Nome do Projeto
Isolamento fúngico e ocorrência de aflatoxinas em propriedades leiteiras convencionais e agroecológicas do Brasil e sua redução através de métodos naturais
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
01/05/2019 - 31/12/2022
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Biológicas - Microbiologia - Micologia
Resumo
O leite é um alimento de grande valor nutritivo, que fornece macro e micronutrientes para o crescimento, desenvolvimento e manutenção da saúde humana. Porém, pode também ser o agente causador de diversas alterações fisiológicas nos indivíduos que o consomem, principalmente por ser veículo de contaminantes ambientais e alimentares. As aflatoxinas B1 (AFLAB1) e B2 (AFLAB2) são metabólitos tóxicos produzidos no metabolismo secundário de fungos das espécies Aspergillus flavus, A. parasiticus e A. nomius, que contaminam produtos agrícolas, e as aflatoxinas M1 (AFLAM1) e M2 (AFLAM2) são metabólitos hidroxilados das AFLAB1 e AFLAB2 que podem ser encontrados em produtos lácteos obtidos de animais que ingeriram ração contaminada. Como estudo prévio e que abriu o interesse em uma pesquisa de maior abrangência pode-se considerar o levantamento da presença da aflatoxina em leite realizado no sul do Brasil por integrantes da equipe desse projeto onde foi comprovada a contaminação, inclusive acima de níveis permitidos, em leite processado pela indústria. Com isso há grande preocupação com relação à saúde principalmente das crianças, devido ao alto consumo de leite e produtos derivados, seu baixo peso corpóreo e sua maior suscetibilidade às aflatoxinas, tornando-se muito prudente o estudo da incidência desses metabólitos nesse alimento. Uma vez que a utilização de tratamentos térmicos não é eficaz para a detoxificação das aflatoxinas no leite, associada a preocupação relacionada aos impactos negativos dessas sobre a saúde, busca-se estratégias para prevenir a sua presença em alimentos, bem como, para eliminar, inativar ou reduzir a biodisponibilidade destas toxinas em produtos contaminados. Uma das alternativas a serem estudadas seria o uso da capacidade adsortiva dos complexos de carboidratos presentes na parede celular de Saccharomyces cerevisiae, que apresenta a capacidade de atuar sobre diferentes micotoxinas presentes em baixos ou altos níveis nos alimentos e é estável em diferentes pHs, o que o torna um eficiente adsorvente. A partir de outros micro-organismos isolados do próprio leite serão realizados testes fermentativos para testar a redução nos níveis de aflatoxinas. Espera-se ter um panorama da ocorrência de aflatoxinas em leite em diferentes localidades do Brasil assim como detectar o alimento originário, comparando propriedades convencionais com produção agroecológica e em contrapartida gerar uma alternativa para a retirada da aflatoxina desse produto.

Objetivo Geral

O objetivo deste trabalho será avaliar a ocorrência de isolamento fúngico e de contaminação por aflatoxinas (B1 e M1) em ração, silagem e leite proveniente de propriedades convencionais e agroecológica, localizadas em diferentes regiões do Brasil, assim como verificar a capacidade de redução dos níveis dessas micotoxinas através da ação adsorvente de componentes da parede celular de S. cerevisiae dentre outros micro-organismos fermentativos.

Objetivos específicos
• Analisar a ocorrência de AFLAB1 em rações consumidas por vacas leiteiras de propriedades convencionais e agroecológica, localizadas em diferentes regiões do Brasil;
• Analisar a ocorrência de AFLAB1 em silagens consumidas por vacas leiteiras de propriedades convencionais e agroecológica, localizadas em diferentes regiões do Brasil;
• Analisar a ocorrência de AFLAB1 e AFLAM1 em leite de vaca proveniente de propriedades leiteiras localizadas convencionais e agroecológica, localizadas em diferentes regiões do Brasil;
• Selecionar uma propriedade para verificar individualmente, a ocorrência de AFLAB1 e AFLAM1 em leite oriundo de vacas com e sem mastite, e realizar o acompanhamento mensal da composição do leite;
• Relacionar as incidências de contaminação na ração, na silagem e no leite de acordo com a época do ano;
• Relacionar a presença das aflatoxinas com a composição do leite, estado imunitário e parasitológico dos animais;
• Verificar a presença de fungos no leite obtido de amostras de tanque assim como nas amostras coletadas individualmente de animais com e sem mastite;
• Verificar a capacidade de ligação de diferentes componentes da parede celular de S. cerevisiae às moléculas de aflatoxinas (AFLAB1 e AFLAM1) presentes em leite;
• Analisar a influência das variáveis (quantidade de adsorvente, granulometria do adsorvente, vácuo, proporção da mistura dos solventes de lavagem, volume da mistura de solventes e volume de amostra de leite) na concentração das aflatoxinas adsorvidas;
• Estudar a toxicidade dos compostos resultantes após a adsorção das aflatoxinas.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CRISTINA HALLAL DE FREITAS801/05/201930/04/2020
GINIANI CARLA DORS201/08/201931/12/2021
GISELDA MARIA PEREIRA101/05/201904/04/2022
HELENICE GONZALEZ DE LIMA201/05/201901/04/2022
KEVIN EDUARDO RIBEIRO PALHARES1001/05/201931/12/2019
PAULA KERN DA SILVA801/05/201931/12/2019
PEDRO RASSIER DOS SANTOS1001/05/201904/04/2022
ROSANA BASSO KRAUS1001/05/201904/04/2022

Página gerada em 22/07/2019 13:17:05 (consulta levou 0.074688s)