Nome do Projeto
Avaliação da Qualidade do Pescado Comercializado na Região Sul do Brasil
Ênfase
PESQUISA
Data inicial - Data final
22/12/2018 - 22/12/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos
Resumo
O projeto visa o desenvolvimento de pesquisas na Área de Alimentos do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos utilizando metodologias analíticas específicas para a avaliação da qualidade do pescado comercializado na região Sul do Brasil. A relevância do trabalho se justifica pela importância de controle da qualidade e segurança alimentar nas etapas de comercialização do pescado nos municípios de Pelotas e Rio Grande-RS, Brasil. Nunca houve um momento tão propício, como o que estamos vivendo, para investimentos na atividade pesqueira, visando o incentivo do consumo e produção de pescado com maior segurança alimentar. Em 2012, para estimular o desenvolvimento da cadeia produtiva da pesca e aquicultura, o Governo Federal lançou este plano - 2012-2014, promovendo o aumento da produção de pescado e a geração de emprego e renda, disponibilizando R$ 4,1 bilhões em crédito e investimentos. Neste cenário, a avaliação da qualidade é o elo de ligação entre a produção primária e o mercado consumidor. E, neste sentido, ao se imaginar um produto beneficiado de pescado para ser bem recebido pelo consumidor, o desafio está em superar os desacertos ocorridos no passado com o pescado marinho comercializado in natura, vencer o baixo consumo e o estigma de que o brasileiro não consome o pescado porque é “raro e caro”. A preocupação com uma alimentação saudável tem sido um forte aliado no aumento no consumo de pescado. Esse aumento se deve a medidas que o governo tomou e a conscientização da população uma vez que o pescado é uma excelente fonte de proteínas de alto valor biológico. É importante ressaltar que a atenção dos consumidores está fundamentada na valorização dos atributos nutricionais, vida-útil estendida e suficiente segurança alimentar. No atendimento destas exigências, os comerciantes são obrigados a se a se adaptarem a essas mudanças. Sendo necessário um controle mais rígido que minimizem os efeitos indesejáveis das alterações microbiológicas e físico-químicas, e que garantam a sua segurança. São cuidados nos quais se exponha o mínimo possível o pescado a condições adversas como é o caso da falta de gelo ou a refrigeração que são requisitos mínimos para a correta conservação do pescado.

Objetivo Geral

Geral
O trabalho objetiva avaliar as condições de comercialização de pescado oriundos de indústrias, peixarias e supermercados nos Municípios de Pelotas e Rio Grande - RS, Brasil, visando atender aos padrões preconizados pela legislação brasileira.

Específicos
- Avaliar a qualidade microbiológica e físico-química do pescado coletado nas diferentes estações do ano;
- Avaliar sensorialmente o grau de frescor do pescado;
- As espécies que serão submetidas às análises serão a de maior prevalência e abundância de acordo com a estação do ano;
- Verificação da temperatura interna do pescado no momento da coleta das amostras.


Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE PEIXOTO BASTOS112/11/201519/12/2016
ELIEZER AVILA GANDRA112/11/201519/12/2016
SCARLETT DAMASCENO PINTO122/12/201822/12/2021

Página gerada em 20/11/2019 02:56:26 (consulta levou 0.105319s)