Nome do Projeto
Resistência a antimicrobianos em bactérias provenientes da cadeia produtiva de alimentos
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
01/07/2020 - 30/06/2023
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
A crescente emergência de isolados resistentes a agentes antimicrobianos é uma das principais ameaças à saúde pública no mundo. As cadeias de produção de alimentos de origem animal, principalmente suínos e aves, passaram por uma grande modernização nas últimas décadas, intensificando o uso de antimicrobianos na produção animal. Existem evidencias científicas de que uso terapêutico inadequado e o fornecimento de antimicrobianos na alimentação animal cria uma pressão seletiva sobre os micro-organismos, levando a emergência de cepas resistentes. O isolamento de bactérias multirresistentes têm sido evidenciado em uma diversidade de animais de produção, ambientes de processamento, alimentos de origem animal e casos clínicos ao redor do mundo. Muitos estudos demonstram que é comum a ocorrência de transmissão de bactérias resistentes de animais domésticos e/ou seus produtos para humanos. Objetiva-se, com o presente projeto, desenvolver ações de ensino e pesquisa na área de resistência, caracterizando o potencial das cadeias produtivas de alimentos em disseminar bactérias resistentes. Os principais membros da família Enterobacteriaceae encontrados em alimentos, Salmonella enterica e Escherichia coli, serão investigados na região sul do Brasil a partir de amostras de animais, alimentos, ambiente de processamento e humanos. Os isolados bacterianos serão submetidos ao teste de susceptibilidade frente a diferentes classes de agentes antimicrobianos e os genes de resistência serão investigados pela técnica de PCR. Será conduzida a caracterização de elementos genéticos como transposons, sequências de inserção e plasmídeos de resistência, bem como sua capacidade de transferência por conjugação. Os perfis genéticos serão determinados pela técnica de PFGE e sequenciamento completo do genoma de isolados multirresistentes. Ao final do projeto, a contribuição de cada etapa da cadeia produtiva de alimentos na disseminação de bactérias resistentes a antimicrobianos poderá ser determinada, permitindo a definição de estratégias para o seu controle contemplando uma abordagem em "Saúde Única" ("One Health").

Objetivo Geral

Desenvolver estudos na área de resistência a antimicrobianos na cadeia produtiva de alimentos, através do monitoramento da resistência em isolados bacterianos membros da família Enterobacteriaceae provenientes de animais de produção (bovinos, suínos e aves), ambiente de processamento, alimentos e humanos, e através da caracterização de mecanismos emergentes conferindo resistência.

Justificativa

Atualmente é aceito o fato de que o desenvolvimento e o uso de um novo agente antimicrobiano são seguidos, cedo ou tarde, pela ocorrência de bactérias que exibem resistência àquele agente antimicrobiano. A disseminação de bactérias resistentes e de genes de resistência ilustra claramente como humanos, animais e ambiente estão conectados, o que levou ao surgimento do conceito de “Saúde Única” (“One Health” principle). Bactérias presentes em animais de produção têm um importante papel porque estão na interface entre saúde humana e saúde animal, bem como na nutrição humana. Ao longo da cadeia produtiva de alimentos, os agentes antimicrobianos são utilizados nas propriedades rurais para controlar infecções bacterianas. Mesmo que sejam utilizados de forma prudente e criteriosa, o uso gera uma pressão seletiva sob a qual as bactérias resistentes podem se desenvolver e disseminar. As bactérias resistentes presentes em animais de produção podem também contaminar suas carcaças durante o abate e entrar na cadeia produtiva de alimentos, chegando ao consumidor final. Para auxiliar no controle deste problema, maior ênfase deve ser dada a pesquisas voltadas para identificação de genes de resistência emergentes, elementos genéticos móveis e os modos de disseminação desses elementos. Compreender os mecanismos de resistência e conhecer as condições de transferência horizontal de genes são passos importantes para desenvolver meios e maneiras de inibir a disseminação da resistência.
O Laboratório de Microbiologia de Alimentos do Departamento de Ciência e Tecnologia Agroindustrial (DCTA) desenvolve estudos na área de Ciência e Tecnologia de Alimentos, com ênfase em Microbiologia há mais de 15 anos. Nesse período, diversos estudos visando o isolamento e identificação de Salmonella enterica e Escherichia coli em abatedouros de aves, suínos e bovinos foram concluídos ou estão em andamento. Além disso, o Laboratório de Microbiologia de Alimentos conta com a prestação de serviços, realizando análises microbiológicas em alimentos. A rotina laboratorial também gera uma coleção de isolados bacterianos que podem ser avaliados quanto à resistência. Através do projeto unificado, estudos serão conduzidos com o objetivo de monitorar a resistência de bactérias provenientes de animais de produção, ambiente, alimentos e humanos, bem como caracterizar os mecanismos de resistência emergentes. O projeto também prevê a avaliação da tolerância a sanitizantes e mecanismos genéticos envolvidos. Adicionalmente, serão testadas novas substâncias antimicrobianas, como extratos de frutas nativas e óleos essenciais, contra os micro-organismos resistentes, prospectando o desenvolvimento de novas drogas. Assim, poderão ser desenvolvidos vários trabalhos de iniciação científica, conclusão de curso, dissertações e teses.

Metodologia

Cada ação de pesquisa e de ensino tem metodologia específica.

Indicadores, Metas e Resultados

INDICADORES: número e fator de impacto das publicações científicas; número e pessoas atingidas nos cursos e treinamentos; número de estudantes orientados na graduação e na pós-graduação.
METAS: realização anual de dois projetos de pesquisa, um projeto de ensino e cursos, treinamentos e/ou outros eventos.
RESULTADOS ESPERADOS: a execução do projeto permitirá o treinamento altamente qualificado de estudantes de graduação e pós-graduação. Esses treinamentos formarão profissionais qualificados e especializados no tema “resistência a antimicrobianos”, que contribuirão para a definição de ações e alternativas para esse problema.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ANGELA MARIA FIORENTINI1
GRACIELA VÖLZ LOPES8
ISABELA SCHNEID KRÖNING
LOUISE HAUBERT
PÂMELA INCHAUSPE CORRÊA ALVES
WLADIMIR PADILHA DA SILVA2

Fontes Financiadoras

Sigla / NomeValorAdministrador
CAPES / Coordenação de Aperfeiçoamento de Nível SuperiorR$ 3.000,00Coordenador

Página gerada em 28/11/2021 15:03:26 (consulta levou 0.101212s)