Nome do Projeto
Melhoria da qualidade de vida do idoso vivendo em comunidade
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
06/02/2017 - 31/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Saúde
Linha de Extensão
Terceira Idade
Resumo
A inclusão de atividades de extensão e pesquisa em Unidades Básicas de Saúde - UBS possibilita um olhar crítico sobre a atuação do profissional de saúde na comunidade, gerando uma reflexão do seu real dever como profissional. A transição demográfica trouxe novos desafios para profissionais da saúde, em virtude do aumento da expectativa de vida. Esse quadro para a odontologia ainda é mais importante, pois a população idosa que frequenta as UBS são indivíduos com grandes desigualdades sociais. Essa população não têm dentes e nem utilizam próteses dentárias ou quando utilizam, estas não estão adequadas. Essa situação influencia negativamente na fala, alimentação e relações sociais, estando diretamente relacionado com outras doenças, como depressão. Diante disso, é fundamental que a população receba um tratamento multidisciplinar pautado na integralidade da atenção. Portanto, com as informações do estudo realizado em 2009/2010 em onze UBS de Pelotas-RS, os acadêmicos do 10º semestre do curso de odontologia, extensionistas e os dentistas da Secretaria Municipal de Saúde desenvolverão ações de reabilitação da saúde bucal (incluindo a manutenção e instalações de próteses dentárias). Também serão realizadas atividades educativas/preventivas pelos acadêmicos e professores da nutrição e odontologia da UFPel e dentistas e enfermeiros das UBS sobre hábitos e comportamentos saudáveis relacionados à alimentação e saúde bucal. Por fim, os idosos que já foram rastreados com depressão serão acompanhados pelos profissionais das UBS e extensionistas. Todas atividades serão registradas em planilhas eletrônicas e os dados serão compilados de forma a garantir o monitoramento mensal, bem como a avaliação final.

Objetivo Geral

Desenvolver atividades de reabilitação, prevenção e promoção de saúde bucal para os idosos cadastrados em onze unidades de saúde da família do município de Pelotas - RS, visando à melhoria da qualidade de vida da
população idosa residente das áreas de abrangência das Unidades Básicas de Saúde

Justificativa

As propostas de ações de saúde que ainda estão baseadas no modelo de prática tradicional não
permitem que as comunidades recebam atividades na atenção primária, conforme pressupostos atuais
do Sistema Único de Saúde - SUS no qual as ações também se voltam para promoção de saúde e
prevenção de doenças. Sendo assim, há falta de atividades que supram as carências da população
local. A prática dos acadêmicos da odontologia na comunidade vem se mostrando um instrumento
extremamente importante. Além do benefício para a comunidade que desfruta dos serviços, também
colabora na formação do estudante, possibilitando uma experiência que vai além das aulas práticas e
teóricas dentro da universidade. Portanto, cada vez mais torna-se necessário a inserção de acadêmicos
nos serviços públicos de saúde e esta demanda tem tido como ponto de partida os próprios
acadêmicos, que muitas vezes não se sentem contemplados na graduação com atividades
intensivas nesta área. A partir disso, o projeto busca abranger essas necessidades e carências
que o município nas condições atuais não pode atender. A vivência dentro do serviço público de
saúde, no caso, em unidades básicas de saúde possibilita aos acadêmicos do projeto de extensão
a realização de um diagnóstico que consiste na análise minuciosa da organização, cujo propósito é
levantar todas as características: forças, fraquezas e oportunidades. E a partir disso, podem organizar
a demanda interna e abranger outros públicos, através de outros cenários da comunidade. Nas
unidades básicas de saúde serão desenvolvidas ações que proporcionarão aos acadêmicos
trabalhar especificamente com o grupo de idosos. Os cursos da área da saúde em virtude das Diretrizes Curriculares para a área da saúde de 2002 e da transição demográfica das últimas décadas têm adequado os seus currículos para que os acadêmicos adquiram habilidades para promover o atendimento integral desse grupo populacional. No entanto, o curso de odontologia da Universidade Federal de Pelotas não tem
ofertado nenhuma disciplina ou módulo no seu currículo para ações de reabilitação, prevenção e
promoção de saúde para o grupo de idosos. As atividades que serão desenvolvidas no presente projeto nas unidades de saúde preencherão uma lacuna existente hoje no currículo do curso de odontologia, pois serão beneficiados, além dos alunos bolsistas do projeto extensão, aproximadamente 40 acadêmicos (em cada
semestre) do último semestre do curso de odontologia que estarão realizando o seu estágio curricular obrigatório nas unidades básicas de saúde. Outro ganho para os acadêmicos é que eles atuarão em atividades interdisciplinares e em parceria com os profissionais do serviço de saúde do município, o que as atividades curriculares atuais do curso de odontologia não têm proporcionado durante a sua formação. Essas
atividades indiscutivelmente ampliarão o olhar dos acadêmicos sobre os determinantes do processo
saúde doença. Por fim, o outro grupo beneficiado pelas ações da extensão serão os idosos das onze
unidades básicas de saúde, que participaram de um projeto de pesquisa, que como muitos que são
desenvolvidos no município Pelotas - RS não trazem mudanças significativas na qualidade de
vida dos participantes. Esses idosos receberão um atendimento multidisciplinar, com a atenção para a
sua saúde bucal, situação nutricional e para aqueles com sintomas de depressão um
acompanhamento para a melhoria da sua saúde mental. Todas essas ações serão pautadas pelo
aumento do vínculo dos idosos e/ou dos seus cuidadores com a sua unidade básica de saúde de
referência. Para atingir os objetivos propostos serão desenvolvidas ações de acolhimento que
serão realizadas pelos profissionais da unidade de saúde, acompanhados dos acadêmicos dos cursos
envolvidos e extensionistas. As seguintes atividades que serão desenvolvidas: oficinas sobre
dieta e alimentação saudável na unidade básica e nos diferentes espaços sociais (associações de
bairro, de idosos, entre outros) realizados pelos alunos dos cursos de odontologia e nutrição com a
participação dos profissionais da unidade de saúde; atividades de acompanhamento dos
prováveis casos de depressão (128 idosos) pelos alunos extensionistas juntamente com os
profissionais da enfermagem e medicina da unidade de saúde; reabilitação da saúde bucal com
a instalação de próteses dentárias em 200 idosos identificados no levantamento epidemiológico com
necessidade de prótese dentária e atividades de reabilitação e prevenção, incluindo a manutenção
dos dentes naturais, das suas próteses dentárias e o autoexame do câncer bucal.

Metodologia

As atividades propostas no presente projeto serão todas desenvolvidas nas unidades básicas de saúde do município de Pelotas - RS, com caráter de reabilitação da saúde bucal intercalado com atividades coletivas e/ou individuais de promoção saúde e prevenção das doenças nas próprias unidades?de saúde e/ou nos diferentes espaços sociais. 1 Locais de atuação. As atividades do presente projeto de extensão serão desenvolvidas em onze unidades básicas de saúde (Arco-íris, Barro duro, Bom Jesus, Dunas, Getúlio Vargas,
Navegantes, Sanga Funda, Simões Lopes, Sítio Floresta, Vila Municipal e Vila Princesa) do
município de Pelotas-RS que fazem parte da Estratégia Saúde da Família-RS. 2 População alvo.
Serão beneficiados com as ações do projeto os idosos da área de abrangência que tenham
cadastro nas onze unidades de saúde, os profissionais das unidades básicas da Secretaria
Municipal de Saúde que contarão com apoio técnico, recursos humanos qualificados e financeiros para melhorar a qualidade do atendimento prestado à população de idosos e os acadêmicos dos cursos da saúde da Universidade Federal de Pelotas envolvidos no projeto que irão planejar , atuar e avaliar as ações que serão
desenvolvidas em diferentes cenários coletivos. 3 Estratégias de atuação. As atividades do presente
projeto contarão com a participação do coordenador geral, dos coordenadores das instituições participantes e de todos os acadêmicos envolvidos na condição ou não de bolsistas do projeto. A sequência de atividades está descrita abaixo: A. Reunião com a coordenação de cada unidade saúde e reconhecimento da organização e infraestrutura disponível. Primeiramente será realizada uma reunião com todos os coordenadores das unidades de saúde apresentando as propostas do presente projeto e se necessário em virtude de alguma característica da unidade de saúde serão feitas adequações para que as ações contemplem a rotina das atividades?que são realizadas na unidade de saúde. Neste mesmo dia será
observada a infraestrutura disponível de cada unidade e a organização de trabalho da equipe de
saúde (categorias profissionais, turnos de trabalho, número de consultas, atividades coletivas
desenvolvidas, entre outras). B. Reunião com toda a equipe de saúde. Será realizada uma reunião
com toda a equipe de saúde (agentes comunitários de saúde, auxiliares de saúde bucal, técnicos de
enfermagem, enfermeiros e médicos) de cada uma das onze unidades de saúde com a apresentação
de todas as atividades que serão desenvolvidas durante o ano na unidade, informando que serão
realizadas avaliações quinzenais pela coordenação e reuniões mensais com a equipe. Ao final das
discussões também serão aceitas propostas de adequação das atividades do projeto. C. Reunião
com os representes dos idosos de cada unidade de saúde. Serão convidados os idosos cadastrados
nas onze unidades de saúde para que conheçam a proposta do projeto e que possam ajudar na
formatação final das ações propostas. Neste momento serão explicadas quais as ações que
serão realizadas, quais os idosos que inicialmente receberão as atividades de reabilitação e coletivas
e que todos os idosos cadastrados receberão atividades coletivas educativo/preventivas. D.
Atualização das informações dos idosos cadastrados na unidade de saúde. Juntamente com
as agentes de saúde será feito um levantamento e organização de um banco de dados com o nome
completo, endereço, sexo, idade e telefone de contato de todos os idosos cadastrados nas
unidades de saúde. De posse desse banco serão localizados os 438 idosos que participaram do
levantamento epidemiológico em 2010/2011 e também será identificado o número total de idosos
cadastrados nas onze unidades de saúde. E. Triagem inicial dos idosos que receberão atividades
reabilitadoras e primeira atividade educativo/preventiva coletiva. Com o auxílio dos
agentes de saúde serão confeccionados convites para os 438 compareçam a sua unidade de saúde
em dia e hora marcados para que seja feita uma triagem das condições de saúde para a confecção
do plano de tratamento odontológico. A participação nesta triagem será requisito para o
recebimento das atividades reabilitadoras. Para os idosos identificados com necessidade de
reabilitação protética serão realizados o encaminhamento para confecção das próteses no?
mesmo laboratório credenciado pelo Ministério da Saúde - MS que confeccionam as próteses
dentárias para as unidades de saúde do município de Pelotas-RS. Aproveitando a presença dos idosos
na unidade no dia da triagem será feita uma atividade educativo/preventiva coletiva com esses
idosos. F. Atividades reabilitadoras para os idosos. Os 438 idosos identificados no levantamento
epidemiológico receberão atividades reabilitadoras restauradoras, periodontais, cirúrgicas e
protéticas. Após a triagem inicial será confeccionado o plano de tratamento e serão planejados o número de consultas necessárias para conclusão do tratamento e serão realizados agendamentos semanais dos idosos. Para aqueles com necessidade de prótese serão confeccionados os modelos e encaminhados ao laboratório
credenciado para confecção da prótese dentária. G. Atividades coletivas para todos os idosos
cadastrados nas unidades de saúde. Em virtude do grande número de idosos (aproximadamente 3000
cadastrados) serão propostas atividades coletivas semanais nas unidades de saúde sempre com a
participação de no mínimo de?um bolsista do projeto e um acadêmico do 10º semestre do curso
de odontologia que estará desenvolvendo o seu estagio obrigatório. Nas atividades coletivas que
envolvam questões relacionadas à dieta e hábitos e comportamentos alimentares terá sempre um
acadêmico do curso de nutrição. Também está programado a participação de no mínimo um
agente comunitário de saúde, auxiliar?de saúde bucal (naquelas unidades onde tenham este
profissional) e o profissional de enfermagem. Os temas destas atividades estarão relacionados à
prevenção das principais doenças bucais que afetam este grupo, hábitos e comportamentos
relacionados à saúde bucal, alimentação saudável, saúde geral (diabete, hipertensão, depressão,
entre outros) e assuntos que forem identificados pelos idosos como importantes para a sua saúde,
nas reuniões que serão realizadas nas unidades de saúde com os mesmos. Todas as atividades serão
participativas, proporcionando um ambiente de diálogo e o entendimento por parte dos idosos que
estes assuntos são importantes para a sua qualidade de vida. H. Localização e acompanhamento dos idosos rastreados com depressão. Aqueles idosos identificados com depressão (aproximadamente 128) serão
convidados inicialmente para uma atividade individual com a participação dos acadêmicos do
projeto, enfermeiro(a) e do médico da unidade de saúde. Também será feito um contato com a
coordenação do curso de Psicologia da UFPel para convidar os professores e acadêmicos para
participar desta atividade. Os idosos novamente responderão ao instrumento de rastreamento e
caso seja confirmado os sintomas de depressão será proposto a realização do acompanhamento
com consultas individuais com os profissionais da unidade (acadêmicos do projeto participando como
observadores da terapêutica) e atividades coletivas com os acadêmicos do projeto e profissionais da
unidade de saúde. I. Avaliação das atividades propostas no projeto. A equipe do presente projeto
realizará a conferência, preenchimento e digitação de todas as informações que serão obtidas durante
as atividades do projeto de extensão em uma planilha de dados. A organização das informações
acontecerá semanalmente e mensalmente será realizada?uma conferência geral de todas as
informações obtidas. As avaliações serão trimestrais e ao final?dos 12 meses será confeccionado um relatório que será enviado a cada uma das entidades participantes. Os relatórios trimestrais permitirão avaliar a
necessidade de alguma mudança nas atividades que estão sendo desenvolvidas e a possibilidade da inclusão de outros idosos que não aqueles participantes do levantamento epidemiológico de 2009/2010 nas atividades reabilitadoras de saúde bucal.

Indicadores, Metas e Resultados

Avaliação Pelo Público O processo de avaliação será permanente durante todas as atividades do projeto. Todos os atores envolvidos no projeto de extensão serão consultados (idosos, profissionais das unidades básicas e coordenadores dos cursos de odontologia e nutrição). INDICADORES DAS ATIVIDADES COLETIVAS: Ao final de cada atividade coletiva (educativa/preventiva) desenvolvida em cada uma das onze unidades de saúde serão aplicados questionários aos idosos. Os indicadores das atividades educativas são: 1. Cobertura das atividades educativas e 2. Satisfação com as atividades educativas. As metas das atividades coletivas são: Ao final dos 6 meses espera-se que 40% dos idosos tenham realizados atividades educativas. ATIVIDADES DE REABILITAÇÃO DA SAÚDE BUCAL: Serão realizadas reuniões mensais com as instituições participantes para discussão das atividades que estão sendo desenvolvidas.Para as atividades de reabilitação de saúde bucal serão aplicados questionários individuais para avaliar o processo de atendimento realizado pelos acadêmicos em parceria com os profissionais de odontologia das unidades de saúde.Serão realizadas três avaliações intermediárias (aos 3, 6 e 9 meses) e uma avaliação final dos 12 meses. Os resultados das avaliações intermediárias servirão para identificar possíveis problemas nas atividades inicialmente propostas e se necessário planejar mudanças de rumo. Os indicadores das atividades de reabilitação são:1. Cobertura de Primeira Consulta Odontológica. 2. Tratamento Odontológico Concluído; e 3. Cobertura de Reabilitação de Prótese Dentária. Metas: 60% dos idosos que foram atendidos nas clínicas odontológicas serão reabilitados com próteses dentárias.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEXANDRE EMIDIO RIBEIRO SILVA4
ANDREIA MORALES CASCAES1
CARLOTA ROCHA DE OLIVEIRA
ISABELLE KUNRATH
ISADORA SCHWANZ WÜNSCH
JÚLIA FREIRE DANIGNO
LUCAS TEIXEIRA UARTH
MARIANE BALTASSARE LAROQUE
SILVANA PAIVA ORLANDI1

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
MEC - ProExt / Programa de Extensão Universitária - MECR$ 40.424,50Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
Outros serviçosR$ 30.000,00
Material de laboratórioR$ 3.894,20
Equipamentos e material permanente (móveis, máquinas, livros, aparelhos etc.)R$ 6.530,30

Página gerada em 15/12/2019 03:51:51 (consulta levou 0.259204s)