Nome do Projeto
Patologias sociais: o diagnóstico de nosso tempo e as alternativas a partir da racionalidade ético-comunicativa
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/09/2019 - 30/06/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Humanas - Educação
Resumo
O projeto faz parte do CAPES/Print. No âmbito institucional da Universidade Federal de Pelotas, dois grandes temas servem de pivôs centrais: saúde e alimentos. Em cada um desses eixos, diversos subprojetos alavancam temáticas específicas. Além do mais, destaca-se a integração entre diversos cursos de pós-graduação da UFPel. Este projeto poderia ser classificado como um subprojeto do CAPES/Print UFPel. Trata-se do Observatório Global de Patologias Sociais, vinculado à linha da “saúde e sociedade”, cuja preocupação central se “relacionada a equidade ao longo do ciclo vital”. Ele integra os cursos de pós-graduação em Educação e Odontologia. Neste contexto, a criação deste projeto específico visa estabelecer uma visão multidisciplinar sobre as patologias sociais e saúde. O subprojeto Observatório Global de Patologias Sociais não deseja apenas ater-se ao diagnóstico de nosso tempo, mas salientar também as alternativas. Nesse sentido, uma das referências fundamentais é a Agenda 2030 e alguns dos “17 objetivos para transformar o mundo”. Por isso, na descrição inicial do projeto, destaca-se que os déficits sociais indicam disparidades no acesso à saúde, uma questão de justiça e de solidariedade social. O diagnóstico da sociedade atual evidencia um sintoma de in-solidariedade, reforçando patologias sociais que se perpetuam e afetam não apenas os indivíduos ou grupos específicos, mas a sociedade como tal. A noção de patologia social remete a teoria crítica da sociedade, colocando em evidencia a precariedade de grupos, indivíduos e cidadãos infra-valorizados e em situações sub-humanas. No aspecto gramatical, os termos diagnóstico e patologia, embora com origem na medicina, se vinculam a comportamentos sociais que impedem uma convivência saudável. A manifestação anormal diz respeito à noção clínica de saúde que trata da capacidade de funcionamento do corpo. A consideração patológica condiz ao desenvolvimento orgânico deficiente, cujas manifestações ocorrem, muitas vezes, através de linguagens e atitudes altamente tóxicas e intoxicantes. Os estados psíquicos e físicos têm relação com os valores de normalidade em um horizonte social, quando os indivíduos percebem os transtornos de sentido. No caso, as pessoas são consideradas como objetos de um sistema que instrumentaliza as relações. Nessa perspectiva, o déficit condiz à anomalia social que vulnera os valores, principalmente a justiça, deformando as possibilidade de um viver pretendido como “normal” ou “saudável”.

Objetivo Geral

Os objetivos do projeto tratam de adequarem-se ao Projeto Institucional.
- estudar a noção de patologia social, sua origem e desdobramentos para as ciências em geral e, especificamente, no que diz respeito ao papel do intelectual nos dias atuais, ao mesmo tempo que se busca desenhar atitudes institucionais voltadas a superar as anomalias comportamentais tóxicas;
- identificar o que significa anomalia social e sua vinculação com o exercício do poder, de modo especial em relação ao necropoder e suas formas nocivas a dimensão equitativa da justiça;
- delinear uma fundamentação crítico-filosófica que indique possíveis alternativas saudáveis aos diagnósticos de nossa época.
A realização desses objetivos requer:
- a formação de rede de pesquisas internacionais;
- a gradual internacionalização dos cursos pós-graduação envolvidos.
Para tanto, dar-se-á prioridade à mobilidade discente e docente para o/do exterior (com ênfase em doutorandos, pós-doutorandos e docentes). Além do mais, dever-se-á transforma as instituições participantes em um ambiente internacional, com grupo de estudo e disciplina com bibliografia especializada. Em terceiro lugar, o esforço deverá integrar outras ações de fomento da CAPES ao esforço de internacionalização.
O eixo central dos procedimentos salientam que condição de saúde não se limita ao campo biológico de saúde mas também considera os aspectos econômicos, educacionais, cultuais, políticos e histórico-sociais, de qualidade de vida e das necessidades básicas das pessoas e grupos, construídas ao longo do ciclo vital e do meio em que vivem. A perspectiva é de que o projeto tenha repercussões Globais, mas que seja focado principalmente no contexto latino-americano e na região de abrangência da Universidade Federal de Pelotas. Por isso, outras iniciativas já em andamento e lideradas por pesquisadores da UFPel serão usadas como arcabouço para as discussões que serão estabelecidas nesta atividade de extensão, e também servirão como referência para a implementação das ações propostas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLARA CORREA HENNING201/09/201930/06/2022
CELIA ARTEMISA GOMES RODRIGUES MIRANDA201/09/201930/06/2022
CHÉLI NUNES MEIRA201/09/201930/06/2022
GEORGIA ARLA CABRERA KHADER201/09/201930/06/2022
LOURDES MARIA BRAGAGNOLO FRISON201/09/201930/06/2022
LUCIA INÊS UGOSKI VOLCAN ZOLIN201/09/201930/06/2022
MARIA CECILIA LOREA LEITE201/09/201930/06/2022
MAXIMILIANO SERGIO CENCI201/09/201930/06/2022
NOELI BOSCATO201/09/201930/06/2022
RAFAEL GUERRA LUND201/09/201930/06/2022
RICHÉLE TIMM DOS PASSOS DA SILVA201/09/201930/06/2022
THAÍS PICCOLO CARVALHO201/09/201930/06/2022
VALÉRIA FONTOURA NUNES201/09/201930/06/2022
VERA LUCIA DOS SANTOS SCHWARZ201/09/201930/06/2022

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 25.156,00

Página gerada em 20/01/2021 14:48:34 (consulta levou 0.103802s)