Nome do Projeto
LEVANTAMENTO E SISTEMATIZAÇÃO DE DADOS SOBRE MUSEUS DE MEMÓRIA NA AMÉRICA LATINA E ANGLO-SAXÔNICA
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
03/08/2019 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Sociais Aplicadas - Museologia
Resumo
Esta pesquisa tem por objetivo analisar a inscrição dos Museus de Memória no imaginário turístico . Os Museus de Memória, tipologia museológica que se desenvolve expressivamente a partir dos anos 1990 como um dos elementos do que Annette Wieviorka (1998) denominou como “a era do testemunho”, trazem como presssupostos fundamentais o dever da denúncia de um passado trágico, a reparação simbólica pela memória e a busca pela garantia da transmissão dessa herança para as gerações futuras. Estes museus multiplicam-se em escala planetária no cenário contemporâneo marcado por violências associadas aos regimes ditatoriais, aos crimes de massa, totalitarismos, genocídios (CHEVALIER,LEFORT,2016) bem como aos processos identitários ancorados em rupturas, sofrimentos e exclusões. Substitutos compensatórios da falta de uma verdadeira reconstrução histórica e jurídica do passado em um presente marcado pelo trauma (ANDERMAN, 2014) os museus de memória irrompem na cena pública como agenciadores de uma memória difícil e na busca de sentidos de pertencimento, utilizando-se para tanto de diferentes dispositivos e critérios museológicos que, ora afirmam a perspectiva teórico-metodológica do que Waldisia Rússio definiu como fato museal, a relação do homem, sujeito conhecedor, com o objeto, parte da realidade também integrada e sobre a qual ele tem o poder de agir (RÚSSIO GUARNIERI,1984), ora colocando-a em questionamento, pois a matéria tangível ou intangível conformadora dos museus de memória está, via de regra, inapreensível uma vez que se constitui no campo do indizível: como traduzir a tortura? Com qual léxico definir o sofrimento? Com que instrumentos mostrar o que não se quer ver? O processo de constituição destes museus, ainda que emergindo de buscas memoriais e em contextos de recuperação de passados traumáticos, segue as normatizações e princípios regulatórios da instituição museu no seu sentido mais restrito- o reconhecimento do valor memorial do que ali é deposto seguindo um rito de passagem (documentação, registro, catalogação), atravessado por práticas que removem objetos, narrativas, documentos, de suas vidas ordinárias e os elevam a condição de acervo (HERTZ, CHAPPAZ-WIRTHNER, 2012; BRULON, 2016). Este processo pressupõe que os bens que entram para um museu deixam de ser pessoais e assumem um outro estatuto- o de bens simbólicos- transcendendo assim sua materialidade e trajetória intima e passando a representar a “passagem do visível ao invisível”.

Objetivo Geral

Objetivo Geral
Este projeto tem por objetivo analisar os impactos da inscrição de museus de memória no cenário urbano, identificados como atrativos turísticos e como agenciadores de relações sociais, econômicas e políticas no contexto no qual estão inseridos.
Objetivos específicos
1. Elaborar uma descrição densa sobre os museus de memória no âmbito da América Latina e Anglo-Saxônica, enfatizando as relações que apresentam no contexto social no qual estão inseridos.
2.Descrever os processos históricos e sociais que orientaram a formação dos museus de memória com ênfase nas três instituições selecionadas para o aprofundamento da pesquisa.
3. Aferir como estas instituições interagem no contexto urbano em que se encontram, verificando quais alterações, benefícios e redes se formaram a partir delas.
4. Averiguar como estas instituições estão inseridas em circuitos turísticos.
5. Definir o perfil dos visitantes que frequentam as instituições analisadas, buscando identificar as motivações que os levam a estes museus.
6. Identificar as estratégias e dispositivos museológicos implementados pelos museus no processo de comunicação com o público visitante.
7. Identificar os espaços museológicos para acolhimento do público.
8. Averiguar as formas de financiamento da instituição museológica e os impactos da visitação no orçamento da mesma.
9. Analisar materiais de divulgação do museu e outros colocados à disposição do visitante como os souvenirs comercializados no interior dos mesmos.
10. Compreender como o museu se insere na dinâmica do turismo e as possíveis consequências disso no que se refere aos processos sociais de produção da memória do sofrimento.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINA GOMES NOGUEIRA1503/08/201931/12/2020
JOSÉ ANDREAS CURBELO KNUTSON501/07/201631/12/2016
JULIANE CONCEICAO PRIMON SERRES302/08/201802/08/2019
RITA JULIANA SOARES POLONI302/08/201802/08/2019

Página gerada em 10/08/2022 02:06:45 (consulta levou 0.038125s)