Nome do Projeto
A escuta terapêutica como instrumento de cuidado e acolhimento no contexto da pandemia do novo coronavírus COVID-19 (PESQUISA)
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
22/04/2020 - 22/04/2021
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências da Saúde
Resumo
Introdução: A pandemia do novo coronavírus COVID-19 tem trazido muitos desafios, dentre eles a necessidade de cuidado e suporte em saúde mental dos profissionais de saúde, assim como da comunidade em geral. Objetivo geral: Conhecer a contribuição de uma estratégia de cuidado em saúde mental online para profissionais de saúde e comunidade em geral. Metodologia: Trata-se de um estudo misto quanti-qualitativo. A etapa quantitativa será desenvolvida através de um estudo descritivo e se utilizará dados secundários dos registros dos atendimentos em prontuários de usuários do canal de escuta terapêutica num estudo censitário, a partir de um instrumento previamente elaborado para captar informações do perfil sociodemográfico dos usuários, necessidades de saúde mental, diagnósticos de enfermagem em saúde mental e intervenções. Na etapa qualitativa do estudo será desenvolvida também a partir da análise documental, porém nesta etapa a partir do conteúdo qualitativo dos registros feitos durante o atendimento no chat Conta Comigo: o cuidado que nos aproxima. Os princípios éticos serão respeitados em conformidade com o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem de 2017, e também de acordo com a Resolução 466/2012. Resultados esperados: O presente projeto de pesquisa está inserido nas ações de enfrentamento e de combate à pandemia do novo coronavírus COVID-19, objetivando investigar um espaço virtual (online) de cuidado e acolhimento. Espera-se que por meio desta pesquisa, se possa contribuir para o fortalecimento de ações em saúde mental online, espaço no qual os usuários podem encontrar suporte e apoio em saúde mental, podendo expressar suas angústias, medos, ansiedades e tristezas, tendo a retaguarda de profissionais treinados e capacitados.

Objetivo Geral

Conhecer a contribuição de uma estratégia de cuidado em saúde mental online para profissionais de saúde e comunidade em geral.

Justificativa

A situação atual que a sociedade está vivendo com a pandemia do novo coronavírus COVID-19 é muito desafiadora. A nova pneumonia começou em Wuhan na China em dezembro de 2019 e se espalhou rapidamente pelo mundo em início de 2020 (QUI et al, 2020) . Em 29 de março de 2020, a Organização Mundial da Saúde relatou 634.835 casos confirmados de COVID-19 e 29.957 mortes pela doença no mundo, sendo que 63.159 casos novos e 3.464 mortes foram identificadas nas 24 horas anteriores, sendo que nos dois dias anteriores, houve um aumento aproximado a 40.000 casos por dia, enquanto o número de mortes subiu de cerca de 1.700 para 2.400 por dia no mesmo período (YU et al, 2020).
Os autores Lauer et al (2020) tem indicado que esta doença altamente contagiosa e letal tem um período médio de incubação foi estimado em 5,1 dias e que 97,5% daqueles que desenvolvem os sintomas o farão em 11,5 dias (8,2 a 15,6 dias) de infecção. Apesar da mortalidade não ter se mantido constante, Roser, Ritchie, Ortiz-Ospina (2020) indicam que até o dia 15 de março, a taxa de letalidade no mundo era de cerca de 3,5%. Segundo Hassan (2020), os dados preliminares apresentados por Cascella et al (2020) sugerem que a taxa de mortalidade relatada varia de 1% a 2%, dependendo do estudo e do país e que a maioria das mortes ocorreram em pacientes com mais de 50 anos de idade
Qiu et al (2020) conduziram o primeiro estudo de grande escala nacional de levantamento do sofrimento em saúde mental na população geral da China durante este período da epidemia da COVID-19. O estudo incluiu dados demográficos, frequência de ansiedade, depressão, fobias específicas, alteração cognitiva, evitação, comportamento compulsivo, sintomas físicos e perda de funcionamento social. O estudo recebeu um total de 52.730 questionários válidos de 36 províncias da China. Entre os entrevistados, 18.599 eram do sexo masculino (35,27%) e 34.131 mulheres (64,73%). Da amostra, quase 35% dos entrevistados apresentaram sintomas de angústia, maior entre as mulheres e em pessoas com mais de 60 anos que se apresentaram mais vulneráveis a desenvolver estresse pós-traumático.
Algumas estratégias de cuidado em saúde mental utilizadas no surto de SARS podem ser úteis para a resposta a COVID-19, entre elas foram ofertados serviços seguros criados para fornecer aconselhamento usando dispositivos e aplicativos eletrônicos para pacientes contaminados e suas famílias, bem como aos profissionais de saúde que devem ser acompanhados regularmente em relação a sintomas de depressão, ansiedade, e risco de suicídio (2020).
O termo “Saúde Mental e Apoio Psicossocial” (SMAPS) é utilizado pelas Diretrizes do Comitê Permanente Interagências (IASC, 2020) sobre Saúde Mental e Apoio Psicossocial em Emergências Humanitárias e serve para descrever ‘todo tipo de apoio local ou externo cujo objetivo seja proteger ou promover o bem estar psicossocial e/ou prevenir ou tratar condições de saúde mental´. O sistema humanitário global utiliza o termo SMAPS para reunir atores que atuam em emergências como o surto da COVID-19, incluindo aqueles que adotam abordagens biológicas e abordagens socioculturais na saúde, assistência social, educação e comunidade na busca de fornecer apoio adequado.
As diretrizes do IASC (2020) sobre Saúde Mental e Apoio Psicossocial em Emergências Humanitárias recomendam um sistema em níveis de apoio de saúde mental e em atendimento às necessidades psicossociais complementares integrados às atividades de respostas ao surto, conforme a pirâmide de intervenções. Considerando a necessidade de desenvolver estudos que possam oferecer conhecimento prático para o enfrentamento das questões de saúde mental no contexto da pandemia da COVID-19 propomos a presente pesquisa.
Neste sentido, este projeto de pesquisa tem a seguinte questão norteadora: Qual a contribuição de uma estratégia de cuidado em saúde mental online para profissionais de saúde e comunidade em geral?

Metodologia

Tipo de estudo:
Trata-se de um estudo misto quanti-qualitativo.
Os métodos mistos de pesquisa consistem numa alternativa para as pesquisas na área das ciências sociais e da saúde, e englobam abordagens quantitativa e qualitativas em torno de um objeto de pesquisa. Como aspectos fundamentais na utilização dos métodos mistos temos a análise de dados quantitativos e qualitativos; a combinação das duas formas de dados; a integração dos procedimentos no mesmo estudo. (CRESWELL, CLARK, 2013).
Nesta pesquisa a etapa quantitativa será desenvolvida através de um estudo descritivo e se utilizará dados secundários dos registros dos atendimentos em prontuários de usuários do canal de escuta terapêutica num estudo censitário, a partir de um instrumento (APÊNDICE A) previamente elaborado para captar informações do perfil sociodemográfico dos usuários, necessidades de saúde mental, diagnósticos de enfermagem em saúde mental e intervenções.
Trata-se de uma pesquisa documental, fonte de coleta de dados primária restrita a documentos, podendo ser feita no momento em que o fato ou fenômeno ocorre ou depois (MARCONI; LAKATOS, 2010). Os dados serão coletados aplicação de um questionário com questões abertas sobre dados dos registros do atendimento no site.
Na etapa qualitativa do estudo será desenvolvida também a partir da análise documental, porém nesta etapa a partir do conteúdo qualitativo dos registros feitos durante o atendimento no chat Conta Comigo: o cuidado que nos aproxima.
Os registros serão digitados na íntegra e organizados num banco de dados no programa Excel e salvos em documentos individuais em formato PDF para então serem inseridas no programa MAXQDA – The Art of Data Analysis, versão 2018.2 (programa utilizado para análise de dados qualitativos). Após leitura exaustiva do material, os conteúdos serão classificados por temáticas no programa de análise MAXQDA e agrupados os respectivos fragmentos, então separados com as anotações referentes a descrição detalhada sobre o fenômeno e distribuídos nas categorias analíticas.
A pesquisa qualitativa é um determinante que contempla não somente o sistema de relações que estabelece o modo de conhecimento externo ao sujeito, mas também as representações sociais — as vivências das relações objetivas dos atores sociais — que lhe atribuem significados. (MINAYO, 2010).
O estudo misto permitirá que a integração dos dados descritivos quantitativos subsidiem os elementos de análise qualitativa, integrando-se o processo de coleta de dados e fazendo com que os resultados dialoguem entre si, ampliando a possibilidade de leitura do fenômeno estudado.

Local do estudo:
O presente estudo irá analisar os prontuários arquivados, que foram elaborados a partir dos atendimentos realizados no Canal Conta comigo: o cuidado que nos aproxima (https://www.gruposaudemental.com/chat).

Participantes do estudo:
Usuários que acessaram o “Canal Conta comigo: o cuidado que nos aproxima” para atendimento online. Serão utilizados os prontuários destes usuários.

Critérios de inclusão:
Todos os prontuários que foram elaborados a partir dos atendimentos online.

Critérios de exclusão:
Atendimentos que não foram concluídos.

Princípios éticos:
Os princípios éticos serão respeitados em conformidade com o Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem de 2017 , do capítulo III, artigos 95-98 os quais expõem as proibições; e também de acordo com a Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde, do Ministério da Saúde (BRASIL, 2012).
Primeiramente será solicitada carta de anuência da Faculdade de Enfermagem, na qual o projeto de extensão do Canal conta comigo – o cuidado que nos aproxima está vinculado (APÊNDICE B) e da líder do Grupo de Pesquisa Enfermagem, Saúde Mental e Saúde Coletiva CNPq, no qual o site é vinculado (APÊNDICE C).
Posteriormente o projeto de pesquisa será encaminhado à Plataforma Brasil, para análise ética no Comitê de Ética em Pesquisa da UFPel, e somente após aprovação do CEP a coleta de dados nos prontuários será iniciada.
Para que seja assegurado o direito do anonimato dos participantes, os mesmos terão acesso e assinarão o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) (APÊNDICE D) que será disponibilizado por email àqueles que tiveram atendimento no canal, anteriormente a aprovação do projeto de pesquisa pelo CEP. Após a aprovação do CEP, o TCLE será disponibilizado na página inicial do chat, antes de iniciar o atendimento.
Neste momento, antes de os usuários ingressarem no canal de atendimento, eles aceitam receber a consulta no “Termo de consentimento de consulta do paciente” (ANEXO A), o qual está previsto na Resolução COFEN Nº 634/2020, que autoriza e normatiza a Teleconsulta em enfermagem como forma de combate à pandemia causada pelo novo coronavírus. O termo pode ser acessado no seguinte link: https://www.gruposaudemental.com/chat.
Para os atendimentos serão utilizados os softwares Talk.to para o atendimento por meio de mensagens escritas, e o aplicativo Where by, para utilização de áudio ou vídeo. Ambos preveem o sigilo e privacidade do atendimento, seguindo as normativas profissionais.
Cabe ressaltar que após cada atendimento o profissional irá registrá-lo em prontuário eletrônico (documento em word, que ficará armazenado com sigilo), seguindo os pressupostos do Processo de Enfermagem e da Sistematização da Assistência de Enfermagem.
O canal de escuta terapêutica conta com uma equipe de saúde mental composta por profissionais graduados na área, e com ampla experiência em atendimentos no contexto da atenção psicossocial.
Ainda assim, estão previstas ações contínuas de capacitação desta equipe, com as principais diretrizes de atenção em saúde mental, principalmente voltadas ao contexto da pandemia do novo coronavírus, e seus desafios.
Estão previstos momentos de supervisão e discussão dos atendimentos, sempre resguardando o anonimato da identidade dos usuários, em pequenos grupos, com um profissional responsável pela condução da atividade.
Os dados obtidos na coleta de dados, devidamente codificados, ocultando a identidade dos participantes, serão armazenados por um período de cinco anos, na sala da pesquisadora responsável, a qual é localizada na Faculdade de Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Após esse período o material será incinerado, e os documentos digitais serão deletados do computador.
A fim de manter o sigilo e anonimato dos participantes, os mesmos serão identificados pela letra “P” de participante, seguido pela ordem numérica da realização dos atendimentos, como por exemplo: primeiro prontuário (P1).

Riscos:
O presente estudo não desencadeará riscos físicos, pelo fato de que não será realizado nenhum procedimento invasivo, nem coleta de material biológico ou experimento com seres humanos. Como se trata de uma pesquisa em prontuários, de atendimentos já realizados, nos quais não serão feitos nenhum questionamento sobre a pesquisa, tem-se o risco pelo manejo de dados dos prontuários, os quais serão respeitados e tratados com sigilo de acordo com a Resolução 466/2012 (BRASIL, 2012).

Benefícios:
O presente estudo apresenta benefícios aos participantes, pois possibilitará um espaço de escuta terapêutica online e gratuita, com profissionais experientes e capacitados, no contexto de pandemia do novo coronavírus.
Este estudo também possibilitará a reflexão sobre o cuidado em saúde mental à distância, em contextos específicos, como o atual. E ainda, possibilitará a implementação de novas práticas em saúde mental nesse contexto. Adicionalmente, haverá possibilidade de ampliar a experiências de profissionais da área de saúde mental no atendimento online.

Coleta de dados:

Será realizada a codificação dos prontuários em um instrumento específico (APÊNDICE A), a fim de preservar o sigilo e anonimato da identidade do participante.


Análise dos dados:

Para os dados quantitativos, de perfil sociodemográfico, será utilizada uma planilha em Excel, pois se trata de um estudo descritivo, que não fará comparações ou análises quantitativas específicas.
E para os dados qualitativos, será utilizado programa MAXQDA – The Art of Data Analysis, versão 2018.2 (programa utilizado para análise de dados qualitativos) e as interpretações serão orientadas por Minayo (2010), que ressalta a importância de se explorar os núcleos de sentido que constituem a comunicação, e cuja presença signifique algo para o objeto analítico visado.

Divulgação dos resultados:

Os resultados serão divulgados por meio de um relatório que será apresentado na Faculdade de Enfermagem. Também serão apresentados em eventos científicos e publicações em periódicos. Ao final da análise dos dados, será encaminhado aos participantes do estudo, por email, um folder com os principais resultados, em linguagem acessível. Este mesmo material será divulgado também no site do grupo de pesquisa.

Indicadores, Metas e Resultados

O presente projeto de pesquisa está inserido nas ações de enfrentamento e de combate à pandemia do novo coronavírus COVID-19, objetivando possibilitar um espaço virtual (online) de cuidado e acolhimento para profissionais da saúde e comunidade em geral.
Espera-se que por meio desta pesquisa, se possa contribuir para o fortalecimento de ações em saúde mental online, espaço no qual os usuários podem encontrar suporte e apoio em saúde mental, podendo expressar suas angústias, medos, ansiedades e tristezas, tendo a retaguarda de profissionais treinados e capacitados.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ARIANE DA CRUZ GUEDES4
BIANCA ALBUQUERQUE GONÇALVES
CARLA GABRIELA WÜNSCH
CARMEN TEREZINHA LEAL ARGILES
CELIA SCAPIN DUARTE2
CESAR BRASIL SPERB
DENYAN ALVES SILVEIRA
DUILIA SEDRÊS CARVALHO LEMOS
ELLEN CRISTINA RICCI2
ETIENE SILVEIRA DE MENEZES
GABRIELA LOBATO DE SOUZA
GUSTAVO PACHON CAVADA
IZAMIR DUARTE DE FARIAS
JANAINA QUINZEN WILLRICH2
JOSIANE DA COSTA MOREIRA
LARISSA DALL AGNOL DA SILVA2
LARISSA SILVA DE BORBA
LILIAN CRUZ SOUTO DE OLIVEIRA SPERB
LUANA RIBEIRO BORGES
LUCIANE PRADO KANTORSKI2
LUIZA HENCES DOS SANTOS
MARIA CAROLINA PINHEIRO MEIRELLES
MARTA SOLANGE STREICHER JANELLI DA SILVA2
MEIRIDIANE DOMINGUES DE DEUS
MICHELE MANDAGARA DE OLIVEIRA2
MILENA HOHMANN ANTONACCI2
MILENA OLIVEIRA DO ESPIRITO SANTO
PAULA SHAKIRA ARAUJO PEREIRA
POLIANA FARIAS ALVES
PRISCILLA DOS SANTOS DA SILVA
THYLIA TEIXEIRA SOUZA
VALERIA CRISTINA CHRISTELLO COIMBRA2

Página gerada em 05/12/2020 12:47:30 (consulta levou 0.176778s)