Nome do Projeto
Conflitos socioambientais, saberes e processos formativos em espaços formais e não formais de educação: contribuições para o campo da Educação Ambiental
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
24/04/2023 - 24/04/2027
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas
Resumo
O projeto unificado, com ênfase em Pesquisa, apresenta a investigação dos conflitos socioambientais a partir de dois campos de análise: primeiramente, a partir da sua relação com os saberes e os processos formativos escolares, tomando como referência a análise das temáticas ambientais no espaço da escola de educação básica e, segundo, por meio da investigação dos conflitos socioambientais em espaços não formais de educação, analisando os processos educativos de mobilização das comunidades que são construídos para a denúncia e o enfrentamento dos mesmos. Assim, no âmbito do espaço formal de educação, a investigação apresenta a pesquisa e análise dos conflitos socioambientais como uma relevante perspectiva metodológica para ampliar o contexto de desenvolvimento da Educação Ambiental na instituição escolar. A pesquisa se articula às ações de ensino e extensão a partir do estudo e planejamento de estratégias pedagógicas investigativas que intencionem desvelar os conflitos socioambientais que ocorrem no contexto escolar e/ou na comunidade do seu entorno, numa ótica interdisciplinar. Cumpre salientar que a investigação sobre os conflitos socioambientais que emergem em um determinado contexto social – neste caso, em espaços formais e não formais de educação - possibilita a compreensão do que Paulo Freire denomina de situações-limites, ou seja, a análise das situações existenciais opressoras, que são históricas, sendo necessária a sua denúncia para a organização de estratégias que permitam vislumbrar os inéditos-viáveis (FREIRE, 2016). As ações do presente projeto, portanto, também incluem a pesquisa sobre os espaços não formais de educação, procurando-se investigar os processos educativos construídos nas comunidades para a denúncia e o rompimento dos conflitos socioambientais, baseada na perspectiva da Educação Ambiental Popular. A pesquisa é fundamentada na Teoria Crítica da Educação, enfatizando o materialismo histórico-dialético. Entre os teóricos, ganham destaque Acselrad (2009; 2005), Porto-Gonçalves (2004; 2006; 2007), Loureiro (2004; 2015), Freire (1987, 2006), Diegues (1994), entre outros. A metodologia se insere na abordagem qualitativa, incluindo a pesquisa bibliográfica, análise documental e pesquisa de campo, com o método, a princípio, da observação participante. As atividades de ensino estarão inter-relacionadas às atividades de pesquisa, abrangendo a oferta de disciplinas específicas nos cursos de Graduação em Pedagogia – Diurno e Noturno, bem como no curso de Especialização em Educação. A pesquisa também será desenvolvida estando articulada às ações pedagógicas construídas nas escolas parceiras do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID: Núcleo de Ciências e Matemática nos Anos Iniciais.

Objetivo Geral

O presente projeto unificado, com ênfase em Pesquisa, tem como objetivo, desenvolver ações que ampliem os estudos e análises dos conflitos socioambientais em espaços formais e não formais de educação. Procura investigar as contribuições da análise dos conflitos socioambientais como uma relevante perspectiva metodológica para ampliar o contexto de desenvolvimento da Educação Ambiental na instituição escolar. As ações do presente projeto incluem a pesquisa sobre os espaços não formais de educação, procurando investigar os processos educativos construídos nas comunidades para a denúncia e o enfrentamento dos conflitos socioambientais que vivenciam, baseada na perspectiva da Educação Ambiental Popular.

Justificativa

Primeiramente, é preciso situar o conceito de conflitos socioambientais. Na discussão, aqui proposta, as terminologias conflito ambiental e conflito socioambiental são tomadas como categorias equivalentes, uma vez que ambas aludem a conflitos sociais e ambientais. Os conflitos socioambientais são a expressão das desigualdades sociais e ambientais, tanto no que diz respeito ao acesso e uso dos bens naturais, como também, aos processos de decisão política e institucional acerca dos mesmos, dado que, na maior parte dos casos, tais decisões são tomadas em benefício daqueles que possuem maior poder econômico (PRIEBBERNOW; OLIVEIRA, 2022). Neste contextos, os bens ambientais são objetos de uma má distribuição e, consequentemente, aqueles que possuem maior poder político e econômico acabam decidindo sobre os interesses da coletividade. Assim, há um acesso e uma apropriação desigual da natureza, bem como, em relação aos danos ambientais, há uma maior carga destes impactos indesejáveis nas populações marginalizadas e vulneráveis, e entre àquelas que dependem da qualidade ambiental para reproduzir seus saberes, costumes e formas de sobrevivência.
Compreendemos a análise dos conflitos socioambientais como uma relevante perspectiva metodológica para ampliar o contexto de desenvolvimento da Educação Ambiental na instituição escolar, a partir do planejamento de estratégias pedagógicas investigativas, numa ótica interdisciplinar. Outrossim, entende-se a escola como espaço significativo para a análise crítica das causas destes conflitos e estudo das estratégias necessárias para o rompimento das problemáticas ambientais que vivenciam a comunidade escolar. Portanto, defende-se a análise dos conflitos socioambientais como perspectiva de ampliação do trabalho em Educação Ambiental na escola, sendo pautada na abordagem interdisciplinar, devendo constar, inclusive, no Projeto Político-Pedagógico da instituição. Destaca-se que as investigações do projeto, portanto, abrangem a escola e as contradições do trabalho docente, uma vez que esta instituição se constitui como um relevante espaço de análise e superação dos conflitos socioambientais que ocorrem no âmbito da comunidade. As referidas ações de pesquisa, em articulação com o ensino e a extensão, podem contribuir para qualificar a formação inicial e continuada dos professores e professoras em Educação Ambiental, neste sentido, pretende colaborar para qualificar os processos de ensino e aprendizagem na escola para o enfrentamento da crise ambiental da atualidade. Além disso, a pesquisa pretende compreender os conflitos socioambientais que ocorrem em espaços não formais de educação, situando a perspectiva da Educação Ambiental Popular como campo de possibilidades para problematizar os processos pedagógicos de formação humana que ocorrem nos contextos sociais investigados.

Metodologia

A pesquisa será fundamentada, especialmente, na abordagem qualitativa, incluindo a pesquisa bibliográfica, análise documental e pesquisa de campo, com o método, a princípio, da observação participante. As atividades de ensino estarão inter-relacionadas às atividades de pesquisa, abrangendo a oferta de disciplinas específicas nos cursos de Graduação em Pedagogia - Diurno e Noturno, bem como no curso de Especialização em Educação, no qual podemos citar as seguintes: Educação Ambiental; Prática Orientada I; Ciências da Natureza nas Infâncias I; Ciências da Natureza nas Infâncias II; Ciências da Natureza nas Infâncias III. Além disso, serão ofertados espaços para grupos de estudos, desenvolvendo a pesquisa bibliográfica e estudo do referencial teórico dos temas que integram a pesquisa.
As ações de extensão irão proporcionar espaços formativos abertos à comunidade em geral, a partir da oferta de eventos e palestras que debatam as questões ambientais da contemporaneidade. A extensão também irá abranger ações pedagógicas que serão desenvolvidas nas escolas de educação básica por acadêmicos do curso de graduação em Pedagogia, explorando as temáticas ambientais, especialmente, junto aos alunos dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental. Neste sentido, busca contribuir para ampliar o debate conceitual sobre a importância do estudo dos temas ambientais nos Anos Iniciais, mobilizando a reflexão teórica à luz das necessidades e especificidades do contexto local dos/as professores/as e das escolas de educação básica.
A pesquisa também será desenvolvida estando articulada às ações pedagógicas construídas nas escolas parceiras do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência – PIBID: Núcleo de Ciências e Matemática nos Anos Iniciais. Destaca-se que a pesquisa bibliográfica e o estudo do referencial teórico dos temas que integram a investigação irá abranger as atividades de Pesquisa, Ensino e Extensão como um todo. O projeto prevê a divulgação dos resultados das atividades de pesquisa desenvolvidas, através da participação em Congressos Científicos e publicação de resumos expandidos e artigos em revistas conceituadas na área da Educação, da Educação Ambiental e do ensino de Ciências da Natureza.

Indicadores, Metas e Resultados

• Desenvolver ações de ensino e extensão;
• Contribuir para a formação de pesquisadores em nível de graduação e pós-graduação;
• Ampliar e fortalecer o trabalho com as questões ambientais no âmbito da formação continuada de professores da Educação Básica, qualificando a compreensão conceitual e as práticas pedagógicas dos docentes no campo da Educação Ambiental e do ensino de Ciências da Natureza, especialmente;
• Ampliar a inserção dos temas ambientais no ensino de Ciências da Natureza nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental;
• Participar de eventos científicos, apresentando comunicações e publicando artigos e resumos expandidos;
• Publicar artigos em periódicos científicos, em especial, nas áreas da Educação, da Educação Ambiental e do ensino de Ciências da Natureza.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANTONIO MAURICIO MEDEIROS ALVES2
CARLA BEDUHN WEBER
CAROLINE TERRA DE OLIVEIRA3
FATIMA CAVALHEIRO COSTA
JAQUELINE DE MATOS CORREA
MARILUCE DOS SANTOS KURZ VIEIRA
RAYNARA DE FREITAS NUNES
VANESSA SILVA DA SILVA
VERIDIANA RIBEIRO CELENTE

Página gerada em 18/04/2024 20:39:21 (consulta levou 0.165757s)