Nome do Projeto
Observação da alteração no perfil da população de protozoários do rúmen de ovinos confinados submetidos a diferentes ofertas alimentares de concentrados.
Ênfase
Pesquisa
Data inicial - Data final
17/05/2020 - 17/05/2022
Unidade de Origem
Coordenador Atual
Área CNPq
Ciências Agrárias
Resumo
Com o objetivo de aumentar a taxa de desfrute dos sistemas, através do maior ajuste de carga e ou da intensificação alimentar, cada vez mais os confinamentos apresentam-se como uma alternativa viável na produção de ruminantes no estado do Rio Grande do Sul. Deste modo, uma opção importante, devido ao fato do Rio Grande do Sul ser um dos maiores produtores de vinho do Brasil, são os coprodutos oriundos desta produção. Estes subprodutos são responsáveis por um grande volume de material que pode ser utilizado como alimento animal, colaborando tanto para a nutrição dos mesmos como colaborando com um destino menos impactante ao ambiente do que seus outros destinos prováveis (MONTEIRO et al., 2014), auxiliando ainda com a diminuição dos custos de produção por ser um produto de baixo custo de comercialização. Assim, este estudo objetiva avaliar a alteração no perfil da população de protozoários do rúmen de ovinos confinados submetidos a diferentes ofertas alimentares de concentrados. Serão utilizadas 15 borregas, sem raça definida, com 13 meses de idade, contemporâneas, divididas em três grupos experimentais. Cada grupo será composto de cinco animais, distribuídos aleatoriamente, entre o grupo controle, tratamento 1 e tratamento 2. Cada grupo receberá diferentes níveis de concentrado ao longo do experimento. Será coletado líquido ruminal posterior à alimentação no turno da manhã em intervalos de sete dias por um período de 35 dias,totalizando seis (06) coletas. O líquido ruminal será coletado através de sonda oro-ruminal e o conteúdo armazenado em frascos estéreis para realização imediata dos testes de sedimentação e flutuação, redução do azul de metileno e pH ruminal. Para a realização da prova de sedimentação e flutuação, serão administrados 10 mL de fluido ruminal em tubos cônicos tipo Falcon. O pH ruminal será determinado com um potenciômetro portátil, conforme metodologia proposta por LIMAet al., (2012). A técnica de quantificação dos protozoários ruminais será baseada na metodologia descrita por DEHORITY, (1977).

Objetivo Geral

Avaliar a alteração no perfil da população de protozoários do rúmen de ovinos confinados submetidos a diferentes ofertas alimentares de concentrado

Justificativa

Devido ao fato do Rio Grande do Sul sero principal responsável pela produçãode vinho do Brasil, são os coprodutos oriundos dessa fabricação. Estes subprodutos são responsáveis por um grande volume de material que pode ser utilizado como alimento animal, colaborando tanto para a nutrição dos mesmos,além de buscarum destino menos impactante ao ambiente do que seus outros caminhos prováveis (MONTEIRO et al., 2014), colaborando ainda com a diminuição dos custos de produção por ser um produto de baixo custo de comercialização

Metodologia

Instalações
O experimento será realizado junto ao Pavilhão de Ovinos do NUPEEC, na Universidade Federal de Pelotas para a realização de atividades de pesquisa.
Recursos Humanos
Tanto para a condução dos procedimentos experimentais quanto para a análise técnica dos resultados, estarão disponíveis membros da a equipe do NUPEEC, composta por professores doutores em Ciências Animais, além de um Médico Veterinário, e dois Zootecnistas que realizam pós-graduação (mestrado e doutorado) junto à equipe, além de estagiários que compõem a rotina do grupo.
Experimento
O experimento foi conduzido na Universidade Federal de Pelotas, durante um período de 56 dias compreendidos entre fevereiro e março de 2016.
Serão utilizadas 15 borregas, sem raça definida, com 13 meses de idade e contemporâneas, divididas em três grupos experimentais. Cada grupo será composto de cinco animais, distribuídos aleatoriamente, entre o grupo controle, tratamento 1 e tratamento 2.
O grupo controle terá sua alimentação composta por ração comercial peletizada e feno de alfafa, em uma proporção concentrado:volumoso de 45%:55%.
O grupo tratamento 1 (T1), será composto por animais que receberão uma dieta onde os animais serão alimentadas com ração comercial peletizada (c), coproduto de uva (c), e feno de alfafa (v) nas respectivas concentrações C:V 45%:16,5%:38,5%.
O terceiro grupo será o grupo tratamento 2 (T2), onde serão alimentados com coproduto de uva e feno de alfafa na proporção concentrado volumoso de 45%:55%.
Anterior ao período experimental, os animais passarão por uma adaptação da dieta, citada anteriormente e em seus respectivos grupos, durante quinze dias com água á vontade.
Será coletado líquido ruminal posterior à alimentação no turno da manhã em intervalos de sete dias por um período de 35 dias (dia 0 ao dia 35 do experimento), totalizando seis coletas. O líquido ruminal será coletado através de sonda oro-ruminal e o conteúdo armazenado em frascos estéreis para realização imediata dos testes de sedimentação e flutuação, redução do azul de metileno e pH ruminal.
Para a realização da prova de sedimentação e flutuação, serão administrados 10 mL de fluido ruminal em tubos cônicos tipo Falcon, deixando as amostras em repouso até a formação de camadas estratificadas, bem definidas no líquido ruminal. A determinação do tempo de redução do azul de metileno será realizada utilizando-se tubos cônicos tipo Falcon, nos quais se adicionará 9,5 mL de fluido ruminal e 0,5 mL de azul de metileno (solução 0,02%). O pH ruminal será determinado com um potenciômetro portátil.
Coleta e processamento das amostras. As amostras de líquido ruminal serão coletadas de todos os animais através desucção com bomba oro-ruminal, sendo a amostra depositada em tubos Falcon. Após a coleta serão imediatamente realizadas as análises de avaliação do líquido ruminal, pH e viabilidade bacteriana.
Amostras de sangue foram coletadas diariamente durante todo período experimental de todos os animais. As coletas de sangue foram realizadas através de punção da veia jugular, em tubos sem anticoagulante para posterior análises bioquímicas.

Indicadores, Metas e Resultados

Que não há alteração no perfil da população de protozoários do rúmen de ovinos confinados submetidos a diferentes ofertas alimentares de concentrados.
Publicar os resultados encontrados neste trabalho em revistas da área.

Equipe do Projeto

NomeCH SemanalData inicialData final
ADRIANE DALLA COSTA DE MATOS
ANA PAULA PROENCA TIMM
ANDREZA EBERSOL DOS ANJOS
ANTÔNIO AMARAL BARBOSA
BERNARDO DA SILVA MENEZES
BRUNA EMANUELE DA SILVA VELASQUEZ
CAMILA PIZONI
CAROLINE DA SILVA WRAGUE
CASSIO CASSAL BRAUNER1
CRISTIAN CAIO COFFERRI
CRISTIANE AMANDA DE OLIVEIRA
DIANE RAMIRES DAS NEVES
EDERSON DOS SANTOS
EDGARD GONÇALVES MALAGUEZ
EDUARDO SCHMITT1
ELIZA ROSSI KOMNINOU1
FRANCISCO AUGUSTO BURKERT DEL PINO1
GABRIELA BUENO LUZ
JORDANI BORGES CARDOSO
JOSIANE DE OLIVEIRA FEIJÓ
JÉSSICA HALFEN
KAUANI BORGES CARDOSO
LAURA VALADÃO VIEIRA
LEONARDO MARINS
LUCAS CARDOZO DA SILVA
LUIZA EISENHARDT
MARCIO NUNES CORREA1
MATHEUS GOMES LOPES
MICHELLE DE ALMEIDA OLLÉ
MILENE LOPES DOS SANTOS
MURILO SCALCON NICOLA
MURYLLO BOTELHO MEDEIROS
NATÁLIA MACHADO RAHAL
RITIELI DOS SANTOS TEIXEIRA
RODRIGO FONSECA DA FONSECA
RUTIELE SILVEIRA
Taís Isabele Corrêa
VANESSA DA SILVEIRA PEREIRA
VIVIANE ROHRIG RABASSA1

Página gerada em 25/10/2020 03:13:50 (consulta levou 0.377403s)