Nome do Projeto
XVIII SEUR: DIÁLOGOS INTERNACIONAIS SOBRE HORTAS URBANAS E SUSTENTABILIDADE NAS CIDADES.
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
03/01/2022 - 20/12/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Meio ambiente / Saúde
Linha de Extensão
Segurança alimentar e nutricional
Resumo
Desde que os seres humanos iniciaram sua jornada pelo Planeta Terra eles foram se adaptando as condições deste ecossistema e passaram a produzir o espaço. No início foram nômades, mas depois passaram a ser sedentário e esta produção do espaço se acentuou, surgiram os campos de produção agrícola, as pastagens, as cidades, o estado, as grandes cidades. E chegamos ao século XXI com uma imensa população vivendo nas cidades, com uma população urbana. E desenvolvemos um meio técnico científico-informacional jamais visto, no qual temos tecnologia para sair da órbita terrestre, possibilidade de comunicação síncrona e assíncrona por meio virtual, possibilidade de produzir alimentos ultra processados, de combater insetos invasores com uso de químicas sofisticadas, de fazer transplantes de rins, fígado para salvar vidas. Mas iniciamos no século XXI também com o aumento da temperatura da atmosfera, do oceano e da superfície terrestre. E com isto todos temos sentido mudanças climáticas. E igualmente, iniciamos este século mantendo velhas desigualdades, com fome e miséria. A humanidade avançou em certos aspectos, mas em outros temos graves problemas, e precisamos fazer alguma coisa. É necessário construir diálogos multidisciplinares para que a grande capacidade humana de se adaptar se transforme em uma capacidade de viver com qualidade de vida para nós e junto com a natureza, em especial nas cidades onde vivem milhares de pessoas. E o XVIII Seminário de Estudos Urbanos e Regionais-SEUR. Diálogos sobre Hortas Urbanas e sustentabilidade nas cidades é uma oportunidade importante para mobilizar discentes e docentes acadêmicos que tem como tema de trabalho a questão da sustentabilidade ambiental urbana discutirem suas investigações, contribuindo para que a década da ação, não fique no papel. O objetivo deste seminário é reunir as áreas das humanidades, saúde, engenharias, ciências da natureza, nutrição e agrárias, entre outras, para debater a sustentabilidade ambiental urbana, nas suas diferentes facetas, pensando em um início de século que seja marcado por uma revolução da relação do homem com a natureza.

Objetivo Geral

Analisar a situação da insustentabilidade urbana e elaborar propostas rumo a uma sustentabilidade para o Planeta Terra.

Justificativa

Estima-se que as atividades humanas promoveram o aquecimento global acima dos níveis pré-industriais em aproximadamente 1 ° C, o que significa dizer que o aquecimento global está relacionado com a era industrial e toda lógica humana estabelecida por estes pressupostos está abalada, a ponto de teóricos denominarem o período recente da estada dos seres humanos na Terra de Antropoceno. Este aquecimento global deve chegar a 1,5 ° C na metade deste século, e não acontecerá de maneira uniforme e nem suas consequências incidiram na Terra de maneira igual, o aquecimento é geralmente maior na terra do que no oceano e cada espaço geográfico do planeta sentirá as consequências de forma diferente.
Embora o aquecimento global seja devastador para Terra, infelizmente, ele não esgota nossos problemas ambientais. A era industrial apesar de trazer grandes benefícios para nossa sociedade, terminou por produzir uma carga de resíduos que nosso ecossistema não é capaz de suportar, e estes resíduos tem interferido na água, no ar, na terra e nos próprios seres vivos, incluindo o ser humano, estamos todos doentes e necessitamos desenvolver estratégias para reverter esta situação que sejam pensadas de forma integrada.
Para encarar estes problemas o planejamento e gestão das cidades só fazem sentido se aliarem o planejamento gestão urbano sustentáveis e inteligentes. Neste sentido, o problema apresentado é se as cidades precisam mitigar problemas ambientais: quais as ações que levam a sustentabilidade de forma mais integrada possível? Quais ações atuam na relação dos seres humanos com a natureza e que promovem saúde para a Terra? Ou seja, quais ações que podem ser empreendidas na cidade que promovam saúde para o ecossistema urbano?
Para discutir estas questões estamos realizando este seminário, unindo profissionais das mais diferentes áreas para pensar na sustentabilidade e propor iniciativas, nesta década que está sendo intitulada a década da ação.

Metodologia

Serão realizadas mesas redondas em várias áreas, teremos lançamento de livros e apresentação de trabalhos. O evento terá formato hibrido se as condições sanitárias permitirem. Os palestrantes brasileiros e estrangeiros estarão on-line.

Indicadores, Metas e Resultados

- Lançamento de um livro com os resultados das apresentações.
-Organização de uma edição especial com os melhores trabalhos apresentados da revista Meriodinalis.
- Organização de uma carta com medidas para melhorar sustentabilidade em Pelotas e Região.
-Produção de audiovisuais sobre os temas das palestras.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLARA DOS ANJOS ALVARENGA
Ana Carolina Bilhalva Drehmer
DIONE DUTRA LIHTNOV
EMILIA ESTEFANIA VILLALBA MORINIGO
GIOVANA MENDES DE OLIVEIRA10
HUMBERTO DIAS VIANNA14
KAROLINE PORCIUNCULA DA SILVA
LUIS FELIPE BASSO
LUIZA HELENA CORREA TYBUSCH
MARIA CAROLINA GOMES SILVA E SILVA
MELICE GOMES DE FREITAS CANEZ
MICHEL DA SILVA KNUTH
NISCHA MAENO SILVA
SIDNEY GONÇALVES VIEIRA4
SONIA TERESINHA DE NEGRI4
TAIS AMANDA MUNDT

Página gerada em 24/02/2024 17:41:54 (consulta levou 0.250721s)