Nome do Projeto
Medicina Veterinaria na Promoção da Saúde Humana e Animal: Ações em comunidades Carentes como enfrentamento da Desiguladade Social
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
10/01/2017 - 13/12/2018
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Grupos sociais vulneráveis
Resumo
Devido ao desemprego e baixa escolaridade, inúmeras pessoas residentes em Pelotas-RS sobrevivem da coleta de resíduos da cidade, sendo caracterizadas como em vulnerabilidade social. Neste contexto, observa-se um grande número de animais em convívio direto com estas pessoas, compartilhando, diuturnamente, não só o ambiente físico e a alimentação, mas também a afeição psíquica e física. Contudo, atrelados a íntima relação existente entre animais e a população em geral, está o manejo inadequado, a falta de controle de enfermidades e controle populacional destes mesmos animais, que representam um risco para a saúde humana, ambiental e dos próprios animais. O projeto incentivará o controle populacional de animais e controle de zoonoses, assim como conscientizará a comunidade a respeito da importância dos recursos naturais disponíveis no ambiente comunitário e a possibilidade do uso destes na promoção da saúde animal, levando ao conhecimento da população outras formas complementares de terapêutica. O atendimento clínico de animais provenientes destas populações deverá aproximar a Universidade com estas comunidades, propiciando o desenvolvimento de atividades de educação para saúde, o que interferirá positivamente sobre ambas as populações, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da comunidade e propiciando o desenvolvimento e a educação integral de alunos de graduação e pós-graduação.

Objetivo Geral

Realizar atendimento clínico a pequenos animais e determinar as principais enfermidades de ocorrência em cães e gatos, e a utilização dos dados obtidos como ferramenta para a educação continuada de alunos, profissionais e da população com relação a enfermidades infecciosas, zoonoses, entre outras. Pretende-se ainda, conscientizar a comunidade a respeito da importância do controle populacional e da valorização dos recursos naturais disponíveis e que podem ser utilizados na promoção da saúde animal e humana.

Justificativa

Apesar do desenvolvimento científico, tecnológico e econômico que o país alcançou nos últimos anos, ainda existe uma enorme desigualdade social, devido principalmente a diferença na distribuição de renda. Em conseqüência do baixo nível de escolaridade da população, há pouco conhecimento sobre saúde e doença, tanto no que se refere a saúde das pessoas como de seus animais. Além disso, é crescente o número de famílias que vivem na periferia de um grande número de cidades brasileiras. Nos bairros de Pelotas-RS, devido ao desemprego e baixa escolaridade, inúmeras pessoas sobrevivem da coleta de resíduos da cidade, sendo caracterizadas como abaixo da linha de pobreza, ou em vulnerabilidade social. O Município de Pelotas apresenta na sua área urbana um índice de 5,41 pessoas por cão (Rauler, 2003). Destes, 65% são domiciliados ou semi-domiciliados, peregrinando diariamente pelas ruas da cidade, contribuindo para disseminação de diversas enfermidades como leptospirose, ancilostomose, tungíase, brucelose e muitas outras, inclusive mantendo vivo o risco do retorno do ciclo urbano da raiva, ausente do Município desde 1991. Vale ressaltar, que a agressão a pessoas por animais em ambiente urbano é um prevalente problema de saúde pública. Em Pelotas, são notificados ao Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) do Município, uma média de 690 casos anuais de agressão por animais a seres humanos, a maioria composta por crianças (CCZ/SMS).
Embora se tenha um grande número de medicamentos disponíveis, são reconhecidas as dificuldades e barreiras na utilização destes recursos pelas comunidades carentes, que se refletem diretamente na terapêutica das enfermidades dos animais domésticos. Em vista desta realidade e, considerando as implicações sociais, sanitárias e econômicas e, ainda a oportunidade que se apresentou de convívio de professores e acadêmicos de veterinária com estas populações, é saudável e essencial a realização de ações direcionadas a minimizar estes problemas, apostando na educação sanitária pelo contato direto com a população através do atendimento veterinário como um caminho para o enfrentamento da desigualdade social.

Metodologia

O projeto será desenvolvido em comunidade que está localizada próximo ao centro de Pelotas-RS, as margens do arroio Santa Bárbara, devido a localização do ambulatório veterinário, que é conhecido como CEVAL, devido a proximidade com a sede da antiga fábrica e, tem como prioridade o atendimento da comunidade que vive em suas imediações.
Será mantido atendimento clínico de animais provenientes das comunidades de baixa renda, sendo esta etapa realizada por profissional veterinário (docente, estudante de PPG ou residente) acompanhado por estudantes da graduação em dois turnos semanais. A triagem dos clientes a serem atendidos será realizado por assistente social utilizando critérios sócio-econômicos. A resolutividade dos casos será um critério sempre presente, buscando-se soluções eficazes de baixo custo para prescrição. Os exames complementares realizados nos laboratórios da Faculdade de Veterinária será acompanhado pelos estudantes envolvidos para que agregue e difunda o conhecimento, promovendo interação, discussão e análise crítica, resultando numa formação técnica completa. Durante o atendimento clínico semanal, serão disponibilizadas informações em formas de panfletos informativos a respeito das principais zoonoses de cães e gatos, assim como principais formas de controle e prevenção das mesmas. Em ações organizadas, pretende-se preparar Banners e palestras a fim de sedimentar o conhecimento previamente transmitido de forma informal a população. Serão desenvolvidas ações no sentido de conscientização de posse responsável e da importância do controle populacional de cães e gatos, sendo incentivado a busca pela esterilização de cães errantes e bravios, assim como dos animais que estiverem sob domínio da comunidade. Pretende-se disponibilizar as informações sobre opções terapêuticas mais econômicas, incluindo homeopatia, acupuntura, e fitoterapia. trabalhando temas como: procedimentos adequados de colheita, armazenamento e forma de preparação das espécies vegetais para uso nos animais.

Indicadores, Metas e Resultados

Avaliação do Projeto Pelo Público: A avaliação da comunidade em geral será realizada através da participação efetiva nas atividades propostas e em ações realizadas durante o desenvolvimento do projeto. Através da busca pelo serviço veterinário disponibilizado a população, além da participação em reuniões e ações organizadas pelo grupo de extensão para interação com a comunidade.
Avaliação do Projeto Pela Equipe: As atividades externas realizadas pelos professores e estudantes serão avaliadas imediatamente após a sua realização, estas serão registradas e resultarão em documentos escritos que comporão a história do projeto e servirão de base para re-avaliação do seu andamento.
Indicadores quantitativos objetivos serão utilizados para avaliação das atividades práticas do projeto: •Número de animais atendidos; •Número de retornos ao atendimento; •Resolutividade do atendimento aos problemas clínicos apresentados; •Número de estudantes de graduação e pós-graduação envolvidos; .Número de pessoas que utilizam plantas e homeopatia para tratamento dos animais.
A esses índices, serão acrescidos indicadores qualitativos que permitam a avaliação do crescimento profissional do estudante – participação nas atividades propostas e de propor novas atividades, capacidade de contribuir na organização do grupo, participação nas reuniões organizativas e técnicas desenvolvidas pelo grupo - e da satisfação do público alvo – busca ao serviço.
O atendimento clínico de animais provenientes destas populações deverá aproximar a Universidade, aqui representada pela Faculdade de Veterinária, com estas comunidades, propiciando o desenvolvimento de atividades de educação em saúde, pesquisa e extensão, o que deve interferir positivamente, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida população. Entre os resultados que se busca com este projeto está a qualificação da formação acadêmica devido a formação crítica proporcionada pela atuação junto a sociedade. O estudante deverá vivenciar múltiplas experiências no dia-a-dia do projeto permitindo o desenvolvimento de sua capacidade de trabalho em grupo e a tomada de decisão. Em todas as atividades do projeto devem estar envolvidos estudantes, pois o envolvimento destes estudantes enriquece o processo de formação acadêmica e estimula o desenvolvimento científico em todas suas formas. Espera-se que com o desenvolvimento do projeto, ocorra o envolvimento da Faculdade de Veterinária, docentes e discentes na formulação e execução de políticas de incentivo para o controle populacional de animais e de controle de zoonoses, assim como pretende-se conscientizar a comunidade a respeito da importância dos recursos naturais disponíveis no ambiente comunitário e da possibilidade do uso destes na promoção da saúde animal. A comunidade terá acesso e conhecimento a respeito da utilização de formas complementares de terapêutica, como por exemplo de homeopatia

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALEN HENRIQUE PASSOS MADURO
ALICE SILVEIRA BECKER
ANA PAULA NEUSCHRANK ALBANO1
ANA RAQUEL MANO MEINERZ2
ANGELITA DOS REIS GOMES1
BRUNA DA ROSA CURCIO1
BRUNA DIAS FAGUNDES
CARINA BURKERT DA SILVA
CARLOS EDUARDO WAYNE NOGUEIRA1
CARMEN LUCIA GARCEZ RIBEIRO2
CAROLINE BOHNEN DE MATOS
CAROLINE MUNHOZ
CERES CRISTINA TEMPEL NAKASU
CLAUDIA GIORDANI
CRISTIANO SILVA DA ROSA4
CRISTINE CIOATO DA SILVA
DANIELA CORRÊA HERTZBERG
DANIELE VITOR BARBOZA
DÉBORA DE CAMPOS AÑAÑA
EDUARDA ALÉXIA NUNES LOUZADA DIAS CAVALCANTI
EDUARDO SANTIAGO VENTURA DE AGUIAR1
ELVIS BALTAZAR PUGA
FABIO DA SILVA E SILVA1
FABRICIO DE VARGAS ARIGONY BRAGA1
FELIPE ROSA CUNHA
FERNANDA SILVA SILVEIRA
GABRIELA DE ALMEIDA CAPELLA
GABRIELA LADEIRA SANZO
GABRIELA OLIVEIRA DA ROCHA BRITO
GABRIELE SILVA DIAS
GUILHERME ALBUQUERQUE DE OLIVEIRA CAVALCANTI1
GUILHERME FERREIRA ROBALDO
HELENA PIÚMA GONÇALVES
HELOISA DO AMARAL BOANOVA
JESSICA HELLEN BASTOS LAVADOURO
JOSAINE CRISTINA DA SILVA RAPPETI1
JÉSSICA PAOLA SALAME
KARINA AFFELDT GUTERRES
KATIELLEN RIBEIRO DAS NEVES
LARISSA DAMIANE BERNARDES GAY
LENARA LAMAS STELMAKE
LIANNA FERNANDES DE CARVALHO
LICELE GOVEIA MONTE
LUANA BORTOLINI GIESTA
LUCIANA AQUINI FERNANDES GIL1
LUIS EDUARDO BARCELLOS KRAUSE1
LUIZ FERNANDO JANTZEN GASPAR1
LÍLIAN FRANCESCATTO PEREIRA
MARCIA DE OLIVEIRA NOBRE1
MARCO ANTÔNIO DO AMARAL VIDAL
MARIANA CARDOSO SANCHES
MARIANE FERNANDES SAFONS
MARIANE SIEVERS OSIELSKI
MARLETE BRUM CLEFF3
MARTA ZIELKE
MARTIELO IVAN GEHRCKE
MARYANE DIAS ARAUJO DA SILVA
MATEUS BRUM DE ARMAS
MILENA MENDES TRUQUIJO
NAIANA HUNDERTMARCK PEROBELLI
NIELLE VERSTEG
PATRICIA DA SILVA NASCENTE1
PATRICIA SILVA VIVES1
PAULA ANDREUCHETTI MADRUGA
PÂMELA CAYE
REBIS BORGES DE ARAUJO
RENATA OSORIO DE FARIA1
RODRIGO FRANCO BASTOS
ROSARIA HELENA MACHADO AZAMBUJA2
SAMANTHA ALVES AZAMBUJA
SERGIANE BAES PEREIRA
SILVIA REGINA LEAL LADEIRA1
SOFIA DEL CARMEN BONILLA DE SOUZA LEAL
SOLIANE CARRA PERERA
STEFANIE BRESSAN WALLER
TATIANE SCHMITT TAVARES NOVO
THAIS COZZA DOS SANTOS
THAIS CRISTINA VANN
THALANTY MAYARA GALLEGO
THOMAS NORMANTON GUIM1
VITTÓRIA BASSI DAS NEVES
WESLEY AQUINO ZOIA
YASMIN CUNHA DOS SANTOS

Página gerada em 20/10/2021 16:11:26 (consulta levou 0.335022s)