Nome do Projeto
Curso de Boas Práticas para Serviços de Alimentação
Ênfase
Extensão
Data inicial - Data final
04/05/2020 - 04/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Engenharias
Eixo Temático (Principal - Afim)
Tecnologia e Produção / Trabalho
Linha de Extensão
Gestão do trabalho
Resumo
As Boas Práticas de Fabricação (BPF) abrangem um conjunto de medidas que devem ser adotadas pelas indústrias de alimentos e pelos serviços de alimentação, a fim de garantir a qualidade sanitária e a conformidade dos alimentos com os regulamentos técnicos (ANVISA, 2019). Conforme Portaria SES-RS n 78/2009, o responsável pelas atividades de manipulação dos alimentos deve se submeter a Curso de Capacitação em Boas Práticas para Serviços de Alimentação, no mínimo de 16 horas, abordando no mínimo: contaminação de alimentos, doenças transmitidas por alimentos, manipulação higiênica dos alimentos e Boas Práticas. Ainda, também deve submeter-se a atualização através de cursos, palestras, simpósios e demais atividades que se fizerem necessárias, pelo menos anualmente, em temas como: higiene pessoal, manipulação higiênica dos alimentos e doenças transmitidas por alimentos (ambas devem dispor de documento comprobatório no estabelecimento). Dessa forma, este trabalho pretende oportunizar, de forma gratuita, às micro e pequenas empresas, curso de Capacitação em Boas Práticas para Serviços de Alimentação e, assim, auxiliar esses estabelecimentos a adequarem-se a legislação, contribuindo para que se alcance a todos nós, consumidores, alimentos mais seguros.

Objetivo Geral

Oferecer curso de Boas Práticas em Serviços de Alimentação.

Justificativa

A demanda deste trabalho surgiu através de contato de fiscal sanitário da Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul (3ª coordenadoria), com sede em Pelotas-RS, sobre a necessidade de pequenos empresários da cidade de Pelotas e arredores realizarem o curso de Boas Práticas em Serviços de Alimentação. Este curso é exigido pela legislação sanitária e geralmente é oferecido por instituições privadas, o que gera um grande passivo, especialmente quando se trata de micro e pequenas empresas. Além da obrigatoriedade legal, o estabelecimento que tem o responsável pelas atividades de manipulação dos alimentos treinados em Boas Práticas de Fabricação (BPF), confere à população alimentos seguros do ponto de vista sanitário.
O assunto do referido projeto (BPF) tem estreita relação com o Projeto Pedagógico do Curso da Engenharia de Produção uma vez que é uma ferramenta de qualidade usada por empresas do setor alimentício. As ferramentas da qualidade são expressamente abordadas na disciplina de Engenharia de Qualidade 1, lecionada pela mesma professora que coordena o presente projeto. O curso de BPF terá colaboração de professor do Departamento de Ciência e Tecnologia Agroindustrial da FAEM/UFPel, o que potencializa sua qualidade uma vez que são professores com experiência larga na área do curso.
Dessa forma, este projeto tem grande impacto social. Para os empresários, possibilitará o cumprimento da lei e a qualidade dos alimentos do seu estabelecimento; e para a população, que estará consumindo alimentos seguros do ponto de vista sanitário.
Além do impacto social, este projeto tem grande relevância no meio acadêmico, pois o aluno que tiver a oportunidade de participar deste projeto poderá acompanhar as demandas reais do dia a dia dos participantes do curso, e com isso contará com um diferencial em seu currículo.
O público alvo deste projeto serão pequenos serviços de alimentação que realizam atividades como manipulação, preparação, fracionamento, armazenamento, distribuição, transporte, exposição à venda e entrega de alimentos preparados ao consumo, tais como cantinas, bufês, comissarias, confeitarias, cozinhas industriais, cozinhas institucionais, delicatéssens, lanchonetes, padarias, pastelarias, restaurantes, rotisserias e congêneres da cidade de Pelotas-RS e arredores.

Metodologia

Será dada ampla divulgação ao curso de BPF para toda comunidade, com auxílio da SES-RS (3a coordenadoria).
O curso pretende ser realizado em período de recesso acadêmico para disponibilidade de espaço físico.
Pretende-se disponibilizar em torno de 20 vagas.
Este projeto será executado em conjunto com professores do Departamento de Ciência e Tecnologia Agroindustrial da FAEM/UFPel.
O curso, com duração de 16 horas, pretende abordar os assuntos obrigatórios constantes na Portaria SES-RS n 78/2009: contaminação de alimentos, doenças transmitidas por alimentos, manipulação higiênica dos alimentos e Boas Práticas.

Indicadores, Metas e Resultados

Como indicador, será utilizado um questionário a ser entregue aos participantes com questoes que pretendem avaliar a qualidade e clareza das informacões, impacto social que consideram que o curso teve, sugestões de melhorias para as próximas edições.
Meta: auxiliar pequenos microempresarios a adequarem-se a legislacao sanitaria e conferir alimentos seguros à população.
Os resultados esperados são alimentos mais seguros do ponto de vista sanitário à população de Pelotas-RS e arredores.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
CAROLINE MARTIRENA MONKS DA SILVA
GINIANI CARLA DORS12
LUIS ANTONIO DOS SANTOS FRANZ3
NATHAN LEVIEN VANIER2
OTÁVIO AFONSO BITENCOURT
RENATA HEIDTMANN BEMVENUTI5
THABATA BIERHALS HARTWIG

Página gerada em 30/11/2020 21:16:53 (consulta levou 0.114631s)