Nome do Projeto
Projeto de ensino: fortalecendo articulação entre teoria e prática na formação em enfermagem
Ênfase
ENSINO
Data inicial - Data final
04/05/2015 - 28/04/2017
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências da Saúde - Enfermagem
Resumo
No processo de formação previsto pelas diretrizes curriculares a articulação entre diferentes conteúdos e espaços de formação se constitui em um importante foco orientativo dos cursos de graduação, particularmente na área de saúde, conforme Parecer CNE/CES nº 1.133, de 7 de agosto de 2001 - Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Enfermagem, Medicina e Nutrição.e Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001 - Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Aspectos como uma formação orientada por competências, voltada para a construção do conhecimento no processo ensino aprendizagem em uma perspectiva que favoreça um estudante com uma postura pró-ativa, com vistas a aprender a aprender implica em construir espaços de formação que inclua métodos e ferramentas capazes de contribuir com diferentes formas e ferramenta de aprendizagem, favorecendo processos particularizados do estudante. Assim este projeto pretende contribuir através de espaços e atividades que permitam o desenvolvimento de habilidades e competências esperadas na formação em enfermagem, particularmente no que se refere a espaços protegidos de ensino: laboratórios de simulação e anátomo-funcional; laboratórios de buscas, leituras e produção textual e suporte teórico- pratico de atividades no território e em serviços de saúde.

Objetivo Geral

Construir espaços de articulação de teoria e pratica que contribuam na formação em enfermagem.

Justificativa

De acordo com as diretrizes curriculares nacionais para os cursos graduação em Enfermagem o perfil dos egressos do curso deverá contemplar um enfermeiro generalista, crítico, reflexivo, competente em sua prática, responsável ética e socialmente e capaz de conhecer e intervir sobre as situações e problemas referentes ao processo saúde-doença prevalentes no país e na região em que vive, atendendo as necessidades sociais da saúde, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS).
Ao pensar e estruturar a formação com vistas ao objetivo apresentado defini-se por uma intervenção pedagógica e um a abordagem metodológica orientada pela necessidade de integração entre conteúdos teóricos, competências e habilidades. Que estes se apresentem mediados pela reflexão e movidos pela produção do conhecimento, através da inserção em concretas realidades.
Neste sentido, o espaço de formação fundamental para o enfermeiro é o Sistema Único de Saúde enquanto sistematização da atenção em saúde/processo de construção de uma atenção orientada pela universalidade, igualdade e qualidade de atenção em saúde.
Dentro dessa perspectiva, uma metodologia que se revela imensamente qualificada, é justamente a abordagem construtivista, através de práticas ativas para que possa ser valorizado o conhecimento prévio de cada um dos envolvidos, construindo assim, um espaço de formação e desenvolvimento de novos saberes.
Nesta concepção reafirma-se então a noção de avaliação que tenha como princípio proporcionar uma avaliação formativa, a qual se revela pelo principio diagnóstico. Sendo este um processo individual, voltado ao processo de aprendizagem. Será respeitado o espaço/tempo de cada um para que a aprendizagem ocorra de forma progressiva em direção ao perfil esperado para cada situação de aprendizagem.
Neste cenário teórico, Demo (1995, p.130) alerta que “o mero repasse copiado não tem sentido pedagógico”, pois o contato pedagógico próprio da educação superior é aquele mediado pela produção/reconstrução de conhecimento. Urge então a necessidade de se romper com a pedagogia da pura transmissão e reprodução de conhecimentos.
Neste sentido espaço protegido de formação contribuem no processo de aprendizado e no processo de avaliação diagnóstica.
Desde 2009, quando da implementação do novo currículo a Faculdade de Enfermagem tem feito esforços no sentido de atender necessidades particularizada do estudantes, promovendo espaços e ferramentas de aprendizagem bastante utilizadas quando do diagnostico de necessidades diferenciada e também no processos transferência e reopções.

Metodologia

As áreas de competência saúde, gestão, e investigação cientifica, serão desenvolvidas pelas subáreas: cuidados as necessidades individuais em saúde, cuidados as necessidades coletivas em saúde, organização do trabalho em saúde, estudo e pesquisa em saúde que movimentam os saberes para a formação do perfil profissional do enfermeiro.
Os saberes serão organizados temporalmente em quatro unidades educacionais:
- unidade de simulação: laboratório de exame físico e procedimentos dirigidos a adultos, mulheres, crianças e saúde mental;
- unidade anatomo-funcional: laboratório de suporte e articulação de conteúdos de anatomia, fisiologia e exame físico;
- unidade de construção de portfólio: oficinas continuas de busca, leitura, analise de produção cientifica e construção de portfólios
- unidade de suporte as atividades pratica no território e serviços de saúde
Os procedimentos para intervenção pedagógica referendados neste Projeto pretende contribuir para o entrelaçamento teórico que visa sustentar, auxiliar e legitimar a concepção curricular, possibilitando avançar no processo de formação em saúde e enfermagem.
É inegável que são múltiplas as formas de conceber o fenômeno educativo. O mesmo pode ser analisado sob o ponto de vista humano, histórico e multidimensional e sua abordagem, para Mizukami (1986) pode se dar pelas formas cognitiva, emocional, sócio-política e cultural. São todos estes aspectos que funcionam em conjunto, seja um mais promovido que outro, mas de forma integrada e associativa, no qual o destaque para apenas um fator pode levar a divergência focal do fenômeno.
Estas considerações nos encaminham para uma prática na qual o educador assume o papel de facilitador do processo ensino e aprendizagem, que, nesta perspectiva nos remete para uma abordagem mais detalhada à respeito dos procedimentos e instrumentos.
Os disparadores da aprendizagem em cenários reais de Unidades Básicas de Saúde e Hospitais serão as situações reais dos usuários dos serviços e do contexto de trabalho em saúde que serão identificadas e trabalhadas no próprio serviço e nos encontros de estudo e formação.
Os disparadores de aprendizagem podem ser: demandas de campo; temas articulados as atividades previstas em campo; apresentação de produtos produzidos no território ou nos espaços de atividade prática (diagnósticos; acompanhamento de famílias...);
A simulação da prática visa o desenvolvimento das capacidades necessárias ao domínio da competência nas áreas de saúde, de gestão e sistematização da assistência. São espaços protegidos que simulam cenários da pratica de cuidados a saúde, onde os estudantes realizam atendimentos em pacientes simulados, realizam procedimentos em manequins e ou bonecos. Estarão acompanhados por um facilitador que avaliará o desempenho das capacidades voltadas ao perfil do profissional a ser formado.
O portfólio é um espaço em que o estudante descreve seu aprendizado. Trata-se de síntese reflexiva elaborada pelo aluno e complementada com buscas referenciadas. Assim sendo, o portfólio pode ser definido como um continente de diferentes classes de documentos (notas pessoais, experiências de atividade, trabalhos pontuais, pesquisa sobre os temas em questão, processos de ensino-aprendizagem). Objetiva registrar o que o aluno aprendeu com a atividade; expor as dificuldades e o que ajudou a resolver.
O conjunto dos registros proporciona aos alunos e facilitador uma visão geral do processo de aprendizagem vivido, evidências do conhecimento que foi sendo construído, das estratégias usadas para aprender e da disposição de quem o elabora para continuar aprendendo.
Permite estimular os alunos na condução da sua própria aprendizagem e auxiliar no desenvolvimento de habilidades e competências inerentes a profissões que requerem atitudes reflexivas em face de situações novas.
Ferramenta que tem o potencial de contemplar as produções dos alunos em um largo período de tempo e de traduzir não somente sua maneira de pensar (dimensão cognitiva) como seus sentimentos e atitudes (dimensão afetiva) e sua maneira de agir (dimensão procedimental), trazendo em suas reflexões autores, assim como a adequada citações das referencias utilizadas.
Assim propõe-se a estruturação de diferentes grupos de estudo e aprendizagem considerando as grandes áreas de formação e objetivos previstos no projeto político pedagógico em curso, são eles: grupos de simulação, de anatomo-funcional, construção de portfólio e suporte as atividades práticas.

Resultados Esperados

Espera-se que o projeto permita qualificar o principio diagnóstico da avaliação proposta no projeto pedagógico e que a estruturação de espaços de formação qualifique a formação reduzindo reprovação e estimulando a inserção dos estudantes nos cenários de aprendizagem reduzindo evasão.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALLAN MARCOS DA SILVA PALHETA2002/05/201630/12/2016
ANA AMALIA PEREIRA TORRES404/05/201528/04/2017
ANA CAROLINA PADUA LOPES2011/05/201531/12/2015
ANA CLARA DE BRITO CRUZ2002/05/201630/12/2016
ANA PAULA GARCIA BARRAGAN2002/05/201630/12/2016
ANDRÉIA INÊS ENGELMANN2002/05/201630/12/2016
BRUNA ALVES DOS SANTOS2002/05/201628/04/2017
BRUNA FERREIRA RIBEIRO2002/05/201630/12/2016
BRUNO PEREIRA NUNES206/06/201630/12/2016
CAMILA TIMM BONOW2011/05/201531/07/2015
CARLOS ALBERTO DOS SANTOS TREICHEL204/05/201528/04/2017
CAROLINE KRUGER CASTRO2002/05/201630/12/2016
CELMIRA LANGE206/07/201531/12/2015
CHRISTIAN LORET DE MOLA ZANATTI307/11/201630/12/2016
CRYSHNA LETICIA KIRCHESCH2011/05/201531/12/2015
DENILSON REHLING LOPES2001/08/201531/12/2015
DIANA CECAGNO306/06/201630/12/2016
DIOGO HENRIQUE TAVARES2011/05/201531/07/2015
EDSON ELIZEU ESCHEVANI TAKEHISA2002/05/201630/12/2016
EDUARDA ROSADO SOARES2002/05/201630/12/2016
ELISA SEDREZ MORAIS2011/05/201531/12/2015
GLAUCIA JAINE SANTOS DA SILVA2011/05/201531/12/2015
JANAINA DO COUTO MINUTO2011/05/201531/12/2015
JESSICA CARDOSO VAZ2011/05/201531/12/2015
JOSÉ HENRIQUE DIAS DE SOUSA2011/05/201530/12/2016
JULIANA BORDONI CANÊZ2002/05/201630/12/2016
JULIANA GRACIELA VESTENA ZILLMER204/05/201528/04/2017
JÉSSICA JESKE DUARTE2015/07/201531/12/2015
JÉSSICA MORÉ PAULETTI2002/05/201630/12/2016
JÉSSICA ROSSALES DA SILVA2011/05/201531/12/2015
KARINE LEMOS MACIEL2002/05/201630/12/2016
LAÍNE BERTINETTI ALDRIGUI2011/05/201531/07/2015
MANOELLA SOUZA DA SILVA2002/05/201630/12/2016
MARIANA DIAS DE ALMEIDA2002/05/201630/12/2016
MARIANA LUCHESE VASEM204/05/201528/04/2017
MARILU CORREA SOARES204/05/201528/04/2017
MARINÉIA ALBRECHT KICKHÖFEL2016/05/201630/12/2016
MICHELE MANDAGARA DE OLIVEIRA204/05/201528/04/2017
MILENA OLIVEIRA DO ESPIRITO SANTO2011/05/201531/12/2015
MÔNICA GISELE GARCIA KÖNZGEN2001/08/201531/12/2015
NATHALIA DA SILVA SCHNEIDER 2002/05/201630/12/2016
NORLAI ALVES AZEVEDO306/06/201630/12/2016
PEDRO MÁRLON MARTTER MOURA2011/05/201531/12/2015
PIERRE FERNANDO TIMM2002/05/201630/12/2016
RAQUEL CAGLIARI2002/05/201630/12/2016
RENATA CUNHA DA SILVA404/05/201528/04/2017
RICARDO AIRES DA SILVEIRA2011/05/201531/12/2015
ROXANA ISABEL CARDOZO GONZALES211/05/201531/12/2015
SIMONE COELHO AMESTOY204/05/201531/07/2015
SUEINE VALADAO DA ROSA404/05/201528/04/2017
SUELE MANJOURANY SILVA DURO306/06/201630/12/2016
TAINÁ MOLINA SCHNORR2011/05/201531/12/2015
TATIANE MACHADO DA SILVA SOARES404/05/201528/04/2017
TEILA CEOLIN204/05/201528/04/2017
VALERIA CRISTINA CHRISTELLO COIMBRA204/05/201528/04/2017
VANDA MARIA DA ROSA JARDIM404/05/201528/04/2017
VIVIANE MARTEN MILBRATH204/05/201528/04/2017
YASMIN SALDANHA GENEROSO2011/05/201531/12/2015

Página gerada em 17/11/2019 15:40:14 (consulta levou 0.053950s)