promover atividades que estimulem o intercâmbio acadêmico, científico e cultural, dentro da universidade e com a comunidade externa."

Justificativa

"O projeto decorre da necessidade da comunidade universitária de aperfeiçoamento constante em línguas estrangeiras a fim de contribuir com a internacionalização no intercâmbio de conhecimento científico-acadêmico. Pesquisadores (DELLAGNELO, BRAGA, SOUZA, 2020, no prelo) têm apontado que a mobilidade acadêmica internacional, quer através do envio de estudantes para temporada de estudos em instituições de ensino superior em outros países, quer através da recepção de estudantes internacionais em instituições nacionais, é indispensável à geração de vantagens institucionais e de potenciais benefícios econômicos para as nações envolvidas.
Com a intensificação da cooperação internacional (mesmo em tempos de crise sanitária provocada pela COVID-19), tem-se constatado ser cada vez mais necessária uma formação acadêmica e profissional que proporcione vasto conhecimento internacional e habilidades e atitudes interculturais. Dessa forma, aAs atividades propostas consistem em ações de apoio à aprendizagem de diferentes línguas, nomeadamente alemão, espanhol, francês, inglês e português como língua adicional, oferecidos presencialmente e em plataformas digitais, tendo como público alvo a comunidade interna e externa da UFPel.

Metodologia

As atividades do projeto compreendem a oferta de cursos de idiomas para fins acadêmicos ou específicos, que serão viabilizados pelas universidades parceiras, credenciadas à Rede Andifes-IsF nas categorias de Ofertante ou Polo de Aplicação (caso da UFPel).

Os cursos são ofertados com base em um Catálogo de Cursos gerado a partir de mapeamento, tematização e seleção de cursos de língua inglesa submetidos pelas instituições participantes. Os cursos são divididos em quatro macro categorias – Exames (de proficiência linguística), Cultura, Propósitos Acadêmicos e Áreas Específicas – e os níveis linguísticos considerados foram aqueles constantes do Quadro Europeu Comum de Referência de Línguas, isto é, A1, A2, B1, B2, C1, C2, sendo o nível A1 utilizado para designar o falante básico em nível inicial e o nível C2 para designar o falante proveniente com domínio pleno.

Os cursos de extensão poderão contemplar os idiomas alemão, espanhol, francês, italiano, inglês, japonês e português para estrangeiros, a critério do interesse e disponibilidade da IES, podendo ser ofertados nas modalidades presencial, a distância ou híbrido, dependendo do contexto e das condições sanitárias. Terão como público-alvo as comunidades internas (docentes, discentes e servidores técnicos) e externas (pessoas interessadas em aprimorar suas habilidades e competências em línguas estrangeiras para fins acadêmicos e de internacionalização).

As práticas de sala de aula dos cursos de idiomas ofertados pela Rede Andifes IsF guiam-se pelos objetivos centrais do ensino para propósitos específicos, quais sejam: aprimorar habilidades que possibilitem a compreensão e a produção científica; proporcionar a familiarização com diferentes contextos de estudo e pesquisa, objetivando a mobilidade presencial ou virtual de docentes e discentes; conscientizar docentes e discentes quanto aos aspectos culturais que permeiam a comunicação em práticas de estudo e pesquisa em contextos situados; oportunizar o uso significativo do idioma em situações de comunicação acadêmica local e internacional; identificar requisitos acadêmicos e sociais de contextos e situações específicas e habilitar a comunidade acadêmica para atuar significativamente em contextos de estudo e pesquisa de acordo com preceitos de internacionalização e mobilidade (DELLA ROSA et al, 2016; FINARDI, PORCINO, 2014; JORDAN, 2012 apud DELLAGNELO, BRAGA, SOUZA, 2020, no prelo).

A metodologia proposta para os cursos compreende aulas expositivas e dialogadas com atividades guiadas e livres executadas em pares ou pequenos grupos, bem como debates e apresentações orais individuais e em grupos (DELLAGNELO, BRAGA, SOUZA, 2020, no prelo). Propõe-se, ainda, o uso contextualizado da linguagem e o trabalho comunicativo nas interações entre os alunos, respeitando as suas necessidades e o contexto de preparação para mobilidade acadêmica, e maximizando oportunidades de exposição ao idioma, permitindo ao(à) aluno(a) que o manipule em situações reais de uso da língua (Ibid). Quando a modalidade EaD for utilizada, as aulas poderão ser síncronas ou assíncronas, dependendo da característica dos cursos ofertados e a disponibilidade dos alunos.

As avaliações serão realizadas ao longo do curso, nas perspectivas formativa e somativa, de preferência por meio de critérios definidos de forma colaborativa entre professor(a) e alunos(as), através de atividades de interação em ambiente virtual de aprendizagem, tarefas em sala de aula, produção escrita, apresentação oral individual, em pares ou em grupos sobre temas trabalhados durante o curso. A média para aprovação é 6,0 (seis vírgula zero) e o percentual de assiduidade para aprovação é 75% (setenta e cinco por cento) (DELLAGNELO, BRAGA, SOUZA, 2020, no prelo).

Indicadores, Metas e Resultados

Com este projeto de extensão, espera-se que:
- se desenvolva a sensibilidade dos atores da atividade extensionistas para a importância das línguas estrangeiras, contribuindo, assim, para que o professor em formação constante seja agente de transformação social;
- se promova reais diálogos entre a universidade e o público atendido, trazendo a comunidade para melhor conhecer intramuros, favorecendo, dessa forma, a quebra de paradigmas que propõem atividades extensionistas apenas quando feitas extramuros;
- se atenda as demandas da comunidade pelo projeto, propiciando um diálogo entre estas duas
- se amplie a atuação do aluno de Letras em atividades de ensino para a qual está sendo formado, a partir de uma adequada capacitação linguística, de modo que seja estimulado a agir com autonomia na solução das adversidades do fazer docente;
- se promova interações sócio acadêmicas e culturais entre o público atendido e a universidade;
- se amplie as trocas entre a comunidade atendida pelo programa, promovendo possíveis melhorias para os estudantes dos cursos de Letras, motivando as relações entre a prática docente e as demandas do público atendido;
- se encoraje os participantes da atividade a exporem os resultados de ação extensionista em eventos acadêmicos, a fim de visibilizar a presença da universidade nas ações comunitárias;
- se amplie o desenvolvimento de métodos e metodologias de ensino de línguas na modalidade EaD;
- se propicie discussões que revelem a importância do Cursos de Letras para a sociedade, haja vista o seu papel na comunicação humana;
- se desenvolva nos professores IsF (alunos e profissionais de Letras) mais envolvimento com a comunidade e mais consciência de seu papel social e profissional;
- se promova a socialização do conhecimento universitário através de publicações acadêmicas, tais como artigos e livros, também por intermédio do material didático produzido/utilizado, contribuindo para uma formação de uma biblioteca virtual que pode ser mantida pelo público atendido.

Página gerada em 20/10/2021 01:56:10 (consulta levou 0.489918s)