Nome do Projeto
Encapsulação de compostos bioativos para aplicação em balas mastigáveis light e diet de pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.)
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
09/04/2018 - 31/12/2020
Unidade de Origem
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
Bala mastigável é um produto obtido da cocção de açúcares que se caracteriza por ser mastigável (gomoso) e de dissolução relativamente lenta na boca e cuja cor, sabor, aroma e/ou textura devem-se a alguns agentes que dão corpo à bala. A inserção de frutas nativas na formulação de balas mastigáveis pode eliminar ou reduzir o uso de aditivos, além de incorporar compostos benéficos à saúde associados à fruta. Como a maioria das espécies frutíferas nativas, a pitanga não possui cultivo comercial sendo cultivada como fruta silvestre em sistema extensivo pela agricultura familiar. Além disso, o consumidor atual modificou seus hábitos alimentares preferindo alimentos menos calóricos, mais saudáveis e nutritivos. Os produtos diet atendem a esta demanda e estão constantemente sofrendo inovações e ampliando a oferta no mercado. A importância de se trabalhar com estas frutas se dá por serem escassas as informações a respeito de suas potencialidades na elaboração deste tipo de produto. Poucos estudos foram realizados sobre a inserção de frutas nativas na formulação de balas visando caracterizar o produto com a fruta. O uso da pitanga como alternativa ao corante e aromatizante artificial propõe a utilização de uma fruta originária da região sul. A pitanga é rica em vitaminas, principalmente em precursores da vitamina A, e compostos potencialmente bioativos, como fenólicos e carotenoides, os quais estão relacionados com a capacidade antioxidante do fruto. Estudos têm apontado que a pitanga é uma fruta com grande potencial inibitório da enzima alfa-glicosidase, sendo um indicativo de seu uso no controle de diabetes tipo 2. No entanto, tanto os carotenoides quanto os composto fenólicos são instáveis a altas temperaturas, na presença de luz e de oxigênio, condições estas presentes na tecnologia de balas. Uma alternativa para aumentar a estabilidade destes compostos bioativos em condições ambientais, como no armazenamento e processamento, e como forma de preservação de sua potencial capacidade antioxidante, consiste na técnica de microencapsulação destes compostos. O presente estudo tem por objetivo desenvolver microcápsulas de extrato de pitanga por spray dryer para fortificação de balas mastigáveis diet de pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.). Para isto serão obtidos extratos da pitanga, os quais serão encapsulados e posteriormente aplicados em balas diet. Serão avaliados físico quimicamente os extratos e as microcápsulas, e sensorialmente as balas.

Objetivo Geral

Geral
Avaliar o efeito das microcápsulas na qualidade das balas mastigáveis diet de pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.).

Específicos
• Extração e caracterização do extrato quanto aos teores de compostos bioativos;
• Microencapsular extrato de pitanga vermelha utilizando a secagem por atomização (spray drying) e como material de parede goma arábica, maltodextrina e uma mistura de ambos agentes carreadores;
• Caracterizar as micropartículas quanto à eficiência de encapsulação dos compostos fenólicos, dos carotenoides, comportamento térmico, capacidade antioxidante, morfologia, rendimento e propriedades físicas;
• Avaliar o perfil de liberação e estabilidade dos compostos encapsulados durante o armazenamento em condições gastrointestinais in vitro, através da aplicação das micropartículas em balas mastigáveis diet pitanga vermelha (Eugenia uniflora L.).

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE DELLINGHAUSEN BORGES209/04/201831/12/2020
JOSIANE FREITAS CHIM209/04/201831/12/2020
LISIANE PINTANELA VERGARA3009/04/201831/12/2020
RAQUEL MOREIRA OLIVEIRA1201/08/201831/07/2019

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPESR$ 1.500,00

Página gerada em 21/07/2019 12:33:50 (consulta levou 0.057484s)