Nome da Disciplina
EDUCAÇÃO NUTRICIONAL
CÓDIGO
16400011
Carga Horária
30 horas
Atividade Complementar
Não
Periodicidade
Semestral
Unidade responsável
CRÉDITOS
2
CARGA HORÁRIA TEÓRICA
1
CARGA HORÁRIA PRÁTICA
1
CARGA HORÁRIA OBRIGATÓRIA
2
FREQUÊNCIA APROVAÇÃO
75%
NOTA MÉDIA APROVAÇÃO
7

Ementa

O NUTRICIONISTA COMO EDUCADOR. EDUCAÇÃO EM SAÚDE. FUNDAMENTOS DO COMPORTAMENTO ALIMENTAR. PLANEJAMENTO DE PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO NUTRICIONAL. METODOLOGIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL.

Objetivos

Objetivo Geral:

Objetivo Geral:
Apresentar elementos teóricos e práticos e promover a reflexão sobre a Educação Alimentar e Nutricional, abrangendo conceitos básicos, aspectos históricos e atuais incentivando a construção de um olhar crítico sobre as funções e possibilidades como ação facilitadora do processo ensino-aprendizagem, de indivíduos e coletividades, sobre práticas alimentares saudáveis, oferecendo subsídios para o planejamento, realização e avaliação de práticas educativas.

Conteúdo Programático

1 Conceitos básicos da educação
2 Educação em Saúde e Educação Alimentar e Nutricional
3 Guias Alimentares
4 Multidimensionalidade da alimentação
5 Etapas do desenvolvimento infantil
6 Ferramentas pedagógicas em EAN
7 Planejamento de práticas educativas em alimentação e nutrição
8 Comunicação em saúde
9 Publicidade e propaganda na EAN

Bibliografia

Bibliografia Básica:

  • AQUINO, W. et al. O olhar dos profissionais de saúde e de usuários de uma unidade básica de saúde sobre a educação nutricional. Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde. Rio de Janeiro, 2007, jul-dez, v. 1, n. 2, p. 215-223.
  • BARBOSA, R. M. S. et al. Desenvolvimento de guias alimentares em diversos países. Revista de Nutrição. Campinas, 2008, jul./ago, v. 21, n. 4, p. 455-467.
  • BARBOSA, R. M. S. et al. Guias alimentares para crianças: aspectos históricos e evolução. Revista de Nutrição. Campinas, 2006, mar./abr, v. 19, n. 2, p. 255-263.
  • BOOG, M. C. F. Atuação do nutricionista em saúde pública na promoção da alimentação saudável. Revista Ciência & Saúde. Porto Alegre, 2008, jan./jun, v. 1, n. 1, p. 33-42.
  • BOOG, M. C. F. Educação nutricional: por que e para quê? Jornal da Unicamp. Campinas, 2004, ago, p. 2.
  • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Caderno de educação popular e saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2007.
  • BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Promoção da Saúde. 3. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2010.
  • DIEZ-GARCIA, RW; CERVATO-MANCUSO, AM. Nutrição e Metabolismo: Mudanças Alimentares e Educação Nutricional. 1ª. ed. Rio de Janeiro: GUANABARA KOOGAN, 2011.
  • FIGUEIREDO, T. A. M. et al. A saúde na escola: um breve resgate histórico. Ciência e saúde coletiva, v. 15, n. 2, p. 397-402, 2010.
  • PHILIPPI, S. T. et al. Pirâmide alimentar adaptada: guia para escolha dos alimentos. Revista de Nutrição. Campinas, 1999, jan./abr, v. 12. n. 1. p 65-80.
  • PHILIPPI, S. T. et al. Pirâmide alimentar para crianças de 2 a 3 anos. Revista de Nutrição. Campinas, 2003, jan./mar. v. 16. n. 1. p 5-19.
  • PHILIPPI, S. T. Pirâmide dos alimentos: fundamentos básicos da nutrição. Barueri: Manole, 2008.
  • Portaria Interministerial nº. 1.010 de 08 de Maio de 2006.
  • SANTOS, L. A. S.Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis.Revista de Nutrição. Campinas, 2005, v. 18, n. 5, p. 681-692.

Bibliografia Complementar:

  • LINDEN, S. Educação Alimentar e Nutricional: algumas ferramentas de ensino. 2ª. Ed. São Paulo: Varela, 2011.

Turmas Ofertadas

Turma Período Vagas Matriculados Curso / Horários Professores
M1 2019 / 2 55 38 Nutrição (Bacharelado)
Horários
ManhãTardeNoite
QUA08:00 - 08:50
08:50 - 09:40
CRISTINA CORREA KAUFMANN
Professor responsável pela turma

Disciplinas Equivalentes

Disciplina Curso
EDUCAÇÃO NUTRICIONAL Nutrição (Bacharelado)

Página gerada em 14/11/2019 02:07:33 (consulta levou 0.557991s)