Nome do Projeto
Práticas Integrativas e Complementares em Saúde e Sustentabilidade na UBS Areal Leste
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
28/07/2022 - 28/07/2024
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Eixo Temático (Principal - Afim)
Saúde / Meio ambiente
Linha de Extensão
Saúde humana
Resumo
O Ministério da Saúde sancionou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde em 2006, pela portaria GM/MS n0 971, seguindo as recomendações da Organização Mundial de Saúde para que seus países membros insiram as práticas integrativas e complementares em seus sistemas de saúde pública (Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde, em Alma-Ata, 1978). De 2006 até os dias atuais, muitas dessas práticas foram sendo reconhecidas pelo Ministério da Saúde como métodos terapêuticos capazes de complementarem a Medicina Tradicional, dentre elas a Fitoterapia (terapia com plantas medicinais), a Shantala (massagem terapêutica em bebês) e a Medicina Tradicional Chinesa, através da Auriculoterapia (método terapêutico através de estímulos de pontos auriculares) e Reiki (técnica japonesa de imposição de mãos para transferência de energia) . Na UBS Areal Leste, a auriculoterapia iniciou em 2019, com o trabalho da servidora médica Denise Silva Silveira, que se aposentou em 2021. A partir de outubro deste mesmo ano, as sessões de Auriculoterapia foram continuadas pela médica, Kelen Cerqueira, que foi capacitada nessa técnica pela Universidade Federal de Santa Catarina. A auriculoterapia pode ser utilizada como terapêutica complementar para diversas patologias, como ansiedade, depressão, dor crônica, abstinência à nicotina, entre outros. A Fitoterapia também é utilizada na UBS Areal Leste – médicos, enfermeiros, nutricionista, técnicos em enfermagem e agentes comunitários de saúde. A equipe concluiu capacitação em Fitoterapia pela Universidade Federal de Pelotas em maio de 2022, sob orientação da professora Teila Ceolin. Práticas complementares na área de Educação Física, também estão sendo desenvolvidas com os usuários da UBS Areal Leste, através do trabalho da professora Fernanda de Souza Teixeira, assim como a aplicação de REIKI. O Projeto PICS , através de uma parceria com o Projeto Hortas Urbanas, da UFPel, com o auxílio dos professores Giovana Mendes, Humberto Viana e seus alunos, iniciou a construção de uma horta comunitária na área externa do posto de saúde. Dessa forma, além de estimular a integração no trabalho com outras áreas do conhecimento – Medicina, Nutrição,Educação Física, Enfermagem, Geografia, Engenharia Agrícola e Engenharia Ambiental – tem-se por objetivo ensinar o cultivo de plantas medicinais e hortaliças para utilização na Fitoterapia e na alimentação saudável, respectivamente. A coordenação das práticas e orientações sobre alimentação saudável é realizado pela nutricionista Ângela Camejo, que já está desenvolvendo este trabalho junto aos pacientes da UBS e alunos da escola Piratinino de Almeida, através de oficinas e atividades de plantio e cuidado com a horta comunitária na área externa da UBS . Ademais,com esta parceria, serão abordadas estratégias de sustentabilidade, que de acordo com a Política Estadual de Práticas Integrativas Complementares em Saúde do RS, é uma forma decisiva de promoção de saúde e integralidade no cuidado dos pacientes. Por fim, a integração de saberes será um recurso pedagógico que estimulará o desenvolvimento de diversas habilidades para a realização do cuidado em saúde - cooperação, empatia, responsabilidade, cidadania, resolução de problemas, inclusão, comunicação, pensamento crítico, argumentação e paciência.

Objetivo Geral

- Implementar as práticas integrativas e complementares na UBS Areal Leste e ofertá-las aos usuários do serviço e à comunidade.

Justificativa

O presente projeto se justifica por atender uma recomendação da Organização Mundial de Saúde, que desde a Conferência Internacional de Cuidados Primários em Saúde, em Alma-Ata, em 1978, recomenda que seus países membros adicionem as Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS) em seus sistemas de saúde pública. Além disso, as PICS têm diminuído a "medicalização" em pacientes crônicos com queixas de dor crônica, distúrbios do sono, depressão, ansiedade, bem como em pacientes em tratamento por dependência à nicotina .Ademais, segundo o IBGE, atualmente a população que mais cresce no Brasil está acima de 60 anos, representando 14% da população brasileira e o Rio Grande do Sul concentra 18,77% desses brasileiros. Sabe-se que os idosos são mais suscetíveis à toxicidade por medicações, devido a problemas na sua metabolização,diante disso, as vantagens no uso de terapêuticas alternativas para essa população torna-se irrefutável. Salienta-se, ainda, que segundo a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, essas práticas fortalecem o vínculo entre profissionais da saúde e pacientes, além de colocar o usuário como agente principal nesse processo.
É imperioso destacar também, a relevância da abordagem de questões de sustentabilidade no cuidado em saúde, visto que, a política Estadual de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde do RS, preconiza a sustentabilidade na promoção de saúde, como estratégia de aprimorar a integralidade do cuidado aos pacientes.

Metodologia

A implantação do projeto conta com 11 orientadores, que conduzirão exposições teórico/práticas, divididas em módulos, para introduzir cada uma das PICS que serão implantadas no serviço: FITOTERAPIA, AURICULOTERAPIA , REIKI e SHANTALA, seguidas de oficinas práticas.

1. A primeira PICS abordada será PLANTAS MEDICINAIS/FITOTERAPIA, apresentada em dois módulos (teórico e prático). O primeiro trabalhará sobre problemas respiratórios e dermatológicos em encontros de quatro horas de duração, num total 12 horas. O segundo módulo abordará doenças metabólicas, também em encontros de quatro horas de duração, num total 12 horas.
Serão realizadas eExposições Dialogadas sobre a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, com duração de duas horas cada uma, utilizando slides, apresentação de filmes e debate;
Após, acontecerão as oficinas práticas com orientações e cultivo de plantas medicinais e o preparo de medicamentos fitoterápicos, com duração de quatro horas, ofertadas continuamente durante a duração do projeto, com rodizio dos profissionais do serviço e alunos da graduação e residência a cada prática.
Ademais, as plantas medicinais cultivadas na horta da UBS serão identificadas e elaborado material didático acerca das mesmas.

2. A segunda PICS será a AURICULOTERAPIA, ofertada em dois módulos, onde ocorrerão Exposições Dialogadas sobre os fundamentos da técnica terapêutica, anatomia dos pontos auriculares e discussão de casos clinicos, em quatro encontros de duas horas cada uma.
As práticas de Auriculoterapia serão diárias, durante consultas agendadas que acontecerão nos turnos da manhã e da tarde.

3. A SHANTALA será apresentada em uma aula teórica com duração de duas horas. As práticas serão demonstradas durante a semana, em todos os atendimentos de puericultura.

4. A atividade teórica sobre alimentação saudável ocorrerá através de aulas teóricas, com duração de duas horas cada uma, utilizando-se slides, exposição dialogada, apresentação de filmes e debate;
As atividades práticas sobre preparo de alimentos, com duração de duas horas semanais, serão intercaladas com as aulas teóricas;

5. O Reiki será apresentado em uma aula teórica com duração de duas horas, utilizando-se vídeos e exposição dialogada.

6. Para as ações referentes a sustentabilidade acontecerão Exposições sobre promoção de saúde e sustentabilidade através de aulas teóricas, com duração de duas horas cada, sobre compostagem, utilização do lixo orgânico e água da chuva para adubação e irrigação das hortas. Concomitante será organizada uma horta com hortaliças, legumes e chás, sem uso de venenos. A plantação será feita por membros da equipe e alunos do ensino fundamental de escolas da região visando aproximar a comunidade da UBS. A construção dos canteiros, manutenção e limpeza da horta será feita por todos os citados anteriormente. Os produtos da horta serão distribuidas entre os estudantes e familias carentes da comunidade.

Participarão destas atividades a equipe permanente da UBS (médicos, enfermagem, nutrição e serviço social) e alunos dos cursos das áreas da saúde envolvidos, bem como seus orientadores. As capacitações práticas acontecerão durante os turnos de trabalho da UBS. Parte da equipe receberá a capacitação e a outra parte manterá o atendimento do serviço. Posteriormente, as capacitações teóricas serão novamente ofertadas para a equipe que ficou na assistência, visando a capacitação de todos. As atividades teóricas serão realizadas em horários pré-agendados e através de material para leitura, que será enviado pelo grupo de whatsapp.

Indicadores, Metas e Resultados

Indicadores:
- satisfação dos usuários da UBS Areal Leste (escala EVA);
- percentual de pacientes com compensação de sintomas com o uso de PICS
- percentual de intenção de utilização das PICS pelos acadêmico em sua atuação profissional;
- percentual de diminuição da "medicalização" do processo terapêutico ao final do tratamento dos pacientes;

Metas:
- satisfação de 80% dos usuários da UBS Areal Leste que foram tratados com PICS (escala EVA);
- compensação de sintomas de 50% dos pacientes usuários de PICS
- 50% dos alunos participantes do projeto utilizariam alguma PICS em suas propostas de tratamento;
- contribuição das PICS na diminuição da "medicalização" de 50% dos pacientes tratados com PICS.

Resultados esperados:
- Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde implementada na UBS Areal Leste/UFPel;
- Práticas integrativas e complementares em saúde apresentadas aos alunos da graduação e pós-graduação participantes do Projeto PICS Areal Leste;
- Uso de medicamentos reduzidos em pacientes crônicos;
- Uso das PICS consolidado entre os profissionais da saúde da UBS Areal Leste;
- PICS difundida entre os pacientes usuários da UBS Areal Leste como uma prática regular de cuidado e tratamento em saúde.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLARA MARINS MENDES
ANA MARIA FERREIRA BORGES TEIXEIRA6
ANETE MACHADO BERTONI6
ANGELA DE SIQUEIRA CAMEJO12
ANTONIELLE MESSA AVILA
BIANCA GARCIA DOS SANTOS
BLENO BEZERRA SILVA
BRUNO ESPEL CALLEARI
BÁRBARA HEATHER LUTZ6
CAMILA SELL DA SILVA
CAMILLE MANKE BIERHALS
CARINA FONSECA SELAS
CAROLINE NEVES DA CUNHA
CLEBER GONCALVES SOARES6
DANIEL NUNES BELISARIO
EVERTON JOSE FANTINEL6
FERNANDA DE SOUZA TEIXEIRA6
FERNANDO FERREIRA LIMA
GIOVANA MENDES DE OLIVEIRA4
HELENA GULARTE CABRAL
HUMBERTO DIAS VIANNA6
INGRID MEDEIROS LESSA
JUVENAL SOARES DIAS DA COSTA6
KAREN KNOPP DE CARVALHO6
KELEN DE MORAIS CERQUEIRA12
LARISSA FERREIRA DA SILVA
LORENA SPANHOL PEREIRA
LUCAS DAS NEVES COLLARES
LUÍSA OLIVEIRA TOUGUINHA
MAIRA JUNKES CUNHA4
MARCELA TORRÚBIA DE OLIVEIRA REZENDE
MILENA AFONSO PINHEIRO
MILENY LIMA VERAS DE ARAUJO
NADIA SPADA FIORI6
NEUTO FELIPE MARQUES DA SILVA
PAULA PASTORINO DA SILVA
STEFANIE BENTO MENA
TAIS DUARTE VIEGAS
TEILA CEOLIN6
THALIA FABRES ZANETTI
VITORIA PERES TREPTOW
talita antiqueira barbosa

Página gerada em 08/02/2023 01:16:02 (consulta levou 0.243183s)