Nome do Projeto
ASPECTOS FISIOLÓGICOS, BIOQUÍMICOS E COMPONENTES DO RENDIMENTO DE GENÓTIPOS DE ARROZ IRRIGADO SUBMETIDOS A CONDIÇÕES SUPRAÓTIMAS DE TEMPERATURA
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2020 - 07/08/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Agronomia - Fisiologia de Plantas Cultivadas
Resumo
As possíveis alterações dos padrões climáticos do planeta, devido ao aumento das temperaturas médias, deverão causar impactos diretos nas atividades relacionadas à produção agrícola. Até 2020, os efeitos dessas alterações resultarão em perdas na produção de grãos de R$ 7,4 bilhões, sendo que para a orizicultura o prejuízo poderá alcançar cerca de R$ 362 milhões. Esta preocupação se deve aos registros e estudos os quais indicam que, no Rio Grande do Sul, principal produtor de arroz no Brasil, num período de 57 anos (1948-2004), a tendência de aumento da temperatura mínima variou de 0,8°C até os valores máximos de 1,9, 1,7 e 1,9°C, respectivamente, para os meses de dezembro, janeiro, fevereiro e março. Tendo em vista o seu impacto sobre o processo de respiração, e consequente efeito negativo sobre o potencial produtivo da cultura do arroz, a ocorrência do aumento nas médias de temperaturas tem gerado grande preocupação. Assim, torna-se primordial a compreensão das estratégias utilizadas pelas plantas para responder a essa condição, bem como definir as práticas de manejo a serem adotadas quando a cultura está exposta à mesma. Nesse sentido, no presente projeto propõe-se caracterizar mecanismos fisiológicos e bioquímicos que genótipos de arroz contrastantes utilizam quando submetidos a temperaturas supra-ótimas isoladamente ou em combinação com níveis crescentes de CO2 durante os estádios fenológicos mais sensíveis ao estresse térmico (fase reprodutiva – R2 a R5). Para isso, serão realizados dois estudos, o primeiro em condições controladas de câmara de crescimento (fititron), onde dois genótipos de arroz serão expostos a diferentes condições de temperatura e níveis de CO2, visando caracterizar e quantificar os mecanismos fisiológicos e bioquímicos dos genótipos. O segundo será realizado a campo, onde os mesmos genótipos serão semeados em três épocas distintas e expostos a temperaturas diurnas e noturnas supra-ótimas durante os estádios mais sensíveis do seu desenvolvimento, sendo avaliadas as respostas fisiológicas, bioquímicas e os componentes de rendimento da cultura. Com os resultados da pesquisa, será possível quantificar os potenciais impactos negativos na cultura causados por temperaturas supra-ótimas ocorrentes e pela existência de variabilidade genética no germoplasma do arroz para o estresse em questão.

Objetivo Geral

Construir conhecimentos aplicáveis ao refinamento dos procedimentos de manejo e aos de fenotipagem úteis aos programas de melhoramento genético do arroz irrigado, capazes de mitigar os efeitos que as temperaturas supra-ótimas e níveis elevados de CO2 causam sobre a cultura do arroz irrigado no Sul do Brasil.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE HERNKE THIEL601/05/202007/08/2020
DANIEL DE SOUZA RODRIGUES2001/08/201931/07/2020
LUCIANO DO AMARANTE101/05/201630/04/2020
LUIS ANTONIO DE AVILA101/05/201630/04/2020
STEFÂNIA NUNES PIRES801/05/202007/08/2020
VICTORIA NOVO SCHMITZ1001/05/202007/08/2020

Página gerada em 22/01/2020 15:40:00 (consulta levou 0.073630s)