Nome do Projeto
Avaliação e controle operacional no manejo tecnológico de perdas quantitativas e qualitativas no armazenamento de arroz no Brasil
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
05/04/2016 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Armazenamento de Alimentos
Resumo
Perdas no armazenamento de grãos constituem-se sempre em grandes preocupações, pois armazenar significa guardar conservando, ou seja, mantendo, durante o arrmazenameento, quantidades e qualidade dos grãos nos níveis mais próximos possível daquelas existentes desde o início. As cadeias produtivas de grãos e produtos derivados são as que exibem crescimentos mais expressivos no Brasil nas últimas décadas, com quebras de recordes a cada ano. Cresce o mercado interno e crescem as exportações, que não mais se limitam à tradicional exportação de soja, pois ao alcançar paulatinamente a autossuficiência na produção de arroz, já tem havido exportações, especialmente de parboilizado para a Europa e outras partes do mundo. Estudos apontam boas perspectivas de sucesso na melhoria de desempenho industrial pelo adequado uso do manejo térmico na secagem dos grãos na etapa de pré-armazenamento, assim como do manejo tecnológico de práticas como controle de infestação de insetos e ácaros, controle de contaminações microbianas e de produção de micotoxinas, todos eles vinculados ao manejo fitossanitário, e também de operações como aeração ou mesmo resfriamento, que se caracterizam como processos de engenharia aplicados à conservação de grãos, de modo que seja possível superar gargalos para que as tecnologias possam ser incorporadas ao setor produtivo. O projeto abrange (1) “Diagnóstico, com identificação e qualificação tecnológica da rede armazenadora de arroz no país, pelo estudo in loco, em unidades armazenadoras a granel e em sacaria, no Mato Grosso e no Rio Grande do Sul”, (2). “Desenvolvimento, em escala piloto, no LABGRÃOS, para posterior validação em escala industrial, de parâmetros tecnológicos e operacionais de secagem, controle de pragas, aeração e uso de resfriamento no armazenamento de arroz”. Em ambos os estudos, serão avaliados, na planta-piloto do LABGRÃOS, efeitos das tecnologias estudadas sobre parâmetros quantitativos e qualitativos de qualidade tecnológica, de tipificação e de desempenho industrial (convencional e por parboilização) do arroz. Os trabalhos serão executados em conjunto com instituições científicas (EMBRAPA) e acadêmicas (UFPEL, UFSM, UFRGS, IFSUL e IFF, empresas da iniciativa privada (armazenadores) e a CONAB. Os resultados serão repassados à CONAB para orientação do setor produtivo. Eles servirão também de suporte para o Ministério da Agricultura na formulação regulamentos e políticas para o setor agrícola.

Objetivo Geral

GERAL
Determinar, in loco, durante o armazenamento do arroz em casca, a granel e ensacado, nas unidades armazenadoras selecionadas, índices de perdas quantitativas e qualitativas decorrentes de quebra técnica, secagem natural, contaminação microbiana, incidência de micotoxinas, infestação de insetos, índice de compactação nos silos e armazéns, alterações nos percentuais em parâmetros de tipificação e classificação comercial, em propriedades tecnológicas, em parâmetros de desempenho industrial, nos parâmetros de avaliação na cocção, em atributos sensoriais e em parâmetros de avaliação nutricional.

ESPECÍFICOS
1. Determinar, in loco, nas unidades armazenadoras selecionadas, o índice de perda de peso decorrente da quebra técnica, da secagem natural e infestação de insetos verificados no arroz em casca estocado a granel e ensacado, buscando estabelecer um índice único que seja representativo para todo o Brasil.
2. Determinar, in loco, durante o armazenamento do arroz, em casca, a granel e ensacado, nas unidades armazenadoras selecionadas, a massa seca e a massa específica dos grãos, os percentuais de perdas qualitativas anuais, decorrentes da presença de fungos, micotoxinas e da infestação de insetos.
3. Determinar o índice de compactação durante o armazenamento do arroz em casca a granel.
4. Identificar e quantificar, durante o armazenamento no arroz em casca a granel e ensacado, nas unidades armazenadoras selecionadas, as alterações nas tipificações e nas propriedades tecnológicas dos grãos, estabelecendo valoração das perdas quantitativas e qualitativas, e modelos matemáticos para estimativa de perdas no armazenamento.
5. Identificar e indicar as tecnologias mais apropriadas para minimização de perdas qualitativas e quantitativas que ocorrem no armazenamento a granel e ensacado para as diferentes regiões produtoras de arroz, para indicação aos armazenistas;
6. Desenvolver sistemas operacionais de secagem, armazenamento, aeração e monitoramento tecnológico, estabelecendo protocolos operacionais que permitam reduzir perdas quantitativas e qualitativas de pós-colheita dos grãos de arroz no Brasil, com reflexos diretos e indiretos em toda a cadeia produtiva, do produtor à indústria e ao consumidor, com segurança alimentar e oferta de alimentos seguros para o mercado interno e à exportação.
7. Validar nas instalações de escala piloto do LABGRÃOS as tecnologias testadas e desenvolvidas para reduções de perdas de pós-colheita de arroz, transferindo os resultados

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ALINE MACHADO ALVES1201/08/201831/07/2019
CAUE DUARTE ESCOUTO1205/04/201631/12/2020
DAVID DA SILVA PACHECO1201/08/201631/07/2017
ISMAEL ALDRIGHI BERTINETTI405/04/201631/12/2020
JORGE TIAGO SCHWANZ GÖEBEL405/04/201631/12/2020
MAURICIO DE OLIVEIRA205/04/201631/12/2020
NATHAN LEVIEN VANIER205/04/201631/12/2020
VINICIUS EICHOLZ STORCH1205/04/201631/12/2020

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CNPqR$ 792.000,00

Página gerada em 30/11/2020 20:58:37 (consulta levou 0.085671s)