Nome do Projeto
PRODUÇÃO E POLÍTICAS CULTURAIS
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
30/04/2023 - 30/04/2025
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Multidisciplinar
Resumo
O presente projeto de pesquisa busca investigar o campo da produção cultural no que tange às políticas públicas para o setor. Considera o fazer artístico e a produção cultural como profissões, mercado cultural, cadeia produtiva e economia da Cultura. Através da atuação como observatório, busca-se subsidiar a elaboração e gestão de projetos culturais e formulação de políticas públicas por meio do planejamento cultural, mapeamento, formulação de indicadores e de estudos para captação e financiamento de projetos, ações, iniciativas e agentes culturais.

Objetivo Geral

Produzir reflexão, diagnósticos, indicadores e balizadores para o desenvolvimento de políticas públicas no âmbito Municipal, Estadual e Federal.

Justificativa

O Campo da Produção Cultural e a Classe Artística constituem um braço significativo da Indústria Criativa. Segundo o Observatório Itaú Cultural, sob orientação do pesquisador Leandro Valiatti, a "cultura representou 3,11% do PIB em 2020, – o que equivale a R$ 230,14 bilhões dos R$ 7,4 trilhões movimentados pela economia no período".

Segundo dados levantados pelo pesquisador Társon Núñez, do Departamento de Economia e Estatística da Secretaria de Planejamento do Rio Grande do Sul, a Economia Criativa gera mais empregos do que o setor calçadista e automobilístico, ficando atrás somente da Construção Civil (Portal G1 RS, 10/12/2019).

É possível identificar a centralidade e a transversalidade que a produção artística (publicações, espetáculos, gravação, edição e mixagem de som, criação e interpretação) exerce no Fluxograma da Cadeia Criativa no Brasil, a partir dos estudos realizados pela Federação das Indústrias do Estado Rio de Janeiro (Firjan), conforme seu relatório de mapeamento da indústria criativa. (https://www.firjan.com.br/EconomiaCriativa/downloads/MapeamentoIndustriaCriativa.pdf?fbclid=IwAR2WQKrnoV1CHRpnxe2W__y9eUUS6EwFKnZ4IPSutqRwIqFyGSkXN_nhWlw).

Em pesquisa anterior, intitulada "Poetics of Song: Songwriting Habitus in the Creative Process of Brazilian Music" (Maia, 2019), Doutorado/Bath Spa University, abordou os conceitos de Habitus, Campo e Capital (Bourdieu, 1977, 1993), no âmbito da produção musical, em especial de cancionistas. O trabalho abordou, entre outros aspectos, os mecanismos de posicionamento, legitimação, valoração e consagração, identificando que os capitais culturais se articulam de forma dinâmica e autônoma neste campo específico, numa economia, por vezes, “reversa”, onde mecanismos simbólicos e econômicos correm em paralelo.

Elemento intrínseco do universo da cultura, a arte é central como ação humana sobre o mundo, em sua grande complexidade de linguagens, dizeres, lugares de fala e manifestações. Exemplificando
através da Música – na verdade Músicas: essa área representa uma parte significativa deste universo que abrange desde o professor de instrumento, o artesão, o DJ, o colecionador, passando por infinitos
estilos, circuitos e modos de produção. Cada segmento artístico possui uma infinidade de profissionais para além dos artistas: a chamada cadeia produtiva.

Perspectivas Culturais Glocais

O termo glocal articula os entrecruzamentos entre contextos globais e interesses locais (OJALA e VÄKEVÄ, 2015, p. 90), característicos da contemporaneidade, sobretudo na ambiguidade de termos como "autencidade" e "reprodução" no campo da música popular. Não cabe aqui promover exaustiva reflexão, mas salientar que o cenário de produção cultural apresenta esta ambiguidade em seu cerne: mesmo apresentando uma pujante produção local (Pelotas, em 2019, lançou mais de 20 Cds e EPs, Ian Ramil já conquistou o Grammy Latino com álbum lançado pelo selo pelotense Escápula Records), artistas seguem fora dos meios de comunicação num contexto onde a indústria musical gera bilhões, mas concentra 90% de seu mercado em três grandes conglomerados: a Warner, a Sony e a Universal (SUMAN, 2016, p. 331). Em grande parte, tal hegemonia não é apenas fruto de mera popularidade ou empreendedorismo, mas de uma agressiva campanha de ocupação econômica e simbólica dos meios de comunicação de massa e plataformas digitais pelos conglomerados.

Estudo recente indica a importância da comunicação pública na formação do habitus musical e indicadores da construção de capital cultural no âmbito da música popular (Maia, 2019), chamando a atenção para a importância de estabelecer mecanismos de consagração e produção para além daqueles restritos aos Top Hits, as mais tocadas, as mais "pedidas", financiadas pelo mecanismo conhecido como 'Jabá' (SUMAN, 2016).

Desta forma, é cada vez mais imperativa a atuação das universidades no campo da cultura, contribuindo na construção de imaginários e de subjetividades. Neste contexto, a produção musical é parte fundamental de uma indústria criativa que possibilita desenvolver alternativas ao discurso hegemônico que desconsidera os aspectos e vocações locais. Apesar de seu significativa impacto econômico, a cultura representa um campo em crescimento, que contribui para o desenvolvimento sustentável e saudável, envolvendo identidades, manifestações e formas de vida.

Por fim, cabe salientar a importância deste projeto para subsidiar o poder público na aplicação de políticas emergenciais, elaboração de editais e formas de participação da sociedade civil na construção de mecanismos de financiamento, fomento, produção e salvaguarda cultural.

Metodologia

A metodologia congrega uma combinação de abordagens, combinando a) o levantamento de estudos anteriores, b) o mapeamento de realidades locais; c) estudos de caso d) sistematização e formulação de políticas públicas.


Parte-se do levantamento de estudos anteriores, incluindo o já mencionado relatório Firjan, assim como os relatórios de acompanhamento do Plano Nacional de Cultura (RUBIM, 2019), sobretudo a análise e avaliação qualitativa das metas e o monitoramento do Plano Nacional de Cultura (PNC, 2018), com ênfase no Mapeamento da Dança do RS (https://sites.google.com/view/mapeamentodancars). O mapeamento das realidades locais adaptará o questionário da Dança no RS para sua aplicação na Cidade de Pelotas/RS, com a possibilidade de atuação também em outras cidades da região, a partir da articulação do Fórum Social UFPEL. Haverá análise e complementação do Mapa Cultural Pelotas (http://mapacultural.pelotas.rs.gov.br/), com o estabelecimento de estudos de caso. Os casos fornecerão aspectos complementares à abordagem quantitativa, tendo em vista a necessidade de ouvir os agentes do setor. A sistematização dar-se-á em parceria com o Conselho Municipal de Cultura de Pelotas no âmbito da realização das Pré-Conferências, Conferência Municipal de Cultura, Eleição de Conselheiros e processo de redação do Plano Municipal de Cultura e acompanhamento de seu processo de legislação e aplicação, avaliando o impacto nas políticas públicas.

Indicadores, Metas e Resultados

1. Criar mecanismos, metodologias e plataformas para mapear e observar a área de produção cultural, produção executiva e elaboração de projetos como campo;
2. Compreender o Campo de Produção Cultural e como se relacionam os elos da Cadeia Produtiva da Cultura;
3. Informar-se sobre as discussões relacionadas às Políticas Públicas para o Setor, em âmbito Municipal, Estadual e Federal;
4. Articular-se com atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão no âmbito da indústria criativa da UFPEL

Como resultados, espera-se:
* A realização de um Plano de Cultura da UFPEL
* a Realização de Pré-Conferências Municipais de Cultura
* a Ampliação dos Sistemas Municipais de Cultura no âmbito da Zona Sul do RS.
* Sistematização e o acompanhamento das discussões para Elaboração dos Planos Municipais de Cultura
* A publicação de estudos (artigos acadêmicos, livros e outras formas de publicação), subsidiando a formulação de políticas públicas
* A sistematização de instrumentos de avaliação em Arte e Cultura
* A criação de projetos culturais de impacto na vida profissional de agentes do setor

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA DA ROSA BANDEIRA1
ANA PAULA LONARDI DE SOUZA (ANAADI)
ANDRE LUIS FERREIRA MACHADO4
Adriana Pacheco Sperandir
Alvaro Santi
Anelize Carriconde
BERNARD REHERMANN LOUREIRO DA SILVA
BRUNA KLEIN COLUCCI
BRUNA MOREIRA DE OLIVEIRA
BRUNO EVANGELISTA DOS SANTOS
Bruno Rosa do Nascimento
CHRISTOPHER LEMOS LEITE
Cecília Rheingantz Silveira
ELEONORA CAMPOS DA MOTTA SANTOS2
EMERSON WRAGUE DA CRUZ12
Eduardo Guedes Pacheco
FÁBIO ABBUD DA SILVA
GERSON CARDOSO PINTO
GUINTER TLAIJA LEIPNITZ
IGOR TADEU BAGGIO DA SILVA
JOAO ALEXANDRE STRAUB GOMES4
JOÃO MARCOS NOLTE MARTINS
JUAN CARLOS PINANGO CONTRERAS
JULIE VANESSA SCHIAVON PINTO
Juliana Sueli Sehn
Julio Chagas Pitthan
Kátia Salib Deffaci
LEANDRO ERNESTO MAIA26
LORENA BETÂNIA OLIVEIRA FONTES
Leandro de Paula Neto
MARCIO DE SOUZA1
MARIA FONSECA FALKEMBACH2
MILENA ELEUSINA FAGUNDES DE ASSUNÇÃO
Marcelo Barros de Borba4
Marco Antonio Moreira Xavier
Mario Cesar Tressoldi
NORIS MARA PACHECO MARTINS LEAL6
PABLO DE LIMA PINEYRO
PATRICIA RODRIGUES CHAVES DA CUNHA1
PHELIPE CESAR MORAES LIMA
Patrícia Campos Agel
Paulo Ricardo Gonçalves Peixoto
Pedro Corrêa de Figueiredo
RAFAEL HENRIQUE SOARES VELLOSO5
RITA DE CÁSSIA PEREIRA DA SILVA MAUCH
RODRIGO MARTINS FARIAS
RÉGIS AGUIAR DUTRA2
SULIMAR FONSECA DE SOUZA
SÁ DE MORAES PRETTO
Tarson Nunez

Recursos Arrecadados

FonteValorAdministrador
Prestação de ServiçoR$ 338.684,58Fundação Delfim Mendes da Silveira

Plano de Aplicação de Despesas

DescriçãoValor
339014 - Diária Pessoa CivilR$ 20.000,00
339018 - Auxílio Financeiro a EstudantesR$ 35.000,00
339020 - Auxílio Financeiro a PesquisadorR$ 50.000,00
339030 - Material de ConsumoR$ 1.500,00
399032 - Material de Distribuição GratuitaR$ 20.000,00
339033 - Passagens de Despesas de LocomoçãoR$ 50.000,00
339039 - Outros Serviços de Terceiro - Pessoa JurídicaR$ 137.184,58
449052 - Equipamentos e Material PermanenteR$ 25.000,00

Página gerada em 20/07/2024 07:30:25 (consulta levou 0.580869s)