Nome do Projeto
COMIDINHA DE VERDADE!
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
08/03/2022 - 29/12/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Educação
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
Com o intuito de que as crianças cresçam e se desenvolvam em sua plenitude é fundamental uma alimentação adequada e saudável. Esta é importante durante o período da infância, mas é essencial nos dois primeiros anos de vida. A alimentação adequada e saudável começa com o aleitamento materno, exclusivo até seis meses e continuado até dois anos ou mais, até a introdução de alimentos, em idade oportuna e com “comida de verdade”.Dessa forma, o objetivo desse projeto é capacitar as mães e familiares para a escolha de alimentos adequados e saudáveis, de forma autônoma e crítica, afim de que a introdução alimentar das crianças ocorra em idade oportuna e com “comida de verdade”, com alimentos culturalmente aceitos e respeitando os hábitos alimentares regionais. Serão realizados três encontros semanais com as mães ou responsáveis pelas crianças para orientar quanto ao estímulo ao aleitamento materno e a introdução correta e em tempo oportuno da alimentação complementar. Serão convidadas a participar dos encontros as mães cujos bebês estão em acompanhamento pelo Serviço de Nutrição e outras que sejam atendidas pela UBS. Os encontros serão realizados tendo como base os “Doze Passos para uma Alimentação Saudável” (BRASIL, 2019a).

Objetivo Geral

Capacitar as mães e familiares para a escolha de alimentos adequados e saudáveis,de forma autônoma e crítica, afim de que a introdução alimentar das crianças ocorra em idade oportuna e com “comida de verdade”, com alimentos culturalmente aceitos e respeitando os hábitos alimentares regionais.

Justificativa

A oferta de alimentos que não seja o leite materno, antes dos seis meses, pode afetar a absorção de nutrientes normalmente presentes no mesmo, como ferro e zinco, sendo totalmente desnecessária. Além disso, o risco de a criança ficar doente é aumentado. A amamentação deve permanecer até dois anos ou mais. Enquanto estiver com amamentação exclusiva (até seis meses), nenhum outro alimento precisa ser oferecido, nem água, chás, sucos ou outros leites. Em torno dos seis meses é que a criança apresenta a maturação necessária para a introdução de outros alimentos (BRASIL, 2019a). Geralmente, em torno dos seis meses, é que o corpo do bebê começa a se preparar para a deglutição. É nessa idade que a criança passa a sustentar a cabeça, começa a erupção dos dentes, manifesta interesse pelo alimento e diminui o reflexo de protusão da língua (BRASIL, 2009).
Entretanto, dados do Ministério da Saúde, publicado no Atlas da Obesidade Infantil, demonstraram que apenas 54% das crianças menores de seis meses ainda estavam em aleitamento materno exclusivoe 48% das crianças de 6 a 23 meses consumiram algum alimento ultraprocessado no dia anterior, 32% consumiram bebidas adoçadas, 28% biscoitos recheados, doces ou guloseimas e 23% macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote ou biscoitos salgados. Além disso, os dados mostram que18,9% das crianças menores de dois anos estão com excesso de peso (BRASIL, 2019b).
A amamentação exclusiva até os seis meses de idade e continuada até dois anos ou mais, além da introdução correta de alimentos são práticas alimentares que constituem marco importante na formação dos hábitos alimentares da criança. Sendo assim, é fundamental que mães ou responsáveis pela criança recebam orientações para a introdução da alimentação complementar de forma adequada (BRASIL, 2009).

Metodologia

Este Projeto se destina a realização de atividades de extensão, sendo estas planejadas conforme protocolos atualizados (estaduais e municipais) de segurança para Pandemia da Covid-19.
As nutricionistas coordenadora e colaboradora do projeto irão desenvolverinserido na sua rotina de trabalho, por meio de encontrosna UBS Vila Municipal,na cidade de Pelotas, RS, afim de promover a introdução correta de alimentos às crianças.
Desta forma, o Projeto prevê três encontros semanais com as mães ou responsáveis pelas crianças para orientar quanto ao estímulo ao aleitamento materno e a introdução correta e em tempo oportuno da alimentação complementar.
Serão convidadas a participar dos encontros as mães cujos bebês estão em acompanhamento pelo Serviço de Nutrição e outras que sejam atendidas pela UBS.
Nos encontros serão trabalhados os “Doze Passos para uma Alimentação Saudável” (BRASIL, 2019a), sendo realizado da seguinte forma:

2.5.1. PRIMEIRO ENCONTRO
- Dinâmica de apresentação do grupo: sentadas em duplas cada participante terá 1 minuto para se apresentar a outra participante. Depois, uma participante apresenta a outra ao grande grupo.
Será apresentado o primeiro passo dos 12 passos para uma alimentação saudável:
PASSO 1: Amamentar até 2 anos ou mais, oferecendo somente o leite materno até 6 meses.
- Roda de conversa com a mães para saber se estão amamentando, a idade dos bebês, se amamentaram anteriormente, se estão tendo alguma dificuldade com a amamentação. Será estimulado o aleitamento materno exclusivo até seis meses e orientado quanto a composição do leite, reforçando que não é necessário oferecer água, chás ou outros alimentos para o bebê até essa idade.

2.5.2. SEGUNDO ENCONTRO:
Cada participante irá receber a figura de um alimento (in natura, processado e ultra processado) e dizer se ele pode ser oferecido às crianças menores de dois anos e porquê. Conforme a discussão que seguir, separar as figuras dos alimentos em in natura, processado e ultra processado. Questionar sobre a origem desses alimentos.
Em seguida, serão apresentadosalguns rótulos de alimentos ultra processados. Os participantes serão questionados se conhecem aqueles ingredientes. Depoisserá debatido o porquêde não poderem ser inseridos na alimentação das crianças, deixando os participantes chegarem as conclusões.
Será apresentado o teor de açúcar dos alimentos ultra processados que comumente as mães oferecem às crianças. Utilizando uma lata de refrigerante, um “Danoninho”, um iogurte de fruta e uma bolacha recheada, será mostrado a quantidade real de açúcar que cada alimento desses possui.
Em seguida, serão apresentados alimentos in natura e minimamente processadoscozidos (vegetais, cereais, carne e feijão) e será solicitado que alguma voluntáriademonstrecomo deve ser a consistência dos alimentos nas seguintes faixas etárias: 6 meses; 8-9 meses e 1 ano. Também será solicitado que montem um prato infantil.
1° Vídeo: COMIDA DE BEBÊ – PANELINHA - RITA LOBO https://www.youtube.com/watch?v=H45DVUaoZiA&list=PLx-RfqJiTFaqacH6bqqua1wWcUOAuL0PE&index=14
2° Vídeo: Tem cenoura? Tem abóbora?
https://youtu.be/t4Yy2DRHdGM
Debater: O que tem de errado na alimentação da criança do 2° vídeo?

Explicar os passos seguintes:
2. Oferecer alimentos in natura ou minimamente processados, além do leite materno, a partir dos 6 meses.
3. Oferecer água própria para o consumo à criança em vez de sucos, refrigerantes e outras bebidas açucaradas.
4. Oferecer a comida amassada quando a criança começar a comer outros alimentos além do leite materno.
5. Não oferecer açúcar nem preparações ou produtos que contenham açúcar à criança até 2 anos de idade.
6. Não oferecer alimentos ultraprocessados para a criança.

2.5.3. TERCEIRO ENCONTRO:
No início do encontro será realizada uma roda de conversa sobre a alimentação das famílias. Algumas perguntas poderão ser feitas para nortear o debate: Como está a alimentação da sua família? Quais alimentos são mais consumidos? Todos sentam juntos a mesa para fazer as refeições? Que tipo de temperos são usados para cozinhar? Como é feita a higiene dos alimentos? Será que essa alimentação também pode ser consumida pela criança?
De acordo com as questões que surgirem, orientar as famílias quanto ao aspecto social da alimentação, da importância de fazer as refeições em conjunto e sobre a formação de hábitos alimentares. Falar que devem ser priorizados temperos naturais e orientar quanto a higiene correta dos alimentos.
Em seguida, as participantes devem ser separadas em pequenos grupos e cada grupo fará uma dramatização sobre uma situação de “birra” da criança e sobre como conduzir a situação.
Após a apresentação dos grupos, será feita uma discussão sobre as atitudes tomadas e será abordado como saber os sinais de fome e saciedade das crianças.
Em seguida, será apresentado um material sobre um anúncio de alimento para crianças e o grupo deverá refletir sobre quais os apelos da mensagem, cores e imagens, e será discutido como fazer para proteger as crianças da publicidade de alimentos.
Explicar os passos seguintes e entregar folder com os 12 passos:
7. Cozinhar a mesma comida para a criança e para a família.
8. Zelar para que a hora da alimentação da criança seja um momento de experiências positivas, aprendizado e afeto junto da família.
9. Prestar atenção aos sinais de fome e saciedade da criança e conversar com ela durante a refeição.
10. Cuidar da higiene em todas as etapas da alimentação da criança e da família.
11. Oferecer à criança alimentação adequada e saudável também fora de casa.
12. Proteger a criança da publicidade de alimentos.

Indicadores, Metas e Resultados

Espera-se com este Projeto, capacitar as mães e familiares para a escolha de alimentos adequados e saudáveis, de forma autônoma e crítica, afim de que a introdução alimentar das crianças ocorra em idade oportuna e com “comida de verdade”, com alimentos culturalmente aceitos e respeitando os hábitos alimentares regionais. Que as mães mantenham o aleitamento materno até dois anos ou mais e comecem a introdução alimentar de forma adequada, desenvolvendo autonomia nas escolhas alimentares e criticidade para avaliar rótulos e a publicidade de alimentos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRIELE LINHARES MACHADO
CRISTINA CORREA KAUFMANN
FERNANDA PONS MADRUGA12
ISABELLA CRISTINA PIVA DOS SANTOS
LEONARDO DA SILVA SILVEIRA
LESSANDRA DE OLIVEIRA PEREIRA
MABEL NILSON ALVES2

Página gerada em 08/02/2023 00:36:58 (consulta levou 0.112058s)