Nome do Projeto
Avaliação da efetividade, estabilidade e biocompatibilidade de agentes de clareamento dental livres de peróxidos
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
13/06/2022 - 16/08/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Estudos demonstram que a utilização dos géis clareadores à base de peróxido acarreta a perda da dureza superficial do esmalte, perdas de cálcio e fósforo, aumento da rugosidade superficial, alterações de morfologia, bem como aumento de permeabilidade. Isso se justifica, pois eles funcionam como veículos de radicais de oxigênio, que em contato com os tecidos, promovem oxidação e redução dos pigmentos incorporados a eles. Os pigmentos são “fracionados” em cadeias moleculares cada vez menores e acabam sendo eliminados da estrutura dental por difusão. Existem controvérsias ainda quanto aos danos causados na polpa dentária, mais especificamente nos odontoblastos subjacentes à dentina, e quanto à sensibilidade pós-operatória, a qual se encontra fortemente associada com produtos à base de peróxido. Nesse sentido, diversos estudos ainda são necessários a fim de se obter um maior conhecimento das técnicas para um melhor resultado e conforto ao paciente, considerando as situações clínicas favoráveis, mas também as desfavoráveis. Frente às condições citadas, o uso de medicamentos à base de plantas medicinais em todo o mundo cresceu consideravelmente, devido à origem natural das drogas, pela crença na sua utilização segura e pela falta de efeitos colaterais. Sendo assim, a fitoterapia associada ao clareamento pode ser uma alternativa viável, utilizando produtos do grupo cisteína-protease, como a papaína, a bromelina e a ficina, ambas distribuídas amplamente entre os organismos vivos.

Objetivo Geral

Avaliar a eficácia, estabilidade química e biocompatibilidade dos agentes clareadores não peróxidos, a base de papaína, bromelina e ficina.

Justificativa

Considerando os efeitos deletérios que os agentes clareadores peróxidos trazem à estrutura dental, algumas alternativas já foram estudadas. Dentre elas, as enzimas cisteína protease, como papaína e bromelína, têm sido descritas como agentes ativos com potencial clareador. A principal característica desse tipo de enzimas é a capacidade de melhorar a oxidação-redução dependente de peróxido de hidrogênio e reduzem a toxicidade de compostos doadores de elétrons, como peróxidos e alguns compostos aromáticos. Papaína, bromelína e ficina são amplamente utilizadas devido às suas propriedades, como atividade anti-inflamatória, antitrombótica e fibrinolítica, atividade anticancerígena e efeitos imunomoduladores. Além disso, a ficina é uma cisteína do grupo das proteases amplamente distribuída entre os organismos vivos. Devido à sua característica enzimática, essas enzimas podem ser consideradas como agentes ativos com efeito clareador.
Até onde sabemos, a capacidade de remoção de manchas da ficina-cisteína protease foi pouco estudada; assim, o objetivo deste trabalho será avaliar in vitro o potencial clareador de géis clareadores sem peróxido contendo bromelaína, papaína ou ficina como agentes ativos e a estabilidade química dessas formulações..

Metodologia

o Avaliar a estabilidade química e biocompatibilidade desse material;
o Avaliar o potencial clareador das formulações à base de enzimas;
o Investigar o efeito dos clareadores nas propriedades da superfície do esmalte (cor, rugosidade e dureza);
o Aperfeiçoar as formulações de clareadores livres de peróxidos sob investigação.

Indicadores, Metas e Resultados

Resultados esperados:
1)Os géis a base de bromelina, papaína e ficina se mostrarão promissores para que possam ser usados como agentes de clareamento dental. Meta : Obtenção de um ou mais géis de clareamento dental, não-peróxido, para uso nas clínicas. Indicador: Aquisição de um produto com nível de maturidade tecnológica TRL-4.
2) Demonstração do bom comportamento na superfície do esmalte, causando menos danos quando comparados ao peróxido de carbamida. Meta: Formulação que promova menos perda mineral. Indicador: Resultados de perda mineral de esmalte bovino.
3) As formulações dos géis enzimas apresentarão um grande potencial, sendo assim, tornar-se-á interessante a realização de mais estudos laboratoriais para uma melhor caracterização dos efeitos sobre o esmalte e a polpa dentária. Meta: Continuação das pesquisas em andamento através de acordo de cooperação com empresa parceira. Indicador: Investimento, registro e comercialização do produto.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
BRUNA ZEMBRUSKI GOMES
CLAUDIO MARTIN PEREIRA DE PEREIRA1
EVANDRO PIVA1
Geovanna Peter Corrêa
MORGANA LÜDTKE AZEVEDO
NEFTALI LENIN VILLARREAL CARRENO1
RAFAEL GUERRA LUND1
WELLINGTON LUIZ DE OLIVEIRA DA ROSA1

Página gerada em 30/01/2023 01:43:25 (consulta levou 0.131485s)