Nome do Projeto
Desenvolvimento de produtos convencionais e light com araçá amarelo e vermelho (Psidium cattleianum Sabine) e pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.)
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2015 - 01/05/2017
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
Os produtos diet e light atendem a esta demanda e estão constantemente sofrendo inovações e ampliando o mercado. A utilização de frutas no desenvolvimento destes produtos, tem sido de grande importância no sentido de favorecer o aspecto nutricional. A Região Sul do Brasil tem se destacado pelo potencial na produção de frutas nativas e de pequenas frutas devido às condições climáticas e adaptação de espécies, levando ao aumento da produção da fruta in natura e de seus produtos derivados, como sucos, geleias, sorvetes, frutas secas, dentre outros (RASEIRA; ANTUNES, 2004). O araçá e a pitanga apresentam excelente potencial de exploração econômica, além de serem ricos em compostos considerados bioativos e podendo reduzir o risco de doenças por sequestrar radicais livres.São escassas as informações a respeito das potencialidades de uso do araçá e da pitanga na elaboração de produtos, bem como sobre a influência do processamento nas características físico-químicas e atividade antioxidante destas frutas. A elaboração de geleias convencionais e light é uma forma de diversificar e atender as exigências do mercado consumidor, que procura cada vez mais produtos de qualidade e diferenciados. O processamento e armazenamento de geleias podem provocar perdas substanciais na composição química da matéria-prima original, incluindo componentes pertencentes à classe dos compostos fenólicos, clorofilas, carotenoides, fitosteróis, tocoferóis e vitamina C. Até o momento, poucos estudos foram realizados sobre o efeito do armazenamento e processamento de produtos elaborados com araçá e pitanga, sendo importante este conhecimento para elucidar as alterações nas características físico-químicas. As balas mastigáveis também podem ser uma alternativa interessante de novo produto a partir da utilização de frutas nativas, ampliando as opções de consumo das mesmas. Da mesma forma que para geleias, este tipo de produto permite a produção na versão com reduzido valor calórico. As balas ocupam posição de destaque na produção nacional e exportação, sendo o Brasil o 3º maior produtor e exportador mundial de balas (ABBOT, 2010). Assim, estima-se que o desenvolvimento de geleias e de balas mastigáveis com reduzido valor calórico a partir destas frutas nativas seja uma alternativa viável do aproveitamento das mesmas e opção de consumo com possibilidade de manutenção de características químicas importantes/relevantes da fruta.

Objetivo Geral

Desenvolver geleias e balas mastigáveis convencionais e light com araçá vermelho e amarelo (Psidium cattleianum Sabine) e pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.) com qualidade tecnológica, sensorial e manutenção de compostos bioativos.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANA CLAUDIA DA SILVA PORTO201/05/201501/05/2017
LAURA BORBA VILANOVA101/05/201501/05/2017
LISIANE PINTANELA VERGARA2001/05/201501/05/2017
ROSANE DA SILVA RODRIGUES101/05/201501/05/2017
RUI CARLOS ZAMBIAZI101/05/201501/05/2017

Página gerada em 19/11/2019 19:16:28 (consulta levou 0.073429s)