Nome do Projeto
Saccharomyces cerevisiae pode auxiliar na manutenção da saúde ruminal em situações de mudanças bruscas de dieta?
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
15/05/2020 - 15/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
A troca brusca da dieta é uma prática comum em fazendas de criação de ruminantes. Entretanto, esta ação pode acarretar em diversos transtornos para os animais, tais como o desequilíbrio dos microrganismos ruminais e problemas metabólicas, como a acidose ruminal subclínica. Esta enfermidade, causada por uma elevada ingestão de carboidratos, com consequente aumento da produção de ácido lático, é responsável por altas taxas de mortalidade nas propriedades e perdas econômicas significativas. Com base nisso, diversos aditivos têm sido pesquisados para atuar na regulação dos parâmetros ruminais, com o objetivo de intensificar a atividade microbiana e aumentar a eficiência digestiva destes animais. Dentre eles, destaca-se a levedura Saccharomyces cerevisiae, que favorece o consumo de oxigênio presente no rúmen, estimulando o crescimento de bactérias benéficas, como as consumidoras de ácido lático e fibrolíticas. Com isso, o ambiente ruminal se torna mais favorável aos microrganismos, permitindo uma redução do risco de doenças metabólicas, melhora a degradação da dieta e aumento do desempenho produtivo do animal. Dessa forma, o presente estudo busca avaliar os efeitos da suplementação com Saccharomyces cerevisiae sobre a estabilidade ruminal e sanidade animal durante trocas bruscas de dietas.

Objetivo Geral

Avaliar os efeitos da suplementação com a levedura viva de Saccharomyces cerevisiae e hidrolisada na manutenção da estabilidade ruminal e sanidade animal durante trocas bruscas de dietas

Justificativa

Em produção de ruminantes, o fornecimento de dietas com alto teor de energia, sem a necessária adaptação ruminal, tem aumentado o risco de doenças metabólicas por alteração do equilíbrio da população microbiana e de suas atividades. A suplementação com leveduras favorece o crescimento de microrganismos ruminais, o que permite reduzir o risco destas enfermidades e otimizar o desempenho produtivo do animal. Sendo assim, este estudo busca avaliar a capacidade de suplementos contendo a levedura Saccharomyces cerevisiae em manter a estabilidade ruminal em situações de trocas bruscas de dieta. Para isso, vinte e sete animais, divididos em dois grupos tratamento e um controle, serão mantidos em confinamento, por um período de trinta dias, onde passarão por um período de adaptação, seguido por trocas de dieta a cada cinco dias, alterando entre o fornecimento de concentrado:volumoso e feno de gramínea. Durante este período, serão realizadas coletas de sangue para avaliação de parâmetros bioquímicos relacionados com o sistema imune, hepático e energético. Além disso, será realizada coleta de líquido ruminal para análise dos aspectos físicos, químicos e biológicos, e avaliação dos índices zootécnicos das ovelhas.

Metodologia

Instalações
O estudo será realizado na Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), no município de Capão do Leão, localizado no sul do Rio Grande do Sul, sobre as coordenadas geográficas 31º 52‘ S, 52º 21‘ E.
Recursos Humanos
Tanto para a condução dos procedimentos experimentais quanto para a análise técnica dos resultados, estará disponível toda a equipe do NUPEEC, composta por professores doutores em Veterinária, Zootecnia, Biotecnologia e Farmácia, além de médicos veterinários, zootecnistas, biotecnologistas, biólogos e farmacêuticos que realizam pós-graduação (mestrado e doutorado) junto à equipe e pesquisadores vinculados ao Núcleo de Pesquisa, Ensino Extensão em Pecuária (NUPEEC). Todos os integrantes da equipe, bem com os trabalhos realizados, podem ser conhecidos através do site www.ufpel.edu.br/nupeec.
Animais e manejo
O estudo será realizado com dois produtos comerciais contendo a levedura da espécie Saccharomyces cerevisiae: Florasac (Aleris, Brasil), contendo a levedura vida, que auxilia na digestibilidade de fibras, controle de oxigênio e pH; e o Sinergis (Aleris, Brasil), contendo levedura de alta digestibilidade, β-glucano, MOS e nucleotídeos, que auxilia na imunidade e no crescimento do animal. Para isso, serão utilizadas ovelhas mestiças das raças Texel e Corriedale, as quais serão mantidas durante todo o experimento em local coberto, estando 3 animais por baia. O delineamento experimental será o delineamento inteiramente casualizado (DIC), utilizando 27 animais divididos em três grupos: Grupo Florasac (GF, n=9), Grupo Sinergis (GS, n=9) e Grupo Controle (GC, n=9).
A dieta será fornecida nos cochos, duas vezes ao dia, pela manhã (às 8h30min) e pela tarde (às 16h30min), com água ad libitum. Os animais passarão por um período de adaptação de 10 dias, onde receberão feno de gramínea e o produto comercial referente a cada grupo. Posteriormente, será realizada uma troca de dieta a cada 5 dias, alternando entre o fornecimento de feno e de farelo de trigo e silagem (concentrado:volumoso, na proporção 60:40). Ademais, as ovelhas dos grupos tratamento receberão a levedura, uma vez ao dia, antes da primeira refeição.
Coletas de sangue para análises bioquímicas
Serão realizadas coletas de sangue por punção da veia jugular utilizando sistema Vacutainer (BD diagnostics, SP, Brasil) nos dias 1, 10, 15, 20, 25 e 30, totalizando 6 coletas por animal. As amostras de sangue serão coletadas em três tubos: um com fluoreto de sódio (4mL Vacuplast® -
Page 6 of 16 Zhejiang, China) para obtenção de plasma para avaliar os níveis de glicose; outro com ácido etilenodiaminotetracético (EDTA) (4,5mL Vacuplast® - Shandong, China) para realizar análises de hemograma completo; e, outro com sílica (ativador de coágulo) (5mL Vacuplast® - Shandong, China) para obtenção do soro e realização das análises bioquímicas.
A determinação dos teores séricos de ureia, albumina, proteínas totais, gama glutamil transferase (GGT), ácidos graxos não-esterificados (AGNE), aspartato aminotransferase (AST), triacilgliceróis (TAG), cálcio, magnésio, sódio e potássio, ocorrerá a partir das amostras de soro. Sendo que, a leitura destas será realizada em analisador bioquímico automático Labmax Plenno (Labtest, MG, Brasil).
A aferição da concentração de haptoglobina será realizada utilizando o método colorimétrico descrito por Jones & Mould (1984), adaptado por Schneider et al. (2013). Para avaliar a atividade da paraoxanase será utilizado o protocolo descrito por Browne et al. (2007).
Coletas de líquido ruminal
As coletas do líquido ruminal serão realizadas nos mesmos dias das coletas de sangue, sendo realizadas 1 hora após a alimentação no turno da manhã com o auxílio de uma sonda ruminal fixada cirurgicamente. A análise deste fluído será feita logo após a coleta, avaliando-se os aspectos físicos (odor, cor, consistência), químicos (pH, redução de azul de metileno) e biológicos (contagem de bactérias e protozoários). Será realizada avaliação morfo-tintorial das bactérias pelo método de Gram e os protozoários serão avaliados quanto à densidade, motilidade e a proporção entre vivos e mortos.
Avaliação zootécnica
Será realizada a pesagem nos dias 1, 10, 15, 20, 25 e 30 de ambos os períodos, para avaliar o ganho de peso dos animais. Além disso, será realizado o escore de condição corporal (ECC) no primeiro e último dia do experimento.
Análise bromatológica
Serão realizadas análises bromatológicas de todos os componentes da dieta, para determinar os teores de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra bruta (FB), extrato etéreo (EE) e matéria mineral (MM). Para análises da fibra detergente neutro (FDN) e fibra detergente ácido (FDA) será empregada a metodologia proposta por Van Soest et al., 1991.
Análises nutricionais
Durante todo o primeiro e segundo período, os animais terão suas dietas e sobras, pesadas diariamente em balança digital, para analisar o consumo de matéria seca (CMS) dos dois tipos de dietas.

Indicadores, Metas e Resultados

Será possível observar a atuação dos aditivos na manipulação dos parâmetros ruminais, na busca de intensificação da atividade microbiana e, consequentemente, do aumento da eficiência digestiva e da sanidade dos animais. Como resultados esperados, espera-se produzir trabalhos científicos de qualidade que posteriormente serão submetidos e publicados em revistas científicas da área.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE DALLA COSTA DE MATOS
ALEXANDRE MARTINS DE LIMA
ALICIA CHAFADO FRANCO
ANA PAULA PROENCA TIMM
ANDREZA EBERSOL DOS ANJOS
ANTÔNIO AMARAL BARBOSA
Ana Luiza Kalb
BERNARDO DA SILVA MENEZES
BRUNA EMANUELE DA SILVA VELASQUEZ
BRUNA MURADÁS ESPERON
BRUNO AUGUSTO OSTERKAMP BLOEMKER
CAMILA PIZONI
CARLA AUGUSTA SASSI DA COSTA GARCIA
CAROLAINE GARCIA DE MATTOS
CASSIO CASSAL BRAUNER1
CRISTIAN CAIO COFFERRI
CRISTIANE AMANDA DE OLIVEIRA
DIANE RAMIRES DAS NEVES
DIEGO RODRIGUES SARAIVA
EDERSON DOS SANTOS
EDGARD GONÇALVES MALAGUEZ
EDUARDO GULARTE XAVIER
EDUARDO SCHMITT1
ELIZA ROSSI KOMNINOU1
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO1
GABRIELA BUENO LUZ
GILSON SANTOS DA SILVA
GUSTAVO FELIPE DA SILVA SOUSA
JAQUELINE GEHLING FISCHER
JOAO ALVEIRO ALVARADO RINCON
JORDANI BORGES CARDOSO
JOSIANE DE OLIVEIRA FEIJÓ
JULIANO PERES PRIETSCH
JÉSSICA HALFEN
KAREN CRUZ FREITAS
LAURA VALADÃO VIEIRA
LEONARDO MARINS
LETICIA ALVES MARTINS DUARTE
LILIANE HACKBARTH KUTTER
LIZANDRO DOS SANTOS LOPES
LUANA LEMES MENDES
LUCAS CARDOZO DA SILVA
LUDGERO REHERMANN LOUREIRO DA SILVA
LUIZA EISENHARDT
MAGNA FABRÍCIA BRASIL SAVELA
MARCIO NUNES CORREA1
MARIA CAROLINA NARVAL DE ARAUJO
MARINA DE MATTOS PETERSON
MATHEUS GOMES LOPES
MATHEUS WREGE MEIRELES BARBOSA
MICHELLE DE ALMEIDA OLLÉ
MILENE LOPES DOS SANTOS
MURILO SCALCON NICOLA
MURYLLO BOTELHO MEDEIROS
Michelle da Luz Munhoz
NATÁLIA MACHADO RAHAL
NICHOLAS DA SILVEIRA DA SILVA
RAFAEL SILVEIRA DA SILVA
RAIANE DE MOURA DA ROSA
RITIELI DOS SANTOS TEIXEIRA
RODRIGO FONSECA DA FONSECA
THAÍS CASARIN DA SILVA
Taís Isabele Corrêa
URIEL SECCO LONDERO
VANESSA DA SILVEIRA PEREIRA
VINICIUS DE SOUZA IZQUIERDO
VIVIANE ROHRIG RABASSA1
WESLEY SILVA DA ROSA
YANCA NUNES WELTER

Página gerada em 25/10/2020 02:42:28 (consulta levou 0.199244s)