Nome do Projeto
Utilização de tanino de Acácia Negra (Acacia mearnsii de Wild) como atenuante do estresse térmico em vacas leiteiras
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
17/06/2021 - 16/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Os bovinos são animais homeotérmicos, e necessitam de energia para produzir ou dissipar calor. Quando a temperatura e a umidade relativa do ar ultrapassam um limite superior crítico, ocorre uma ineficiência nos mecanismos fisiológicos de perda de calor, e o animal entra em estresse calórico. Como sintomatologia desta problemática, fêmeas bovinas em lactação reduzem drasticamente a produção de leite e este um dos principais motivos pelos quais, o estresse térmico, que acomete animais no mundo todo, compromete a economia dos sistemas de criação (PORCIONATTO et al. 2009). Os animais de alta produção são os mais sensíveis ao aumento da temperatura e/ou umidade ambiente, uma vez que todo o metabolismo especifico para a lactogenese gera um calor endógeno excedente, corroborando para a ineficiência dos mecanismos de perda de temperatura corporal (CONTE et al., 2018). Ocorre concomitantemente a esses fatores uma diminuição na ingestão de matéria seca, e uma redução na degradação de reserva lipídica corporal como fonte imediata de energia, fazendo com que ocorra um aumento na proteólise muscular. (BAUMGARD AND RHOADS, 2013). Por esse motivo, buscam-ser alternativas viáveis e economicamente favoráveis para aumentar a disponibilidade de proteína na dieta, efeito este, que pode ser obtido mediante a utilização de taninos condensados. Os taninos condensados são compostos vegetais provenientes do metabolismo secundário de plantas, tais como, a Acácia Negra (MANELLA AND CIDRINI, 2018). Dentre as suas inúmeras funções, na nutrição animal, por alterarem a estrutura secundária de proteínas provenientes da dieta, os taninos são associados ao aumento da oferta de proteína não degradáveis no rúmen (PNDR). Este mecanismo está associado a formação do complexo tanino-proteína, que ocorre a partir da interação, via pontes de hidrogênio, entre os radicais hidroxilo dos grupamentos fenólicos dos taninos e os oxigênios das uniões peptídicas dos aminoácidos, este complexo é resistente em ambientes onde o pH é neutro, e por isso dificulta o acesso da flora bacterina ruminal aos aminoácidos (KOZLOSKI e HENTZ, 2011). Posteriormente, no abomaso onde o pH é acido, o complexo tanino-proteína é desfeito e as proteínas são disponibilizadas para a absorção intestinal (VIEIRA et al., 2020).

Objetivo Geral

Avaliar se o fornecimento de taninos condensados atenua os efeitos deletérios do estresse térmico em vacas leiteiras da raça Holandês.

Justificativa

Diante do fato de que animais hipertérmicos aumentam a proteólise muscular e utilizam os aminoácidos provenientes desta quebra como fonte de energia, a introdução de fontes de proteínas na dieta de ruminantes, durante os meses mais quentes do ano, pode ser uma estratégia para minimizar os efeitos deletérios do estresse térmico. Assim, espera-se que os taninos condensados, com a formação de complexos tanino-proteína, sejam eficientes em promover a maior disponibilidade dietética de aminoácidos e assim reduzir os impactos gerados pelo estresse térmico na produção, sanidade e reprodução de bovinos leiteiros.

Metodologia

Serão conduzidos dois experimentos em fazendas comerciais de sistema intensivo e semi-intensivo de produção, com a finalidade de avaliar duas diferentes doses de taninos condensados.
Para cada um dos experimentos, serão selecionadas 20 vacas em lactação, distribuídos aleatoriamente dois grupos de 10 animais, Tanino e Controle, sendo estes homogêneos, de acordo com a produção e os dias em lactação (DEL).
Estima-se um período total de 30 dias para a execução de cada um dos trabalhos, sendo 7 dias destinados ao período de adaptação para a inclusão dos taninos a dieta total, já ofertada em cada uma das fazendas.
Durante o período experimental serão monitoradas variáveis relacionadas ao desempenho animal, como também dados voltados a avaliação da temperatura e umidade ambiente. Sendo assim, durante os estudos, serão registrados os dados de produção leiteira de cada animal, bem como, serão coletadas semanalmente, desde o período de adaptação, amostras de leite para avaliação de composição e qualidade em laboratório especializado.
Além do citado, os animais do experimento serão avaliados quanto a temperatura interna, por meio da introdução de termômetros (Thermochron ibutton. KY -USA), acoplados a dispositivos intravaginais. E para avaliar a temperatura e umidade do ambiente, serão utilizados dados de estação meteorológico, onde a partir destes será realizado o cálculo de índice de temperatura e umidade (ITU).
O ITU é um dado bioclimático frequentemente utilizado para avaliar as condições ambientais em que os animais são submetidos, por meio deste índice, associado a avaliação de temperatura interna dos animais, será possível mensurar se de fato os animais foram submetidos a condições termicamente estressantes, para as quais a utilização de taninos condensados seria indicada.

Indicadores, Metas e Resultados

a) Monitorar a produção de leite de vacas da raça Holandês termicamente estressadas, suplementadas com taninos condensados.
b) Avaliar a composição do leite de vacas da raça Holandês termicamente estressadas, suplementadas com taninos condensados.
c) Monitorar a temperatura intravaginal de vacas da raça Holandês submetidas a condições termicamente estressantes.
d) Monitorar o índice de temperatura e umidade ambiental (ITU).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANTÔNIO AMARAL BARBOSA
CASSIO CASSAL BRAUNER4
EDUARDO SCHMITT5
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO5
JORDANI BORGES CARDOSO
JOSIANE DE OLIVEIRA FEIJÓ
KAUANI BORGES CARDOSO
LAURA VALADÃO VIEIRA
MARCIO NUNES CORREA4
VIVIANE ROHRIG RABASSA4

Página gerada em 06/07/2022 23:10:19 (consulta levou 0.097486s)